Estado de Minas

Orçamento »

Compra de caças para a Força Aérea Brasileira foi para o espaço

Aquisição dos aviões de combate que serão responsáveis pela vigilância aérea nacional ficará para o próximo presidente


Leandro Kleber - Correio Braziliense

Publicação: 08/12/2013 08:11 Atualização: 08/12/2013 08:27

Rafale F3 está na disputa (Dassault/Divulgação)
Rafale F3 está na disputa

Brasília –
A presidente Dilma Rousseff entrará no último ano do mandato sem comprar os tão prometidos caças que reforçariam a segurança nacional. O Orçamento de 2014 que tramita no Congresso Nacional não traz qualquer programação de recursos para a aquisição dos 36 aviões previstos no programa do Ministério da Defesa. Caso Dilma decida pela compra dos caças nos próximos 12 meses, o desembolso deverá ser feito apenas a partir de 2015 . A verba estimada para o Ministério da Defesa no próximo ano é questionada pelos militares. Em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado no começo de novembro, eles afirmaram, em nota técnica, que faltam mais de R$ 13 bilhões para as três Forças fazerem "o mínimo necessário" no ano que vem. Só para a compra das aeronaves o país deve desembolsar mais de R$ 10 bilhões.

Os finalistas do programa F-X2, seleção feita pela Força Aérea Brasileira (FAB), são os caças F18 Super Hornet, fabricados pela empresa norte-americana Boeing; o Rafale F3, produzido pela francesa Dassault, e o Gripen NG, proposto pela sueca Saab. De acordo com a proposta orçamentária de 2014, a pasta chefiada por Celso Amorim terá pouco mais de R$ 8,4 bilhões para investimentos. O valor é um pouco maior do que os R$ 8,1 bilhões previstos para 2013, mas está muito aquém das necessidades da área, que ainda sofre com bloqueio de recursos (contingenciamento) imposto pela equipe econômica de Dilma. A Defesa prevê aplicar R$ 87 milhões, por exemplo, com a aquisição de sistemas de artilharia antiaérea.

Os militares avaliam que a decisão de comprar os caças não está mais nas mãos da Defesa. Eles dizem que cabe agora à presidente indicar qual das três empresas será a parceira estratégica do país, que já sofre com sucateamento na área. Neste mês, os caças Mirage, que compõem o aparelhamento brasileiro de segurança ao lado do F5 e dos supertucanos, serão aposentados. O espaço aéreo brasileiro será vistoriado pelos F5, uma situação temporária longe da ideal, confessam os militares. A compra dos caças não é considerada uma operação simples, pois ainda envolve a transferência de tecnologia e um índice de produção nacional, além de gerar obrigações contratuais durante um longo período. Mas, apesar de cara, é avaliada pelos militares como uma compra necessária para a proteção do território nacional. O país tem uma fronteira com quase 16,9 mil quilômetros de extensão, sendo 7,4 mil quilômetros de linha seca e 9,5 mil de rios, lagos e canais.

Clique para ampliar
Clique para ampliar


Pressão O relator-geral do Orçamento de 2014, Miguel Corrêa (PT-MG), admite que não existe qualquer previsão para a compra dos caças no próximo ano. Segundo ele, a aquisição não está prevista no texto porque "não é prioridade para o governo brasileiro neste momento". O deputado afirmou que a defesa é a área que mais sofre pressão por mais recursos. "Disparada, é a área em que mais houve pressão. Está longe do segundo lugar entre os pleitos mais solicitados", conta. Segundo Côrrea, todos os dias ele recebe até seis telefonemas de pessoas do setor que lhe pedem para incluir mais verba em projetos considerados estratégicos. "Já previmos investimentos para os programas Astros (produção de míssil e foguete guiado) e Guarani (projeto do Exército para aquisição de blindados). As emendas, principalmente de bancadas e de comissão, contemplaram bem a área da defesa", explicou Corrêa.

Para Gunter Grudzit, especialista em segurança internacional e professor de relações internacionais da Faculdade Rio Branco, a situação fiscal atual vivida pelo país prejudica a escolha brasileira. Porém, ele ressalta que se a presidente Dilma tomar a decisão nos dias de hoje, o pagamento só irá ocorrer futuramente. "Essa decisão já poderia ter sido tomada há mais tempo, quando a economia estava melhor. Não teria impacto negativo (como hoje)", diz. Grudzit acredita a que a presidente estava inclinada a fechar o negócio com a Boeing, dos americanos, mas depois de um questionamento judicial nos Estados Unidos contra uma vitória da Embraer em uma licitação de venda de caças leves e da revelação da espionagem de autoridades brasileiras o negócio ficou "impossível" de ser concluído agora.

 

Cronologia

» Anos 1990
A discussão em torno da compra de caças pelo Brasil começa ainda no governo Fernando Henrique Cardoso. O projeto tinha o nome de F-X e previa a substituição da frota, considerada obsoleta.

» 2003
O então presidente Lula assume o governo e suspende o programa F-X.

» 2007
Governo lança novo projeto para a compra de caças, chamado de FX-2. A ideia era adquirir 36 aviões.

» 2008
Três fabricantes são finalistas do processo de escolha: Dassault, da França, com os caças Rafale F3; SaaB-BAE, da Suécia, com os Gripen NG; e Boeing, dos EUA, com os caças F18 Super Hornet.

» 2009
No desfile da Independência, o então presidente Lula anuncia, em comunicado produzido em conjunto com o então presidente da França, Nicolas Sarkozy, a abertura de negociação para a aquisição dos Rafale F3. A informação surpreende todos os participantes do processo porque significa o encerramento do programa FX-2. Depois do mal-estar, o governo foi obrigado a declarar que o procedimento ainda estava em andamento e com os outros países na disputa.

» 2013
A presidente Dilma Rousseff ainda não decidiu com quem o país irá fechar negócio.

 

 

Três países na disputa

 

Para conquistar os brasileiros, os americanos defendem que o Super Hornet é acessível, representa baixo risco e está em operação na Marinha dos Estados Unidos e na Real Força Aérea Australiana. De acordo com a Boeing, o Super Hornet acumula mais de 1 milhão de horas de voos, sendo que mais de 168 mil em combate. Os americanos argumentam ainda que se trata da maior empresa aeroespacial do mundo, com vasta rede de fornecedores e acesso aos mercados globais e de defesa dos Estados Unidos.

Já os suecos sustentam que o Gripen NG é um dos caças multiemprego mais avançados do mundo e que a versatilidade dele "é a chave para enfrentar e derrotar qualquer ameaça ao Brasil, presente ou futura". De acordo com o projeto específico para a defesa brasileira, as armas da aeronave são precisas e teleguiadas, podendo atacar e destruir alvos aéreos, marítimos e terrestres , 24 horas por dia, em qualquer condição meteorológica.

Na próxima quinta-feira, o presidente da França, François Hollande, vem ao Brasil pela primeira vez desde que tomou posse para participar de solenidades na área de educação. A França é, atualmente, um dos principais parceiros estratégicos do Brasil no setor de defesa e espera fechar a parceria com os seus jatos Rafale. A Índia, que intregra os Brics a exemplo do Brasil, concluiu uma concorrência no ano passado para aquisição de 126 caças para sua força aérea, vencida pelos franceses. A reportagem encaminhou perguntas ao Palácio do Planalto para saber se a compra será realizada no ano que vem, se o modelo dos caças já havia sido escolhido e por que, até hoje, o país não os adquiriu. Porém, até o fechamento desta edição o órgão não tinha se manifestado.
 

Esta matéria tem: (18) comentários

Autor: Marcio Correa Filho
Bom, uma coisa é certa... Se escolherem material frances estaremos condenados... Se escolherem o lixo frances, será melhor pensarem em arrumar uma rota de fuga do Brasil... Até o Paraguay poderá nos invadir!!! A frança não consegue fazer um avião comercial que preste quanto mais um avião de guerra! | Denuncie |

Autor: joao silva
Adoro fascistinhas de internet!! Vou citar Bezerra: "Você com revólver na mão é um bicho feroz (Feroz) Sem ele anda rebolando e até muda de voz". kkkk | Denuncie |

Autor: watchtowerbrasil watchtowerbrasil
E por falar nisso.... de quem éont a cocaína encontrada no helicóptero dos Perrela? se não é deles, onde está o dono? porque pararam de falar no caso? que país é esse que quer comprar aviões, mas não põe os bandidos na cadeia, principalmente quando são políticos. | Denuncie |

Autor: Fernando Carvalho
Todo país do mundo tem que ter o poder militar e gastar dinheiro para mantê-lo. Pena que o dinheiro de nossos impostos vão pro bolso de privilegiados e pro bolso de alguns que não gostam de trabalho, bolsa familia, bolsa estrupo, bolsas e bolsas... enquanto o poder militar vai sendo sucateado e você que é honesto se ferra trabalhando duro... | Denuncie |

Autor: Eduardo Guimarães
O Brasil não passa de um gatinho manso em relação aos outros países, enquanto vizinhos nossos se armam até os dentes, não temos condições de enfrentar qualquer invasor, somos uma presa fácil para qualquer país mal intencionado! Temos que nos armar para proteger nossa soberania. | Denuncie |

Autor: Ricardo Scz
Adaptando as palavras do Ronan Melo Absurdo! Gastar dinheiro com corrupção! O Brasil tem prioridades mais urgentes, como aviões de guerra. É a única forma de garantir a Paz no século XXI. Pela valorização das forças armadas que, quando puderam, limparam o país. Triste democracia frágil e corrupta. | Denuncie |

Autor: Ronan Melo
Absurdo! Gastar dinheiro com armas de guerra! O Brasil tem prioridades mais urgentes e aviões de guerra não estão entre elas. O século XXI pede Paz e o principal investimento deve ser em diplomacia. Pelo fim das forças armadas que, quando puderam, se voltaram contra o povo brasileiro. Triste 1964! | Denuncie |

Autor: Antonio Ferreira
Eu acredito que o Brasil em condição de fazer e construir tudo basta ter boa vontade e um pouquinho mais de nacionalismo por parte de nossos governantes. Vamos acionar nossos cérebros para pequisar,trabalhar,criar,etc. | Denuncie |

Autor: Antonio Ferreira
.....Do jeito que nosso país é rico em recursos naturais comprar material defesa dos outros é mesma coisa que nada. | Denuncie |

Autor: Antonio Ferreira
Acho que o governo deveria investir mais em pesquisa e tecnologia. Deveria fazer uma parceria com a Embraer para construir nossas proprias aeronaves. Se for verdade mesmo que o país ja constroi submarinos porque não construir nossas proprias aeronaves e armamentos de defesa. Do jeito ..... | Denuncie |

Autor: Andre Lemos
E ONDE ANDA NOSSAS FORÇAS ARMADAS, TÃO RESPEITADAS PELO POVO.??? AQUARTELADOS???TODA DEMOCRACIA TAMBÉM TEM UMA FORÇA MILITAR ATUANTE, E MUITO. OS NOSSOS MILITARES TÃO CULTOS,ABAIXARAM A CABEÇA PARA ESSA IMUNDICE QUE SE INSTALOU NO PAIS,COM O NOME DE PT???MUDA BRASIL!CHEGA!CANSOU | Denuncie |

Autor: Paulo Costa
Bem que alguém poderia aproveitar a fraqueza da nossa defesa e bombardear o Planalto e o Congresso, ambos lotados, é claro. A maior parte dos problemas brasileiros estaria resolvida. | Denuncie |

Autor: joao silva
O Brasil precisa urgentemente desses caças !! Vamos tomá-los e reduzir Brasília a canjiquinha !! Agora menos jocosamente fiquei sem entender a "reportagem" e os comentários. Então precisamos de armas? sei. A da reserva cambial foi genial. | Denuncie |

Autor: Luiz Eduardo
Como tem comentarista que fala bobagem. Tem gente até questionando o uso das reservas cambiais para compra de caças. Aí já é demais!!! | Denuncie |

Autor: Antonio
Essa conversa fiada está desde o início do desgoverno lula. É igual às mentiras sobre verbas para o metrô de BH (o pouco que viria, ele a a Dilma (mineira de mentirinha) transferiram para Recife. Acabaram com as Forças Armadas e a motivação do pessoal. Um motorista do senado ganha que um Coronel ! | Denuncie |

Autor: Eduardo Bonfim Machado
Basta acompanhar os temas. Cadê a reserva cambial? Com os rombos na Petrobrás, gastos com empreiteiras na copa (itaqueirão), congresso e cia...o que era projeto de emergente, virou sucatão do AMX. Dá-lhe copa!! | Denuncie |

Autor: Nil matrix matrix
O Governo do PT não sabe planejar. Passaram anos só no blá,blá,blá. Na hora de vamos ver, ficam perdidos. Governo fraco. | Denuncie |

Autor: Antonio Alves Diniz Filho
Como pode um país de extensão tão vasta não preocupar com sua defesa aérea. A incompetência administrativa de nossos governos há anos esta estampada neste fato. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas de particular
    ofertas em destaque