Kawasaki Vulcan 900 Classic - Só no veludo

Desenvolvido com base na receita custom, novo modelo da marca japonesa tem motor de dois cilindros em V, que gera 50cv, grandes dimensões e conforto para longas viagens

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 05/02/2010 13:54 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Fotos Kawasaki/Divulgação
A família Vulcan teve início em 1984, com o lançamento do modelo 750. Em 2006, chega ao mercado a Vulcan 900 Classic, que substitui a irmã 800. Todos os modelos, incluindo irmãs e primas, obedecem fielmente ao estilo custom, um segmento que faz questão de manter a receita de motorização com dois cilindros em V, grande distância entre-eixos, muito volume e conforto para viagens por longas distâncias. A renovação chega pela via técnica, justamente na parte invisível, com a incorporação de tecnologia no motor, no quadro, freios e suspensões, para não alterar a fórmula que o consumidor tanto consagrou e exige.

O modelo 900 Classic, que é comercializado oficialmente no Brasil (assim como o modelo Vulcan Custom, com rodas em liga leve, pintura preto fosco, banco em duas cores e outras pequenas diferenças, que chega ao mercado a partir deste mês por R$ 34.990), ainda é importado, mas vai passar pelo processo de nacionalização, a partir da fábrica da marca montada em Manaus. A 900 Classic segue o figurino, com rodas raiadas, pintura sóbria, farol destacado, painel sobre o tanque, banco tipo poltrona, pedaleiras tipo plataforma e alguns cromados. Em compensação, o propulsor, com a inevitável configuração em V, tem 903cm³ de cilindrada, injeção eletrônica e refrigeração líquida.

Estrada

Pintado de preto, o radiador fica camuflado, entre as vigas do quadro, que é construído com tubos de aço. O motor tem quatro válvulas por cilindro e fornece 50cv a 5.700rpm. Já o torque máximo, que é de (bons) 8,0kgfm, aparece com apenas 3.700rpm. Esse fator é um dos que mais interessa ao consumidor do segmento, que não está ligado à velocidade pura, como nas superesportivas, por exemplo, mas ao desempenho em baixos giros, que exige musculatura no motor sempre que o piloto "enrolar o cabo". Nesse quesito, a Vulcan 900 manda muito bem. Para ajudar, a transmissão final é por correia, que minimiza os ruídos e dispensa manutenção.

Para extrair todo o potencial da Vulcan 900, é preciso ir para as estradas, de preferência lisas, aveludadas e sem muitas curvas. Nas cidades, a moto sofre com suas grandes dimensões, incluindo a distância entre-eixos de 1.650mm, e o peso de 282kg em ordem de marcha. Em compensação, o banco fica a apenas 680mm do solo, permitindo colocar os dois pés no chão e equilibrar a moto sem transtornos quando parada. Os problemas aparecem em curvas mais fechadas, quando as partes mais baixas raspam impiedosamente, comprometendo a segurança, já que a distância mínima do solo está a apenas 135mm. Com piloto e passageiro, a distância fica ainda menor. Esses fatores limitam seu uso, já que a conservação e o traçado de nossas estradas não são exatamente um primor. Entretanto, a posição de pilotagem, com braços e pés esticados, ajudados por um banco confortável, guidão largo e pedaleiras do tipo plataforma, contrabalançam a situação.

Discos

Com 8 kgfm de torque, o motor oferece boas respostas - Com 8 kgfm de torque, o motor oferece boas respostas


Outra modernidade são os freios a disco. Na dianteira, o sistema tem disco de 300mm de diâmetro, e na traseira, de 270 mm. Trata-se de um conjunto capaz de parar bem a volumosa motocicleta. O volume é completado com para-lamas propositalmente envolventes, que realça ainda mais suas generosas dimensões. A suspensão dianteira é do tipo telescópica, com tubos de 41mm de diâmetro e 150mm de curso. A suspensão traseira é do tipo momo, com sete ajustes, mas apenas 100mm de curso, o que castiga a coluna do piloto em pisos mais irregulares.

O câmbio tem cinco marchas e o tanque de combustível comporta 20 litros, proporcionando boa autonomia. O painel fica sobre o tanque e tem o velocímetro em destaque. A pintura sóbria e monocromática tem a sisudez quebrada com os cromados do farol, dos longos escapes e outras partes da decoração. A Kawasaki Vulcan 900 Classic tem preço sugerido de R$ 33.990. Informações na Moto Cidade (31) 3378-8000.
Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
19 de setembro de 2017
11 de setembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação