Sem fronteira

Modernizada, Triumph Tiger Explorer XCx 1200 se dá bem no asfalto e na terra

Triumph Tiger XCx foi generosamente modernizada, ganhando altas doses de eletrônica e também ajustes no visual. Com freios e suspensões ajustáveis, moto vai bem no asfalto e terra

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 24/07/2016 08:00 / atualizado em 23/07/2016 18:13 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Na terra, pode-se ajustar eletronicamente o comportamento das suspensões - Thiago Henrique/Triumph/Divulgação
Na terra, pode-se ajustar eletronicamente o comportamento das suspensões
Tuiuti (SP) - A aventureira XCx 1200 é um legítimo modelo especializado em assuntos diversos. É capaz de rodar nas estradas lisinhas com rapidez e conforto, mas também se dá bem quando o asfalto acaba e começa a terra. Para ignorar fronteiras, incorporou novas suspensões semiativas, freios ABS moduláveis que permitem frenagem em curvas sem alargar a trajetória, gerenciamento de motor, controle de tração, câmbio de seis marchas com relações mais longas, novo escape, bancos e ajustes de quadro, para-brisa com regulagem elétrica, nova aerodinâmica e atualizações no visual. Tudo embalado com o emprego maciço da eletrônica.

As muitas regulagens começam nas suspensões WP. A dianteira é invertida com tubos de 40mm de diâmetro e 190mm de curso, e sistema mono na traseira com 193mm de curso. A dianteira lê o terreno, analisando o tipo de piso, a velocidade, peso, inclinação e aceleração, e envia a uma central, que processa os dados e ajusta a suspensão traseira imediatamente. Além disso, o piloto pode escolher o funcionamento das suspensões no modo road (estrada) e off-road (fora de estrada), selecionando ainda nas funções conforto, normal ou esporte. Cada uma com três níveis de atuação. Todo o ajuste é feito com botões no manicoto do guidão e informados no painel digital.

ANDANDO Quando o asfalto acaba, a porção aventureira justifica o nome Explorer e a diversão começa. Com o modo de pilotagem off-road selecionado, o sistema de freios ABS é desligado na roda traseira, permanecendo de forma quase cirúrgica na roda dianteira. O sistema de controle de tração também é otimizado e a gigante de 253kg de peso e formas volumosas fica mais na mão e obediente. Para aumentar a agilidade, a distância entre-eixos e o ângulo de inclinação do garfo foram ligeiramente reduzidos, e o banco (que também tem regulagem de altura entre 837mm e 857mm) foi adiantado em 20mm, melhorando o encaixe e a posição de pilotagem.

No asfalto, a XCx oferece conforto com nova aerodinâmica e para-brisa ajustável - Thiago Henrique/Triumph/Divulgação
No asfalto, a XCx oferece conforto com nova aerodinâmica e para-brisa ajustável
No asfalto, o para-brisa com ajuste elétrico faz diferença, aumentando o conforto. Além disso, o sistema de controle de tração também pode ser regulado nos modos estrada ou chuva, quando as respostas ficam mais suaves e progressivas. Porém, se o piloto quiser pode assumir o controle e o risco, e desligar a parafernália. Outro sistema pra lá de bem-vindo são os freios ABS de curva. Na hora do aperto ou em pilotagem mais esportiva, dá para brecar dentro da curva sem que o coração saia pela boca e a moto vá pela contramão. Na dianteira são dois discos de 305mm de diâmetro e pinças Brembo radiais de quatro pistãos. Na traseira, um disco de 282mm.

Painel digital conta com computador de bordo, que fornece dados sobre as tecnologias disponíveis - Thiago Henrique/Triumph/Divulgação
Painel digital conta com computador de bordo, que fornece dados sobre as tecnologias disponíveis
MOTOR O motor manteve a tradicional configuração da marca, com três cilindros em linha, 1.215cm³ de cilindrada, equipado com refrigeração líquida e injeção eletrônica, porém, ganhou 2cv e um novo escape com som mais harmonioso, além de uma entrega de potência mais homogênea em todas as rotações. São 139cv a 9.300rpm e um torque de 12,6kgfm a 6.200rpm. Dá para reacelerar antes do fim da curva, aumentando o prazer na pilotagem, embora o aro dianteiro com raios de 19 polegadas de diâmetro limite um pouco a agilidade, já que fica no meio entre as motos fora de estrada com aros 21 e as esportivas com aros 17. Mas garante o divertimento.

O motor de três cilindros em linha ganhou mais progressividade e dois cavalos - Thiago Henrique/Triumph/Divulgação
O motor de três cilindros em linha ganhou mais progressividade e dois cavalos
A nova aerodinâmica também melhorou o fluxo de ar quente nas pernas do piloto, reduzindo o incômodo. A nova Tiger Explorer XCx também conta com tomada 12V e saída do tipo USB, transmissão por eixo cardã, protetores de cárter, radiador, mão e motor, computador de bordo e piloto automático, além de manoplas aquecidas e setas com LED e desligamento automático, cavalete central e tanque de 20 litros. A marca também oferece inúmeros acessórios e opcionais, como malas em alumínio, além do modelo XR, com menos eletrônica e preço sugerido de R$ 58.500. A Tiger Explorer XCx é vendida nas cores branco ou azul, com preço sugerido de R$ 70.500.

(*) Viajou a convite da Triumph

Tags: terra asfalto freios visual eletrônica modernizada Estado de Minas Portal VRUM suspensões ajustáveis Triumph Tiger Explorer XCx 1200 Triumph Tiger XCx

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
19 de setembro de 2017
11 de setembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação