Estado de Minas

Manutenção »

Aprenda a detonar os pneus do carro em 10 lições

Para aqueles que não se preocupam com a durabilidade dos pneus, vão aqui algumas dicas que aceleram o processo de desgaste das bolachas de borracha, que custam caro


Enio Greco - Estado de Minas

Publicação: 19/02/2014 08:50 Atualização: 19/02/2014 08:56

O ideal é conferir a calibragem semanalmente ou no máximo a cada 15 dias (Bridgestone/Divulgação)
O ideal é conferir a calibragem semanalmente ou no máximo a cada 15 dias

Tem cidadão que não tem amor ao bolso e trata os pneus do carro como um sapato velho. São aqueles que nunca se preocupam com a calibragem, catam os buracos pelas ruas, não lembram do alinhamento, balanceamento e rodízio, e ainda sobrecarregam o carro, provocando o superaquecimento da borracha. Faça um exame de consciência e veja se você é um verdadeiro detonador de pneus.

CALIBRAR, PRA QUÊ? A primeira providência básica para encurtar o prazo de convivência entre os pneus e o seu carro é ignorar solenemente aquela história de calibrá-los semanalmente. Se você é daqueles que lembram da calibragem só quando faz a viagem de férias com a família, é forte candidato ao título de detonador de pneus do ano.

CHEIÃO Calibrar o pneu com pressão muito acima do recomendado pelo fabricante é uma forma de garantir desgaste acentuado na parte central da banda de rodagem. Além disso, o pneu fica mais suscetível a estouro quando a roda passar por um buraco com quina.

MURCHÃO A preguiça de ir ao posto para calibrar deixou os pneus do carro murchos, com barrigas nas laterais. É situação propícia para desgastar prematuramente os ombros dos pneus, além de comprometer a dirigibilidade do carro, deixando a direção mais pesada.

DEFORMADO Quer danificar a carcaça dos pneus sem dó, provocando deformações ou rasgos nas bandas laterais ou de rodagem? Dirija sem atenção, passando por buracos ou por cima de objetos cortantes. É tiro e queda! Mas você também pode prensar o pneu contra o meio fio quando estaciona em uma descida. É uma boa forma de danificar a estrutura e até mesmo colaborar para esvaziar o pneu.

O alinhamento da direção e o balanceamento das rodas ajudam a preservar os pneus (Eduardo Rocha/RR - 08/03/04)
O alinhamento da direção e o balanceamento das rodas ajudam a preservar os pneus


QUADRADO Deixar o carro parado por alguns meses na garagem também é garantia de detonação dos pneus. Eles acabam ficando com a base achatada, quadrada, e dificilmente retomam o formato original, resultando em um rodar desconfortável e desbalanceado.

NERVOSINHO
Se você é daquele tipo de motorista metido a piloto, que gosta de arrancadas acompanhadas de cantadas de pneus, fazer curvas em altas velocidades e dar freadas bruscas desnecessárias com o carrão, certamente está contribuindo para o desgaste prematuro das bolachas de borracha.

PESADO Outra forma de contribuir com o desgaste acelerado e a deformação dos pneus é sobrecarregar o carro com frequência, ultrapassando o limite de carga útil determinado pelo fabricante. A sobrecarga superaquece os pneus, aumentando as chances de danos.

Prensar o pneu contra o meio fio é uma boa forma de danificar a estrutura  (Tulio Santos/EM/D.A Press - 04/05/2011)
Prensar o pneu contra o meio fio é uma boa forma de danificar a estrutura


CARNE OU BORRACHA?
Aqueles que acham que rodízio só existe em churrascarias ou pizzarias também contribuem no processo de detonação dos pneus. Esquecer do rodízio dos pneumáticos é uma boa maneira de impedir que o conjunto apresente um desgaste uniforme, prolongando a durabilidade.

CUIDADO ONDE PISA E para fechar a fatura e acabar de detonar os pneus, deixando-os ressecados ou corroídos, basta estacionar sobre óleo, solventes ou qualquer derivado de petróleo. Aquele famoso “pretinho”, que deixa o pneu bonitinho, também pode conter substâncias nocivas à borracha.

TEM QUE ALINHAR? Sua vida está muito atribulada e você não tem tempo de lembrar da manutenção do carro, muito menos de fazer o balanceamento das rodas e alinhamento da direção, pelo menos a cada cinco mil quilômetros. É a condição ideal para promover o desgaste prematuro e irregular dos pneus, que podem pedir substituição muito antes do prazo que seu bolso desejaria.

 Aqueles que acham que rodízio só existe em churrascarias ou pizzarias, a falta desse também contribui no processo de detonação dos pneus (Jair Amaral/EM/D.A Press -  14/06/2011 )
Aqueles que acham que rodízio só existe em churrascarias ou pizzarias, a falta desse também contribui no processo de detonação dos pneus

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: mauro almeida
Rodei mais de 120 mil km com o carro neste intervalor 3 trocas de pneus e 3 alinhamento/balanceamento, detalhe não faço rodizio, o dianteiro quando acaba coloco novos | Denuncie |

Autor: marcus cardoso
Palio com 5.000 km rodados, levei pra alinhar e balancear r$120.00 aí vem a tal da cambagem , mais r$80,00 cada lado.......quanta picaretagem........deviam fazer uma reportagem a respeito disso......... | Denuncie |

Autor: Aldo Gouvea Bragança
Fazer o balanceamento das rodas e alinhamento da direção, pelo menos a cada cinco mil quilômetros, deve ser recomendação dos proprietários de oficina, pode até economizar um pouquinho de pneu mas vai gastar uma fortuna no alinhamento, a cada ida inventam um monte de coisas a fazer no carro. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas de particular
    ofertas em destaque