Pauleira no coração de Minas

34ª edição do Enduro da Independência testou os limites de mais de 300 pilotos

A Região Central de Minas Gerais abrigou pela primeira vez o Enduro da Independência, em um desafio com muitas pedras, poeira e calor, exigindo muita técnica e resistência dos pilotos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 11/09/2016 08:00 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
O piloto Jomar Grecco superou as dificuldades e foi o grande vencedor na categoria Master - Léo Corrosivo/TCMG/Divulgação O piloto Jomar Grecco superou as dificuldades e foi o grande vencedor na categoria Master
A 34ª edição do Enduro da Independência, que terminou quarta-feira, testou os limites dos mais de 300 pilotos de todo o Brasil e motocicletas. Com o tema Grande Sertão Veredas, percorreu a região trilhada pelo escritor Guimarães Rosa, além de trechos da Serra do Espinhaço, em uma área castigada pela seca, mas com veredas e rios teimosos, em um surpreendente contraste.

A prova teve largada em Curvelo, dentro do complexo do Circuito dos Cristais, em direção a Cordisburgo, cidade natal de Guimarães Rosa. De lá, passou por Paraopeba, antes de retornar a Curvelo. A poeira aumentou a dificuldade dos pilotos, que seguiam médias de velocidade indicadas na planilha de bordo. No segundo dia os pilotos largaram da cidade de Monjolos e o grau de dificuldade deu um salto, com subidas de cavas cheias de pedras e degraus, além de travessia de rios.
No terceiro dia eles partiram da cidade de Presidente Juscelino e foi decisivo no resultado final.

Seca e calor também foram adversários dos pilotos nos sertões da Região Central de Minas - Léo Corrosivo/TCMG/Divulgação Seca e calor também foram adversários dos pilotos nos sertões da Região Central de Minas
O percurso, além de ser o mais difícil da prova, também foi um dos mais quentes. O calor e a sucessão de trilhas longas e repletas de pedras, como a batizada de “labirintite”, exigiram técnica, persistência e um equipamento resistente. A travessia do Rio Paraúna funcionou como uma espécie de oásis.

População de Inimutaba parou para saudar os participantes do enduro no Centro da cidade - Léo Corrosivo/TCMG/Divulgação População de Inimutaba parou para saudar os participantes do enduro no Centro da cidade
O quarto e último dia da prova teve largada e chegada em Curvelo, com trilhas mais rápidas, mas também com muito calor e poeira. O percurso foi mais curto, para que os pilotos retornassem para a entrega de medalhas e premiação, depois de cerca de 600 quilômetros de desafios em quatro dias. Antes, porém, foram uma das atrações do desfile de 7 de Setembro na cidade de Inimutaba, em comemoração à Independência e que também batiza o enduro.
Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
19 de setembro de 2017
11 de setembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação