Kawasaki - Reforço na artilharia

Focada em modelos de maior cilindrada, marca japonesa apresenta os novos ZX-10R, Z 750 e Vulcan 900, de três segmentos diferentes, já adaptados às características do Brasil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 08/04/2009 16:51 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
A Ninja ZX-10R é uma superesportiva, com motor de 188cv de potência - Fotos: Thomaz Magalhaes/Kawasaki/Divulgação A Ninja ZX-10R é uma superesportiva, com motor de 188cv de potência
A marca japonesa de motocicletas, que desde o ano passado tem a bandeira oficial de Kawasaki do Brasil, e não mais apenas representação por meio de terceiros, está em processo de implantação no país, inclusive com a construção de uma fábrica em Manaus, Amazonas, e abertura de sua rede de concessionárias autorizadas. A montadora apresentou ontem uma nova fornada de motocicletas para o mercado nacional. O destaque fica para os modelos de maior cilindrada, como a naked Z 750, a superesportiva Ninja ZX-10R e a custom Vulcan 900 Classic.

Os modelos ainda são importados, mas já chegam como 2009 e adaptados para o nosso combustível e características. O desenvolvimento consumiu quase um ano de estudos, primeiramente com a nossa gasolina sendo enviada para o Japão para adaptação do motor. Em uma segunda etapa, vieram as motos de testes para os acertos finais e homologação. O sistema de injeção eletrônica foi ajustado, o tanque e toda a linha de combustível foram protegidos contra corrosão.
A Z 750 (verde), com estilo naked, tem propulsor de quatro cilindros em linha. A custom Vulcan 900 tem estilo clássico, com pára-lamas envolventes - A Z 750 (verde), com estilo naked, tem propulsor de quatro cilindros em linha. A custom Vulcan 900 tem estilo clássico, com pára-lamas envolventes

Pelada Um dos destaques é o modelo naked, ou pelado, Z 750. A Kawasaki conseguiu a proeza de aproveitar o mesmo motor em três motocicletas diferentes. Primeiramente, nasceu a irmã maior Z 1000, com motor de quatro cilindros em linha, herdado da superesportiva Ninja ZX-9R, de 900 cm³, mas aumentado para 1.000 cm³. Para a irmã menor, Z 750, nascida posteriormente, a solução foi encolher o mesmo motor para 750 cm³, mantendo o mesmo quadro. A Z 1000, entretanto, desde 2007 foi modernizada e passou a ter motor derivado da Ninja ZX-10R.

A Kawasaki Z 750 chega para brigar em um segmento na qual já estão os modelos Honda Hornet 600, Suzuki Bandit 650 e Yamaha FZ 600, todas igualmente com motor de quatro cilindros em linha. Uma disputa interessante, apesar das ligeiras diferenças de capacidade do propulsor. O coração da Z 750 desenvolve 106 cv a 10.500 rpm e torque de 8,0kgfm a 8.300 rpm. O quadro é do tipo diamond, com motor fazendo parte da estrutura. O freio dianteiro tem dois discos de 300 mm de diâmetro (herdados da ZX-12R), com a possibilidade do sistema ABS como opcional. Na traseira, um disco de 220 mm. O peso a seco é de 203 kg e o visual contempla farol assimétrico na dianteira e leds na traseira, além de escape mais baixo e curto, no estilo megafone. O modelo Z 750 tem preço sugerido de R$ 39.890.

Outro modelo apresentado oficialmente foi a badalada superesportiva Ninja ZX-10R. Um verdadeiro canhão com motor de quatro cilindros em linha, torque de 11,5 kgfm a 8.700 rpm e declarados 188 cv a 12.500 rpm e peso a seco de 179 kg. Com isso, a relação peso/potência passa de 1 cv para cada quilo. A suspensão dianteira é invertida, com tubos de 43 mm de diâmetro e 120 mm de curso. A suspensão traseira é mono, com 125 mm de curso.

O freio dianteiro tem dois discos de 310 mm e o traseiro, único, de 220 mm. O preço é de R$ 58.900, sem frete. O outro modelo apresentado foi a pacata Vulcan 900 Classic, com preço de R$ 38.880. Uma custom para brigar com a Honda Shadow 750, inclusive no visual. O modelo, lançado em 2006 para substituir a Vulcan 800, tem motor de dois cilindros em V, com injeção eletrônica e refrigeração líquida, que fornece 50 cv a 5.700 rpm e torque de 8,4 kgfm a apenas 3.700 rpm. Esse é o número que interessa para o consumidor desse segmento, que exige força, e não potência. O visual inclui painel no tanque (20 litros) e para-lamas superenvolventes. O peso a seco é de 254 kg. Informações:www.kawasakibrasil.com.
Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
19 de setembro de 2017
11 de setembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação