BMW F 650 GS - O encontro dos paralelos

Equipado com novo motor de dois cilindros, produzido pela austríaca Rotax, modelo da tradicional marca alemã circula com desenvoltura tanto no asfalto quanto na terra

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 24/02/2008 12:09 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Novo modelo tem rodas em liga leve - BMW/Divulgação Novo modelo tem rodas em liga leve
A germânica BMW continua abastecendo o mercado com novas motocicletas, em ritmo bastante acelerado. Para conseguir isso, ela adota a seguinte estratégia: usar a mesma base mecânica para vários modelos, economizando tempo e investimentos. Esse é o caso da nova F 650 GS, 2008, que abandonou o motor de um cilindro, que a equipava desde o lançamento, para receber o novo, de dois cilindros paralelos, já presente na F 800 S, F 800 ST e F 800 GS. O mesmo propulsor foi retrabalhado e teve a potência e torque reduzidos.

Lançado em 2006 e produzido pela austríaca Rotax, esse motor é o primeiro com dois cilindros paralelos da história da BMW. O projeto alemão é bastante compacto, graças ao revolucionário sistema de contrapesos internos, que, em vez dos volumosos balanceiros, tem uma falsa biela, com movimento contrário ao dos cilindros, que, por sua vez, sobem e descem juntos. As pequenas dimensões do novo motor conseguem substituir, sem prejuízo de peso e dimensões, o antigo monocilindro.

Confusão
Além disso, o novo motor se enquadra perfeitamente em uma motocicleta que tem pretensões fora-de-estrada, como a inédita F 650 GS: são dois cilindros paralelos, alimentados por injeção eletrônica de combustível e com refrigeração líquida. O novo motor também provocou uma mudança "geral e irrestrita" nos demais sistemas da motocicleta. O quadro agora tem arquitetura em treliça, com tubos em aço, abraçando por cima o motor, que faz parte da estrutura, para economizar peso e aumentar a rigidez.

O curioso e estranho é que o propulsor de dois cilindros paralelos da nova F 650 GS conservou a cilindrada de 798 cm³ das irmãs, tendo reduzido apenas a potência e o torque para se adequar às exigências do novo modelo e se diferenciar da F 800 GS, por exemplo, mas adotou a designação 650. Certamente essa estratégia - de oferecer um modelo de entrada, mais acessível - vai provocar muita confusão. Enquanto a F 800 GS tem 85cv de potência a 7.500 rpm, a F 650 GS tem 71 cv a 7.000 rpm. O torque caiu de 8,3 kgfm para 7,7 kgfm, mantendo a mesma faixa de rotação (a 4.500 rpm).

Diferenças
Além do motor mais "anêmico", a F 650 GS tem rodas em liga leve, em vez dos aros raiados do modelo F 800 GS. Na dianteira, o tamanho da roda encolheu, adotando um aro de 19 polegadas, mais esportivo, em substituição ao de 21 polegadas, mais apropriado para o fora-de-estrada. Na traseira, o aro é de 17 polegadas. O banco também ficou (60 mm) mais baixo e pode ser regulável entre 790 mm e 820 mm. As suspensões também são diferentes, com cursos menores no modelo F 650 GS. Na dianteira, o sistema tem garfo telescópico convencional, com tubos de 43 mm de diâmetro e 180 mm de curso. Na traseira, o modelo adota amortecedor único (com 170 mm de curso e possibilidade de regulagens), montado em balança clássica, em vez dos monobraços típicos das BMW.

A transmissão também foge ao padrão da marca, sendo por corrente, em vez do eixo cardã. O peso caiu de 178 kg (a seco) para 171 kg. O visual, entretanto, é praticamente o mesmo: pára-lamas dianteiro duplo, com estilo bico de pato; e painel com instrumentos sobrepostos, assim como os faróis. A BMW do Brasil vai trazer oficialmente o modelo a partir de junho deste ano, mas ainda não definiu o preço.
Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
14 de agosto de 2017
07 de agosto de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação