Estado de Minas

Honda CRF 150R - Prima oculta Modelo com motor do tipo quatro tempos e refrigeração líquida tem boa potência e pacote técnico.

Téo Mascarenhas - Estado de Minas

Publicação: 01/05/2008 11:18 Atualização:

 (Fotos: Honda/Divulgação )

A Honda do Brasil produz alguns modelos exclusivamente para exportação. Com a desvalorização do dólar frente ao real, as motocicletas fabricadas aqui ficaram mais caras no exterior, dificultando as vendas. A saída foi comercializar esses modelos, até então inéditos, no mercado nacional. Assim, foi lançada em 2006 a Honda CRF 230F, destinada ao fora-de-estrada. A Honda também produz no Brasil o modelo menor, CRF 150F, por enquanto, só para o mercado externo.

Com o dólar menos valorizado, a lógica poderia ser invertida e, em vez de exportar, passar a importar alguns modelos. Aliás, a Honda já vem pondo isso em prática, ampliando sua linha, com o lançamento de novos modelos importados, como as superesportivas CBR 600 e 1000, a Varadero 1000, a nova Hornet 600 (que, apesar de vir equipada com injeção eletrônica, manteve o preço do modelo antigo carburado), a Gold Wing 1800, a VTX 1800 e a CB 1300.

Tecnologia
A CRF 150F é equipada com motor do tipo quatro tempos, com refrigeração a ar, enquanto, desde 2006, já existe o modelo CRF 150R, com moderno motor equipado com refrigeração líquida, a exemplo das cobiçadas primas maiores CRF 250 e 450 (nas versões X, para trail e R, para cross), também já importadas oficialmente pela Honda, embora em doses homeopáticas. No caso do modelo CRF 150R, que complementaria essa linha, a Honda Brasil faz mistério.

Maneabilidade é um dos destaques
Maneabilidade é um dos destaques
Entretanto, já importou algumas unidades da CRF 150R para abastecer sua equipe de motocross nas categorias de base, em substituição aos modelos CR 80, equipados com motor do tipo dois tempos, em desuso, e mais umas poucas unidades distribuídas pela rede, sem alarde, quase secretamente, como forma de testar a receptividade. Próprio para o fora-de-estrada ou cross, tem duas versões no exterior. Como a proposta é ser modelo de entrada para iniciantes, pode ser equipada com rodas menores.

Técnica
Tem a opção de aro de 17 polegadas na dianteira e 14 polegadas na traseira, reduzindo também a altura do banco para 832 mm e o peso para apenas 75 quilos. A outra versão tem o aro dianteiro com 19 polegadas e o traseiro com 16 polegadas de diâmetro, que elevam a altura do banco para 866 mm e o peso a seco para 77 kg. Os componentes mecânicos são os mesmos para as duas versões, que transformam o modelo em uma puro-sangue, apesar do tamanho.

O motor de um cilindro e 149 cm³ tem refrigeração líquida e alimentação por carburador, que desenvolve 22,5 cv a 12.500 rpm. Bem mais do que os 18,6 cv da CRF 230F vendida em nosso mercado. A suspensão dianteira é uma Showa, com tubos de 37 mm de diâmetro e curso de 241,3 mm (275 mm para a versão com rodas menores), e a traseira mono, regulável, com 290,5 mm de curso (273 mm para a outra versão). O quadro é em tubos de aço, o câmbio tem cinco marchas. O freio dianteiro tem 220 mm de diâmetro e o traseiro, 190 mm. Ambos a disco.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas em destaque