Suzuki GSX 1300 B-King - O rei de lata

Moto foi apresentada como conceito no Salão de Tóquio, em 2001, demorou seis anos para ser produzida e chega ao Brasil com visual bastante agressivo e motor de 183,6 cv

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 27/01/2008 15:02 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Motor tem quatro cilindros em linha e duas opções de gerenciamento eletrônico - Suzuki/Divulgação Motor tem quatro cilindros em linha e duas opções de gerenciamento eletrônico
A J.Toledo, representante da marca Suzuki no Brasil, anunciou a comercialização da moto B-King, ou Rei B. Trata-se de uma enorme naked, com motor de quatro cilindros em linha, que compartilha com a esportiva Hayabusa 1300. O modelo foi apresentado pela primeira vez no Salão de Tóquio, em 2001, ainda como conceito, e começou a ser produzido seis anos depois. O visual permaneceu fiel à proposta inicial, mas o motor teve que fazer uma cirurgia, para se adaptar à realidade do mercado.

A primeira B-King estava equipada com um turbocompressor, que eleva a potência do motor para cerca de 250 cv e possibilita a velocidade final de 300 km/h. Mas o piloto tinha de conseguir ficar em cima dela, o que era muito difícil, devido à ausência de carenagem. Quando foi apresentada em Roma, na Itália, em julho de 2007, o motor perdeu o turbo e toda sua brutalidade. Continuou extremamente potente, com 183,6 cv a 9.500 rpm, e um supertorque de 14,9 kgfm a 7.200 rpm, mas agora pode ser pilotada por gente normal.

Personalidade
Entretanto, a Suzuki providenciou a ajuda da eletrônica para conservar uma porção furiosa do motor de 1.340 cm³, que tem a ajuda de 16 válvulas em titânio, injeção eletrônica e refrigeração líquida, com um radiador (servido por duas ventoinhas) para a água e outro para o óleo.

O sistema Suzuki Drive Mode Selector (S-DMS) permite dois tipos de mapeamento eletrônico do motor, que adquire dupla personalidade. O S-DMS é operado por um botão sobre o tanque. No modo A, a potência chega sem restrições e o piloto pode conduzir agressivamente. No B, a potência e o torque são entregues de forma mais suave e progressiva, favorecendo a pilotagem em condições de pouca aderência, como piso molhado, por exemplo. Para que não haja dúvidas, a opção é mostrada em destaque no painel, que tem o conta-giros analógico (em destaque) e tela digital, com computador de bordo (velocidade, odômetro, média de velocidade, tempo de viagem, combustível etc.), que dispõe ainda de relógio, indicador de marcha engatada e pressão do óleo.

Ponteiras
Uma das principais características da B-King original foi conservada: as ponteiras dos escapes são enormes, com saídas altas, junto à rabeta. O tanque tem capacidade para 16,5 litros e aletas laterais, que abrigam as setas, transmitindo a sensação de mais volume. O farol é assimétrico e fica dentro de uma pequena carenagem. O freio dianteiro tem duplo disco, de 310 mm de diâmetro, com pinças Nissin de ataque radial e quatro pistãos. No freio traseiro, há um disco simples de 260 mm de diâmetro.

A suspensão dianteira é Kayaba, do tipo invertida, herdada da superesportiva GSX 1000R, e a traseira, mono, em balança em alumínio, ambas ajustáveis. As rodas são em liga leve, com aros de 17 polegadas, calçadas com pneus 120/70, na dianteira, e 200/50, na traseira. O câmbio tem seis marchas e o peso a seco é de 242 kg. Todo o conjunto é seguro por um quadro em alumínio, com arquitetura perimetral. A Suzuki GSX 1300 B-King tem preço sugerido de R$ 69.615, sem o frete. Informações: 0800-7078020.

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
20 de novembro de 2017
04 de novembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação