Aprilia RSV-4 Biaggi Réplica - A cereja do bolo

Modelo especial para as pistas é uma legítima moto de competição, com motor de 200cv, que o cliente mais abonado pode levar para casa e depois se divertir nos autódromos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 24/05/2010 10:26 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Fotos: Aprilia/Divulgação
Para quem acha pouco o desempenho de uma superesportiva de rua, a italiana Aprilia acabou de lançar o modelo RSV-4 Biaggi Réplica, que é uma motocicleta de competição idêntica à que compete no Mundial de Superbike, pilotada pelo veterano piloto Max Biaggi, o Mad Max. Trata-se de uma versão "cliente", exclusiva para as pistas, vitaminada com pneus especiais, tipo slick, centralina eletrônica, que faz a gestão do motor desenvolvido para competição. Tem o peso aliviado pelo emprego de fibra de carbono, magnésio, titânio e alumínio, quadro com diversas regulagens, banco especial, carenagem com decoração oficial e muito mais, detalhes que elevam o preço do brinquedo para 50 mil euros, ou o equivalente a cerca de R$ 120 mil, na Europa, sem choro.

Veja mais fotos da Aprilia RSV-4 Biaggi Réplica!

Depois de adquirido, o modelo é fabricado com as especificações particulares de cada freguês, pelo Reparto Corse, que é o departamento de competições da marca. O lançamento foi em Monza, Itália, templo sagrado da velocidade, durante o fim de semana da 5ª etapa do Mundial de Superbike, dia 9, que incluiu banho de champanhe e a cereja do bolo. O veterano piloto da casa, Max Biaggi, carimbou em grande estilo o lançamento, vencendo as duas baterias da competição, depois de também fazer a pole position com uma motocicleta praticamente igual à que agora pode ser levada para a garagem de quem quiser e puder.

RÉPLICA
A história do modelo RSV-4 tem um roteiro interessante. A moto nasceu em 2008, de olho nas competições de Superbike, onde é travada uma briga de foice entre as marcas japonesas e europeias, conferindo muito prestígio e status aos vencedores, traduzindo-se em vendas e retorno comercial. Entretanto, para homologação nessa competição, o regulamento exige uma produção comercial mínima, que foi vendida com o apelo de uma moto de competição adaptada para rodar na rua. Agora, a Aprilia lança uma puro-sangue, trilhando o caminho inverso. Uma moto de competição exclusiva para as pistas, mas com produção comercial e todos os requintes de velocidade.

O motor que impulsiona o foguete é um quatro cilindros em V, com inclinação de 65 graus, 999,6cm³, equipado com injeção eletrônica e refrigeração líquida. A potência é de 200cv, enquanto o torque atinge 12,8kgfm. Tudo isso com apenas 175kg de peso em ordem de marcha, já abastecida, inclusive com óleo, fluIdos etc., que proporciona uma extraordinária relação peso/potência de 1,14cv para cada quilo. Um verdadeiro avião sem asas, que conta com muita eletrônica embarcada para tornar o modelo mais amigável. A centralina que gerencia o motor pode ser regulável, deixando a moto com o estilo do piloto (motor mais progressivo ou mais explosivo), atendendo também às diferentes exigências de cada pista.

REGULAGENS
Também podem ser regulados o controle de tração, que fica mais ou menos atuante conforme cada estilo de pilotagem, e a velocidade de entrada nos boxes. O modelo igualmente conta com sistema de armazenagem de dados de performance, para análises e ajustes no computador, visando a melhorar o rendimento. Novas especificações desenvolvidas pela fábrica são repassadas. A centralina também comanda o sistema batizado de quick shift, de troca de marchas (para cima), cortando por frações de segundo o motor, dispensando o uso da embreagem e de tirar a mão do acelerador, economizando tempo. O quadro, construído em alumínio, com dupla trave, também pode ser regulado.

1,14 cv para cada kg - são 200 cv de potência e 12,8 kgfm para apenas 175 kg  - 1,14 cv para cada kg - são 200 cv de potência e 12,8 kgfm para apenas 175 kg


Dependendo da pista e do estilo de pilotagem, a altura do motor é modificada, assim como a posição das pedaleiras, a altura do guidão, que tem amortecedor Ohlins, e do ângulo do garfo da suspensão dianteira, fazendo o piloto vestir a moto. Para completar, o acelerador é eletrônico, sem cabos, e os coletores de admissão de altura variáveis. O câmbio, de seis marchas, pode ser facilmente removível para troca das engrenagens que melhor se adaptam a cada pista. O escape, em fibra de carbono e titânio, é Akrapovich. A suspensão dianteira invertida tem 43mm de diâmetro e 120mm de curso. A traseira, mono, iguais 120mm de curso. Ambas Ohlins, plenamente reguláveis. O freio dianteiro tem duplo disco de 320mm, com pinças radiais. O traseiro tem 240mm. As rodas são Marchesini, com 16,5 polegadas em magnésio. Para quem preferir, a carenagem em fibra de carbono e de vidro pode vir sem qualquer grafismo.
Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
19 de setembro de 2017
11 de setembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação