Aniversário - Admirável invento centenário

Há 100 anos a Ford iniciou a produção do Ford T, modelo que solidificou o modo de produção capitalista e popularizou o automóvel nos Estados Unidos e no resto do mundo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 01/10/2008 15:00 Caderno de Veículos /Estado de Minas
Linha de produção do Ford T, na fábrica de Detroit - AFP - 1/1/1924 Linha de produção do Ford T, na fábrica de Detroit
Aldous Huxley usa o ano de 1908 para descrever o início de uma era em Admirável mundo novo (1932). A ficção científica sempre busca fundamentos em fatos reais, mesmo que as especulações sobre o futuro possam parecer absurdas, quando pesam sobre elas o martelo da história. Porém, a escolha de Huxley é mais que justificada quando se sabe que, há 100 anos, começava a ser produzido o carro que mudaria a concepção que as pessoas tinham de mundo: O Ford T.



Fruto da mente e do empreendimento de Henry Ford, o carro inaugurou um modo de produção essencial para o capitalismo, o fordismo, que consiste na fabricação de veículos em série, passando pela linha de montagem, permitindo assim um processo rápido, eficiente e barato, que foi essencial para a popularização do automóvel no mundo. "Henry Ford e seu modelo T ajudaram a mudar a paisagem da América no século passado, tornando o automóvel acessível para o cidadão comum", disse Bill Ford, presidente da Ford e descendente de Henry, em comunicado da fabricante de Michigan.
Carreata de Ford T, em Richmond, Indiana, com cerca de 1 mil modelos. Judy e Bill Konvalinka participam da festa em Richmond. Modelo é um dos mais representativos na história da marca - Sam VarnHagen/Reuters - 25/7/08 Carreata de Ford T, em Richmond, Indiana, com cerca de 1 mil modelos. Judy e Bill Konvalinka participam da festa em Richmond. Modelo é um dos mais representativos na história da marca

Os números solidificam o sucesso do T, que quando deixou de ser produzido, em 1927, contabilizava 15.484.781 unidades, só superado pelo Volkswagen Fusca, depois de meio século de vida do besouro. O primeiro modelo foi vendido por US$ 825 e durante os 19 anos de produção teve seu preço reduzido, devido à melhora da eficiência na manufatura. Além disso, o modelo pode ser considerado o primeiro veículo mundial, pois em 1921 respondia por cerca de 57% da produção de automóveis do planeta. Os operários da Ford ganhavam US$ 5 por dia, o dobro das outras indústrias automotivas da época e podiam comprar um T com o equivalente a quatro meses de salário.

O T teve diversas versões ao longo de seus 19 anos de produção. A versão Touring Car, com cinco lugares; Town Car, de seis, e Landaulet, para sete passageiros. Havia também as versões Coupé e Runabout, de dois lugares. Além da fábrica de Detroit, o T foi produzido em diversos países, chegando a ser montado no Brasil, em São Paulo, em 1919. O Ford T difundiu-se de tal forma (em 1916 superou meio milhão de unidades) que alguns estados americanos providenciaram dois tipos de licenciamento: um para veículos com câmbio a pedal (o Ford T) e outro para os demais carros.

Motor
O Ford T em todas as suas versões tem motor dianteiro refrigerado a água, de quatro cilindros em linha, que gera potência de 20,2 cv a 1.600 rpm, com torque máximo de 11,4 kgfm a 900 rpm. O T alcança até 72 km/h e o consumo oscila entre 5 km/l e 9 km/l. Interessante ressaltar que o T já era flexível e também podia ser abastecido com álcool. Entretanto, como o preço do biocombustível não compensava, a maior parte adotava mesmo a gasolina.

Câmbio
O controle do câmbio do Ford T é um caso à parte e não tem alavanca de mudanças, pois Henry Ford era contra o uso da embreagem. São três pedais: o da esquerda engata primeira e segunda marchas, o do meio a ré e o da direita, o freio. Se apertado até o fim, o pedal esquerdo engatava a primeira; pela metade, o carro ficava em ponto morto, e com o pé totalmente levantado, o motorista aciona a segunda marcha. O freio de estacionamento, no estribo, também funcionava como uma espécie de embreagem.

Bigode
Para acelerar, o motorista usava uma alavanca na coluna de direção do lado direito do volante; do esquerdo, outra alavanca para ajustar o avanço da ignição. As duas alavancas são responsáveis pelo apelido brasileiro do T: bigode. Nos Estados Unidos o apelido do T é Tin Lizzie, algo próximo de "criada de lata". Entre os opcionais estavam itens para lá de prosaicos, como velocímetro e pára-brisa. Uma idéia da simplicidade é a famosa frase de Henry Ford: "O cliente pode escolher a cor que desejar, desde que seja preto".

FICHA TÉCNICA

Motor
Longitudinal, quatro cilindros em linha, 2 válvulas por cilindro, 2.896 cm³ de cilindrada, que desenvolve potência de 20,2 cv a 1.600 rpm e torque de 11,4 kgfm a 900 rpm

Câmbio
Manual, duas marchas, tração traseira

Freios
Cintas no câmbio

Suspensão
Dianteira e traseira, eixo rígido

Rodas
Aro 30 polegadas; pneus dianteiros, 3x30 pol; traseiros, 3,5 x 30 pol

Dimensões
Comprimento, 3,40 m; entre-eixos, 2,54 m; peso, 540 kg
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
20 de outubro de 2016
26 de agosto de 2016

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação