Kawasaki Ninja 250R - Caçula faixa preta

Com visual agressivo e nome de peso, moto é equipada com motor de dois cilindros paralelos de menor potência e vários itens que realçam a esportividade do modelo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/11/2007 14:57 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Linhas da Ninja 250R lembram propositalmente o das primas maiores - Fotos: Kawasaki/Divulgação Linhas da Ninja 250R lembram propositalmente o das primas maiores
A linha de motocicletas superesportivas Ninja, da japonesa Kawasaki, sempre teve grande prestígio no Brasil. O problema foi a rede reduzida e pós-venda problemático. Entretanto, a marca quer mudar a situação e descontar o atraso. Vai intensificar a importação da linha Ninja, com os modelos ZX-6R e ZX-10R. Enquanto isso, no exterior, atualizou sua mini Ninja, modelo 250R, que ainda não tem data para desembarcar no Brasil.

A Ninja 250R ganhou formas propositalmente parecidas com as das irmãs maiores, para capitalizar sua fama, e é vendida por US$ 3.499 nos Estados Unidos. A importação vai depender, entre outros fatores, da composição de preços. Valores finais incompatíveis (em torno dos R$ 20 mil) inviabilizam sua comercialização. O motor tem dois cilindros paralelos, 249 cm³ , refrigerados a água, duplo comando no cabeçote, oito válvulas e pode ter carburador ou injeção eletrônica.

Alimentação
Dependendo das condições de cada mercado, vai equipada com carburador de corpo duplo e potência de 30 cv. Para outros, tem sistema de injeção eletrônica e a potência é de 32 cv. O visual contempla uma frente com dois faróis, em uma moldura que estica o vidro, como olhos puxados. A carenagem é integral, cobrindo o motor, proporcionando também melhor aerodinâmica, junto com o pára-brisa e o pára-lamas envolvente.

Projetada para rodar na cidade, mas também encarar uma estrada, a Ninja "um quarto de litro" tem cacoetes esportivos, como banco do piloto posicionado para rebaixar o centro de gravidade, torque de 2,21 kgfm a 10.000rpm e rodas em liga leve com aros de 17 polegadas. Medida que facilita a tomada de curvas e também usada nas primas Ninjas superesportivas de maior cilindrada. O pneu dianteiro tem medida 110/70, e o traseiro, 130/70.

Suspensão
A suspensão dianteira tem garfo telescópico tradicional, com tubos de 37 mm de diâmetro. A suspensão traseira é do tipo mono, Uni-Trak, com possibilidade de cinco ajustes na pré-carga. O freio dianteiro tem disco simples de 290 mm de diâmetro, mordido por pinça de dois pistãos. O freio traseiro tem 220 mm de diâmetro, também com pinça de dois pistãos. Ambos têm o formato tipo margarida. O quadro é em tubos de aço e a balança da suspensão traseira, retangular.

O escapamento é cromado, com saída lateral, mas não é do tipo curto, como nas primas maiores, e tem nova tendência estilística. O painel também é tradicional. Os instrumentos são redondos (conta-giros e velocímetro) e analógicos, sem a tela digital. O câmbio tem seis marchas. Para maior conforto e segurança, embaixo do banco há espaço para uma trava (do tipo U), ferramentas e documentos. As cores da Ninja 250R são o "verdão" tradicional Kawasaki, vermelho, preto e azul.

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
20 de novembro de 2017
04 de novembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação