Tirando da reta

Concessionária da Toyota empurra problema com Corolla para outra empresa

Revenda da marca japonesa não honra garantia de Corolla com pneus defeituosos e orienta cliente a procurar atendimento na rede Pirelli. Prática vai contra a lei

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 19/03/2014 07:51 / atualizado em 19/03/2014 08:54 Pedro Cerqueira /Estado de Minas

Conforme laudo da Pirelli, os pneus do Corolla de Carlos Amorim não apresentam imperfeições decorrente do processo produtivo
 - Jair Amaral/EM/D.A Press Conforme laudo da Pirelli, os pneus do Corolla de Carlos Amorim não apresentam imperfeições decorrente do processo produtivo

Quando o comerciante Carlos Augusto de Amorim Felicíssimo percebeu que os pneus do seu Toyota Corolla estavam se desgastando de maneira anormal, levou o veículo à concessionária Rodobens, em Belo Horizonte. Porém, em vez de analisar o caso para tentar resolver o problema, a autorizada da Toyota encaminhou o cliente para o atendimento da Pirelli, marca dos pneus defeituosos. Apesar de ter estranhado, o comerciante ligou para o Serviço de Atendimento ao Consumidor da Pirelli, que direcionou a análise dos pneus para uma revenda autorizada da marca.


“O técnico realizou uma análise muito simples, colocou o carro num elevador e foi olhando os pneus sem usar qualquer equipamento. Depois ele se negou a trocá-los”, conta Carlos. De acordo com o advogado Geraldo Magela Freire, especialista em direito do consumidor, esse procedimento está errado. “Ninguém vai a uma concessionária para comprar um amontoado de peças. Ao comprar um veículo você está comprando uma unidade. Então, o cliente não tem obrigação de procurar pelo fornecedor da peça defeituosa, quem tem obrigação de reparar o erro é o fabricante”, explica o advogado.

ESCAMANDO

Entre os 11 mil e os 12 mil quilômetros rodados, o proprietário começou a notar que os pneus do veículo estavam apresentando um desgaste anormal. “A banda de rodagem dos pneus Pirelli P7 estavam escamando e, na lateral, a borracha estava ressecada”, explica. O processo de desgaste foi aumentando e, com 14 mil quilômetros rodados, Carlos Augusto levou o veículo à autorizada, onde foi orientado a procurar pelo SAC da Pirelli.

VEJA FOTOS DO NOVO TOYOTA COROLLA!


Basta chegar perto dos pneus para verificar que existe uma escamação, concentrada principalmente nas laterais da banda de rodagem. Ao atritar a unha no ombro dos pneus, a borracha parece estar se esfarinhando, se acumulando na unha. O componente também apresentou desgaste acentuado para a quilometragem que rodou, visto que, de acordo com Carlos, o veículo é usado apenas por sua esposa e sem qualquer sobre-esforço dos pneus. Apesar disso, o laudo emitido pela revenda da Pirelli estabelece que “a análise evidenciou que o pneu encontra-se dentro dos padrões normais de fabricação, sem quaisquer degradações ou imperfeições decorrentes do processo produtivo”.

Jair Amaral/EM/D.A Press


SEM GARANTIA


Depois que a reportagem entrou em contato com a Toyota, a concessionária Rodobens resolver substituir os pneus dianteiros do Corolla “como cortesia”. Com esse procedimento pode até parecer que o problema foi resolvido. Mas por trás desta cortesia se esconde o fato de que o serviço não foi feito em garantia, já que não foi a Toyota quem realizou a troca.


Os pneus recolhidos serão analisados pela Toyota. “Acho que o justo seria trocar os quatro pneus. Mas, para acabar logo com essa história, a troca dos pneus dianteiros já está de bom tamanho”, disse Carlos Augusto. De acordo com a Toyota, o procedimento adotado pela concessionária foi errado. O correto seria levar o caso para o fabricante, o que não foi feito, mas nunca para o fornecedor da peça (a Pirelli).

"Acho que o justo seria trocar os quatro pneus. Mas, para acabar logo com essa história, a troca dos pneus dianteiros já está de bom tamanho", disse Carlos Augusto.

Tags: problema

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Geraldo
Geraldo - 19de Março às 08:24
É o famoso "jogo do empurra", ou seja, você comprou, você que se lasque. Enfim, isso tudo é fruto dos "bons legisladores" que temos aqui no Brasil.
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
02 de setembro de 2015
01 de setembro de 2015