Indian Chief Classic resgata visual do passado, mas com tecnologia que revela seu lado moderno

Com para-lamas envolventes, muitos cromados e motorzão V2, modelo da lendária marca tem design clássico

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 21/08/2017 12:08 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Os discos de freio dianteiro e traseiro têm a mesma medida e são equipados com sistema ABS - Indian Chief/Divulgação Os discos de freio dianteiro e traseiro têm a mesma medida e são equipados com sistema ABS

Considerada a marca de motocicletas pioneira nos Estados Unidos, a Indian nasceu em 1901, produzindo bicicletas, que evoluíram para bicicletas motorizadas e depois para motos, que se transformaram em uma espécie de lenda. O sucesso veio com os motores do tipo V2, que registraram vários recordes de velocidade e a liderança de mercado, sempre duelando com a eterna rival e também americana, Harley-Davidson. Entretanto, nada disso foi suficiente para impedir o declínio nas vendas até o fechamento das portas na década de 1950, provocado pela invasão das motos inglesas, mais rápidas, leves e mais esportivas.


Alguns anos depois, foi a vez da invasão japonesa, com modelos ainda mais eficientes e de menor custo, criando um hiato que só seria revertido em 2011, quando a gigante igualmente americana, Polaris, que está no Brasil comercializando quadriciclos e UTVs, comprou o nome da marca, relançando mundialmente a Indian. Em 2015, a nova Indian desembarcou oficialmente no Brasil e, logo em seguida, passou a montar em Manaus, Amazonas, a sua linha, equipada com o tradicional motor de dois cilindros em V, incluindo o modelo Chief Classic, um dos mais emblemáticos de sua história, que conserva o estilo retrô e os para-lamas superenvolventes.

CABEÇA A Indian Chief foi lançada em 1922, projetada por Charles Franklin, ostentando no para-lama dianteiro a cabeça de um índio com cocar, que dá nome à marca. O modelo atual conserva o mesmo visual pioneiro, inclusive com a cabeça do índio, como que a guiar os rumos. O motor, que nasceu do zero, porém, é um enorme V2, batizado de Thunder Stroke 111, com 1.811cm³, acoplado ao câmbio de seis marchas, que fornece um colossal torque de 16,5kgfm a apenas 3.000rpm. Para proporcionar uma tocada empolgante, basta girar o acelerador, ignorando a marcha engatada, para receber um “empurrão”, embalado pelo som grave dos escapes longos e cromados.

O modelo Indian Chief 1200, ano 1946, tem lugar de destaque no Museu da Moto - Indian Chief/Divulgação O modelo Indian Chief 1200, ano 1946, tem lugar de destaque no Museu da Moto

Equipado com refrigeração a ar e óleo, quatro válvulas por cilindro e uma inclinação de 49 graus, tenta ser o mais parecido possível com o pioneiro e fornece uma potência (não declarada) de cerca de 130cv. A posição de pilotagem é típica do segmento, privilegiando o conforto. Banco bastante espaçoso, estilo selim, a apenas 660mm do chão, permitindo apoiar os dois pés na hora de parar. Em movimento, as generosas plataformas deixam as pernas mais esticadas. E o guidão bem largo, também deixa os braços esticados. Por outro lado, as suspensões exigem pisos mais lisinhos, para não maltratar os rins e a coluna do piloto.

O motor 1.8 de dois cilindros tem torque de caminhão trucado - Indian Chief/Divulgação O motor 1.8 de dois cilindros tem torque de caminhão trucado

Na dianteira, suspensão com garfo não invertido, com tubos de 46mm de diâmetro e 119mm de curso. Na traseira, sistema mono, com apenas 94mm de curso, mas regulagem na pré-carga, para ajuste com garupa, e bolsas que podem elevar o peso total para até 573kg de carga máxima. Com todo esse peso, apesar do esmerado quadro em alumínio, com a caixa do filtro de ar integrada ao conjunto, os freios também são dimensionados. Na dianteira, um duplo disco de 300mm, com pinças de quatro pistãos. Na traseira, o disco tem a mesma medida, mas pinça de dois pistãos. Um conjunto eficiente, equipado com sistema ABS.

Indian Chief/Divulgação

VISUAL O visual tem muitos cromados e pintura sóbria, variando entre o branco, o vermelho com detalhes em preto e o clássico preto. As rodas, que ficam quase cobertas, já variaram entre raiadas (mais originais, com pneus faixa branca) e de liga leve. O painel fica sobre o tanque e tem elementos digitais como conta-giros, além de indicador de temperatura ambiente, de marcha engatada, de nível de combustível e também o computador de bordo. Para ligar, uma chave inteligente, com sensor de presença, e para rodar o piloto automático. A Indian Chief Classic tem preço sugerido de R$ 69.900. Informações: (31) 3306-3000.

Tags: vrum rodas duas mascarenhas teo classic chief indian

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
19 de setembro de 2017
11 de setembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação