Honda NC 700X.Parece, mas não é

Com formas aventureiras, dentro do conceito crossover, a NC 700X é equipada com motor de dois cilindros paralelos, porta-malas e vocação urbana.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 11/07/2012 17:31 / atualizado em 11/07/2012 18:06 Téo Mascarenhas /Estado de Minas

O falso tanque abriga um porta-objetos que comporta um capacete fechado - Honda/Divulgação O falso tanque abriga um porta-objetos que comporta um capacete fechado
 

De Rio Preto da Eva, AM - A combinação de visual que sugere caráter aventureiro, mas vocação para o asfalto, bem longe da poeira, é a definição da nova motocicleta Honda NC 700X, que é produzida em Manaus, utilizando componentes japoneses pouco depois de sete meses de seu lançamento mundial, no Salão de Milão, Itália, em novembro do ano passado. A mistura de conceitos foi batizada de crossover, pegando emprestado o termo já utilizado pela indústria automobilística para automóveis de rua travestidos de fora de estrada, com a mesma filosofia. A posição de pilotagem mais relaxada e natural, assim como suspensões levemente mais longas, é capaz de enfrentar asfaltos quase sempre irregulares com desenvoltura, mas rodas de liga leve com aros de 17 polegadas e pneus street denunciam sua real aptidão.

Para tornar a tarefa do uso diário nas cidades mais adequada, a montadora desenvolveu um novo motor (que também equipa o scooter Integra 700 e a NC 700S), de dois cilindros paralelos, que fica quase deitado, inclinado em 62 graus, com 669,6 cm³, equipado com injeção eletrônica e refrigeração líquida, que desenvolve 52,5cv a 6.250rpm. Além disso, o virabrequim tem defasagem de 270 graus. Esta configuração permite pistãos de curso longo, resultando em um torque mais vigoroso em baixos giros, atingindo 6,4kgfm a apenas 4.750rpm, situação bastante favorável para rodar no trânsito. Para reforçar ainda mais esta característica, as relações da primeira e segunda marchas são muito curtas, proporcionando força e obediência ao menor giro do acelerador.

 

 

->Veja a galeria de fotos da HONDA NC 700X!

 

 

ANDANDO Outro efeito colateral do motor quase deitado é o rebaixamento do centro de gravidade e a liberação de espaço. Desta forma, o tanque foi transformado em um prático e útil porta-objetos com chave, que comporta um capacete fechado, deslocando o verdadeiro tanque com capacidade para 14,1 litros para debaixo do banco. A pista de testes da Honda, no município de Rio Preto da Eva, distante cerca de 50 quilômetros de Manaus, em plena selva amazônica, simula diferentes pisos e situações encontradas no dia a dia. Porém, a vocação urbana da NC 700X, apesar de seu visual aventureiro, fica evidente logo nos primeiros metros. O generoso torque facilita a condução em baixas velocidades, ressaltando o foco de sua utilização.

Não é necessário esticar as marchas para obter força, especialmente com a primeira ou segunda engatadas, mas o piloto tem que rever seus conceitos porque basta acelerar mais forte e esportivamente para o limitador entrar em funcionamento cortando o motor, avisando que é preciso cambiar. A partir da terceira marcha, mais longa, o comportamento fica mais “padronizado” até a sexta, em que é possível atingir velocidades próximas dos 180km/h. A posição de pilotar é bem confortável, com banco em dois níveis a 831mm do chão, permitindo fácil apoio dos pés e guidão mais alto, proporcionando uma ergonomia mais semelhante à dos modelos fora de estrada, mas sem castigar tanto a coluna do piloto.

Freios Outra característica interessante do modelo é o sistema de freios. Na dianteira um disco perfurado, com desenho wave, que é fixado diretamente na roda e não no cubo da roda. Essa providência deixa a pista mais estreita e permite o aproveitamento do “miolo” no processo industrial, para confecção do disco traseiro com 240mm de diâmetro. O sistema C-ABS, Combined ABS, é opcional e tem funcionamento integrado entre as duas rodas. Quando o piloto aciona o manete de freio, a força é distribuída automaticamente entre as duas rodas e o ABS impede seu travamento. A versão sem ABS também impressiona pela eficiência, transmitindo bastante confiança ao piloto.

O visual é intrigante, com um falso para-lamas em forma de bico. A lanterna traseira fica destacada, como nas esportivas, e o conjunto óptico dianteiro tem formato trapezoidal. Para completar, um pequeno para-brisa, que ajuda em altas velocidades, abriga o painel totalmente digital. O escape, com saída única e lateral, é cromado. O conta-giros tem escala em barras. Acima dele, estão as luzes de advertência. A suspensão dianteira é convencional, com tubos de 41mm e 153,5mm de curso. A suspensão traseira é do tipo mono, com 150mm de curso. O quadro é em aço tubular. O peso a seco é de 202kg sem ABS e de 206kg com ele, merecendo um severo regime que não chega a comprometer a pilotagem. O preço sugerido, sem frete e seguro, é de R$ 27.490 para a versão standard e R$ 29.990 para a versão com ABS.

Tags:

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
19 de setembro de 2017
11 de setembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação