Yamaha FZ6 S - Herança dividida

Moto grande, com semicarenagem é equipada com motor de 600 cm³, de quatro cilindros em linha, que proporciona bom desempenho tanto na estrada quanto no trânsito urbano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 04/07/2007 16:30 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Os dois faróis afilados lembram o estilo da superesportiva YZF R-6, da qual herdou o propulsor - Fotos: Yamaha/Divulgação Os dois faróis afilados lembram o estilo da superesportiva YZF R-6, da qual herdou o propulsor
O dólar, em ritmo de liquidação, segue aquecendo o mercado de motos importadas. Com isso, as montadoras reforçam suas linhas, visando preços atrativos pelo câmbio favorável. A Yamaha do Brasil, por exemplo, vem testando o segmento desde 2001, trazendo vários modelos. Entre eles, a linha Fazer 600, que tem motor derivado da superesportiva YZF R-6. Primeiramente com a FZ6 Naked, totalmente pelada, sem qualquer carenagem e grande farol arredondado.

Posteriormente, com a FZ6 S, equipada com semicarenagem, que lembra o estilo da YZF R-6, com dois faróis tipo olhos puxados e painel digital completo, além de visual mais esportivo. O público acabou sinalizando a preferência por esta última, que agora chega oficialmente à versão 2007. Com algumas melhorias e modernizações em relação ao modelo anterior, a nova Yamaha FZ6 S tem preço sugerido (posto em São Paulo) de R$ 37 mil, sem frete e seguro.

Herança
Na base da racionalização industrial, a FZ6 S herdou o motor de quatro cilindros em linha, 16 válvulas, injeção eletrônica e refrigeração líquida da R-6, mas devidamente amansado para se adaptar às exigências do segmento, por meio de novo mapeamento. A potência foi reduzida dos 127 cv a 14,5 mil rpm da superesportiva, para 98 cv a 12 mil rpm. O torque permaneceu quase o mesmo, passando de 6,73 kgfm a 12 mil rpm, para 6,44 kgfm, só que obtido a 10 mil rpm. A decisão é mais compatível com um modelo que também tem pretensões de rodar nas cidades.

Os escapes, de saída alta sob a rabeta, também foram reconfigurados para atender às novas exigências, além de ganharem novas proteções térmicas. Na ergonomia, a nova FZ6 S adotou nova posição da semicarenagem, que ficou 30mm mais baixa. O banco seguiu a mesma linha e também foi ligeiramente rebaixado para 795 mm, assim como as pedaleiras, que ganharam revestimento de borracha. Com isso, o centro de gravidade foi rebaixado, melhorando o comportamento dinâmico.

Ortopédica
Se nas superesportivas a posição de pilotagem totalmente agressiva sacrifica o conforto, para andar na garupa, só com técnicas de contorcionismo. A FZ6 S, meio-termo entre esportiva e naked, amenizou o problema com um guidão mais alto, largo e novas pedaleiras em alumínio para o passageiro, igualmente mais baixas. As alterações também incluem pára-lamas dianteiro mais aerodinâmico e painel com elementos analógicos, digitais e iluminação regulável.

O quadro, em alumínio, é bastante leve e tem interessante arquitetura que prende o motor por cima para aumentar a rigidez do conjunto. A suspensão dianteira é a clássica telescópica com 130 mm de curso. A traseira é mono, em balança de alumínio, igualmente com 130 mm de curso. Os freios dianteiros têm duplo disco de 298 mm de diâmetro e o traseiro, disco simples de 245 mm. O câmbio é de seis marchas, o peso a seco, de 186 kg e o tanque comporta 19,4 litros. Informações na rede de concessionárias.
Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
19 de setembro de 2017
11 de setembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação