BMW 450 Sport Enduro - Chucrute na trilha

Montadora desenvolve modelo puro-sangue inédito, com soluções técnicas ousadas. Comercialização da moto para rodar na terra só ocorrerá a partir de 2008

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/05/2007 23:31 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Segredo da nova BMW é a fixação da balança, que coincide com o eixo do pinhão - Fotos: BMW/Divulgação Segredo da nova BMW é a fixação da balança, que coincide com o eixo do pinhão
Apesar de já ter ganho o rali Paris-Dakar e de contar com alguns modelos próprios para o fora-de-estrada, sempre a partir de desenvolvimentos de motores e motos já existentes, a alemã BMW ainda não tinha um modelo puro-sangue, projetado e concebido exclusivamente para rodar na terra. O vazio acabou de ser preenchido, com a apresentação da nova 450 Sport Enduro, que já está disputando provas da modalidade na Europa. Por enquanto, ainda de forma experimental, para, em 2008, entrar em linha comercial.

A disposição da BMW de abraçar o segmento ficou evidente com a aquisição da tradicional marca sueca Husqvarna (então pertencente ao grupo italiano MV Agusta, da família Castiglioni), especialista em motos de enduro e cross, por cerca de 100 milhões de euros (R$ 262 milhões). A BMW vai preservar tanto a marca quanto a fábrica italiana, mas a simbiose entre as montadoras certamente abrange as respectivas linhas de produção. O novo modelo BMW, fruto de vários anos de pesquisa e desenvolvimento, entretanto, já chega inovando.

Centralização
Depois de disputar algumas provas de enduro na Alemanha, a BMW 450 partiu para as provas do mundial da categoria, na classe E2, e já disputou as etapas da Espanha e Portugal, com o badalado piloto belga Joel Smets. A performance ainda foi tímida, mas impressionou pelas soluções técnicas diferenciadas e pelo ineditismo da presença da marca. Segundo o projetista, Markus Theobald, a centralização e rebaixamento das massas, foi uma meta perseguida sem descanso, na elaboração do modelo.
Visual agressivo mantém discrição germânica - Visual agressivo mantém discrição germânica

O tanque foi para debaixo do banco e o motor fixado mais para trás, graças à geometria especial do quadro. O pulo-do-gato foi o desenvolvimento de tecnologia que permite que o mesmo eixo que transmite a força do motor para o pinhão também sirva de eixo para a balança da suspensão traseira. A inovação permite uma balança de maior comprimento, com mais curso para a suspensão (amortecedor Ohlins com 320 mm de curso), e o alinhamento constante da corrente, sempre com o mesmo comprimento, coroa e pinhão, com benefícios para a transmissão de força para a roda.

Quadro
Com a adoção do eixo coincidente (pinhão e balança), sobrou espaço para um quadro mais compacto, feito em tubos de aço, em forma de triângulo, sem muitas curvas, permite a fixação do motor mais para trás, porém com o cilindro único, inclinado para frente, rebaixando ainda mais o centro de gravidade. Também abriu espaço para a caixa do filtro de ar, com maiores dimensões, possibilitando melhor respiração do motor. Uma geometria esbelta e resistente ao mesmo tempo.

O motor de 450 cm³ conta com injeção eletrônica, refrigeração líquida, duplo comando de válvulas e até a mordomia da partida elétrica e foi desenvolvido exclusivamente para o modelo. Dados de potência, torque e peso ainda não foram divulgados, mas, quando o modelo definitivo for para alinha de montagem, também deverá ter uma versão cross ainda mais agressiva e leve. A suspensão dianteira é uma Marzocchi invertida, com 300 mm de curso. Os freios são a disco do tipo wave. O visual é agressivo, mas sem exageros.
Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
14 de agosto de 2017
07 de agosto de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação