BMW S 1000 RR - Japonesa de Berlim

Para competir com as rivais italianas e japonesas, a fabricante alemã vai disputar o mundial de Superbikes com o novo modelo, que terá versão de rua, com edição limitada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 20/04/2008 14:50 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Fotos: BMW/Divulgação
A BMW apresentou em 16 de abril, na fábrica de Berlim, Alemanha, a nova motocicleta superesportiva S 1000 RR. Com esse modelo, pretende disputar o mundial de Superbikes de 2009, encarando as japonesas e italianas, que dominam a competição. Para construir a nova moto, entretanto, utilizou as mesmas armas da concorrência nipônica, deixando o novo modelo com os olhos "puxados" e um visual bastante parecido com o das motos japonesas, especialmente com a Kawasaki ZX 10R e as Yamahas R-6 e R-1.

Em seu discurso de apresentação, o presidente da BMW Motos, Hendrik Von Kuenheim, ressaltou que o ingresso da marca no mundial de Superbikes foi motivado pelo prestígio e imagem que a competição transmite, sendo disputada em 13 países e quatro continentes. A vantagem dos japoneses, com mais de 20 anos de experiência na competição, vai servir de incentivo e laboratório para as motos de rua, também com reflexos nas vendas do segmento de motos esportivas.

Competição
O presidente também revelou que os motores do tipo boxer, com dois cilindros, que fazem parte da história e tradição da marca, ainda vão ter vida longa, mas é necessário abrir novas frentes, como a das motos superesportivas. Segundo suas estatísticas, são comercializadas cerca de 100 mil unidades de motos superesportivas de 1.000 cm³ por ano, com alto valor agregado, no mundo, com participação de 85% dos japoneses. A BMW quer começar a mudar essa história, participando deste rentável e prestigioso segmento.
O motor tem quatro cilindros em linha e muita eletrônica embarcada - O motor tem quatro cilindros em linha e muita eletrônica embarcada

O novo modelo S 1000 RR é uma das armas para divulgar que a marca não produz somente sofisticados modelos, luxuosos e comportados, para longas viagens, mas também motos de alto desempenho. Neste embalo, a marca pretende um ousado acréscimo de 50% em suas vendas, comercializando 150 mil unidades até 2012. Os planos também incluem o Brasil, por meio de sua subsidiária. Para satisfazer o regulamento do mundial de Superbikes, serão produzidas 1 mil unidades "de rua" do modelo, para comercialização.

Armas
A nova S 1000 RR (S de sport e RR de racing) tem motor de quatro cilindros em linha, inclinados em 55°, com refrigeração líquida e injeção eletrônica, que desenvolve cerca de 190 cv. O motor terá um sofisticado cabeçote, com duplo comando e 16 válvulas, e muita eletrônica embarcada. A eletrônica também vai estar presente em larga escala no controle de tração. O quadro é em alumínio, de dupla trave, assim como a enorme balança da suspensão traseira, do tipo "banana".

A carenagem é em fibra de carbono, com grande abertura frontal, para captação de ar. As rodas em liga leve são OZ. A suspensão dianteira invertida Ohlins, diferentemente dos modelos esportivos K 1200 S, tem sistema Telelever. A transmissão é por corrente, em vez do tradicional cardã da marca, inadequado para competições. Os freios são Brembo, de última geração, e as pedaleiras, reguláveis. O escape tem saída baixa, com ponteira curta. Se não tivesse o símbolo BMW, poderia ser facilmente confundida com uma japonesa...
Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
11 de setembro de 2017
06 de setembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação