Estado de Minas

Nostalgia »

Kombi tunning amarela chama atenção em Belo Horizonte

Mineiro modifica utilitário clássico para encontros de Volkswagen e viagens pelo interior


Thiago Ventura - Portal Vrum

Publicação: 27/02/2014 10:40 Atualização: 27/02/2014 11:34

Seis meses de preparação para deixar Kombi 1975 com detalhes exclusivos (Thiago Ventura/EM/D.A Press)
Seis meses de preparação para deixar Kombi 1975 com detalhes exclusivos

O modelo chama atenção por onde passa e o motivo não é apenas pelas linhas clássicas projetadas na década de 50. Com pintura saia e blusa em tom sobre tom amarelo, a Volkswagen Kombi 1975 tem até nome e é o xodó do seu dono, o bancário Geraldo Santos.

VEJA FOTOS DA KOMBI 1975

“Bárbara”, como é conhecida pelos mais íntimos, possui rodas de liga leve 14”, bancos de couro e som potente. O salão não possui a fileira central de bancos, sobrando amplo espaço. O diferencial surge nesse ponto: teto solar elétrico para refrescar os passageiros.

O processo de preparação do modelo levou seis meses, sendo que alguns dos itens foram iniciados pelo antigo proprietário. O motor 1500 original foi retirado e restaurado pelo bancário, que ganhou alguns elementos novos e recebeu pintura peça por peça, trabalho manual que rendeu até para a esposa do antigomobilista.

Antes da Kombi, Geraldo já teve outros dez Fuscas. Além do utilitário, ele ainda mantém um Fusca 1978 1500 e um Fusquinha 1981 1300. “Resolvi fazer a Kombi para ser uma novidade na minha garagem, além de matar um desejo de infância: quando criança, em Sete Lagoas, o pai de um amigo tinha uma dessas e nos finais de semana passeava no carro com a família dele”, relembra.

Visual da Pampulha do interior e janelas split da Kombi (Thiago Ventura/EM/D.A Press)
Visual da Pampulha do interior e janelas split da Kombi


Presença carimbada e encontros de Fuscas e antigos em Belo Horizonte, a Kombi Bárbara também viaja para cidades no interior do estado. “Virou uma pérola para mim. Gosto de andar na orla da Lagoa da Pampulha nos finais de semana. Já fui até Pirapora e voltei no dia seguinte, uma viagem total de 700 km, apenas pelo prazer viajar no modelo”, conta. “O carro é bem assediado, o que é uma satisfação pelo cuidado que temos e por eu mesmo ter preparado, incluindo pintura e mecânica”, diz.

Som de qualidade instalado no 'chiqueirinho' da Kombi (Thiago Ventura/EM/D.A Press)
Som de qualidade instalado no 'chiqueirinho' da Kombi


Um dos apelidos da primeira geração da Kombi é “vovozinha”. Daí o nome desse modelo, “Bárbara”, bisavó do proprietário. “Não tem conforto algum em relação aos carros modernos. Anda devagar, mas é muito gostosa de dirigir”, conclui. Entre as próximas alterações no modelo, o bancário planeja colocar rodas de liga leve aro 17 e rebaixar a suspensão. 

Teto solar para refrescar os passageiros  (Thiago Ventura/EM/D.A Press)
Teto solar para refrescar os passageiros
 (Thiago Ventura/EM/D.A Press)
 (Thiago Ventura/EM/D.A Press)
 (Thiago Ventura/EM/D.A Press)
Motor foi desmontado e teve peças repintadas uma por uma (Thiago Ventura/EM/D.A Press)
Motor foi desmontado e teve peças repintadas uma por uma
 (Thiago Ventura/EM/D.A Press)

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: jorge aparecido dutra
A Kombi 1975 possuia duas janelas nas cantoneiras traseiras, era a série com "15 janelas", essa ai não é original e nem era essa a intenção do proprietário, que caprichou na reforma... ficou muito legal, tá de parabéns! | Denuncie |

Autor: Marcelo bretas da silva
A Kombi do Geraldo faz muito sucesso nos encontros do Clube do Fusca. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas de particular
    ofertas em destaque