Estado de Minas

Sem-teto »

Saiba quais os cuidados para proteger carros que ficam expostos ao tempo

Automóvel que fica exposto ao tempo está sujeito à ação de diferentes elementos, que podem danificar a pintura, ressecar borrachas e plásticos, causando grande prejuízo


Enio Greco - Estado de Minas

Publicação: 16/04/2014 09:50 Atualização: 16/04/2014 09:57

Exposição excessiva ao sol e chuva pode causar danos irreversíveis (Enio Greco/EM/D.A Press - 7/3/07
)
Exposição excessiva ao sol e chuva pode causar danos irreversíveis

É cada vez mais comum as pessoas encontrarem dificuldade para estacionar seus carros em vagas cobertas, seja em suas residências, no trabalho ou em locais públicos. Diante disso, os veículos ficam sujeitos a uma série de ações que acabam resultando em algum tipo de dano, o que certamente vai gerar prejuízo. Saiba quais são esses agentes do mal que detonam os carros expostos ao tempo por longos períodos, e veja o que fazer para se proteger dos mesmos.

Nem sempre se consegue comprar ou alugar um imóvel que tenha o número de vagas de garagem cobertas suficiente para acomodar os carros da família. E a situação se repete também no trabalho e até em estacionamentos pagos, já que muitos disponibilizam apenas vagas descobertas. Não é a situação ideal para quem se preocupa em preservar a aparência e prolongar a durabilidade do automóvel.

 

BRONZEADO Em um país tropical como o Brasil, o sol escaldante acaba sendo um terrível vilão para o carro que fica horas por dia exposto ao tempo. A intensa exposição aos raios UV danificam a pintura, provocando ressecamento do verniz e microrrachaduras, deixando o veículo com aparência envelhecida, desgastada. E o calor em excesso não danifica apenas a pintura. As partes plásticas também ficam ressecadas e, nos casos extremos, o painel chega a rachar, e o tecido que reveste os bancos fica com aparência de queimado.

ENCAPADO Para proteger o carro da ação do sol, algumas pessoas recorrem ao uso de capas. Especialistas alertam que é preciso ter cuidado na escolha do material, pois dependendo da qualidade da capa ela pode arranhar a pintura ou até mesmo derreter e grudar na carroceria. Existem no mercado capas térmicas, com o interior revestido, que protegem mais e evitam arranhões. Mas, de qualquer forma, não é bom deixar o carro coberto por muito tempo, pois o excesso de calor pode gerar umidade, em determinadas situações, trazendo danos ao carro.

BRILHANDO Outra forma de amenizar a ação dos raios UV sobre a pintura do carro é procurar mantê-la sempre protegida por ceras de boa qualidade. Existem algumas que, além de dar brilho, filtram os raios solares, evitando o ressecamento do verniz e da tinta. Para os painéis de plástico existem produtos que removem poeira e hidratam, sem deixar a aparência gordurosa. Já os revestimentos de couro pedem hidratantes, que evitam aquelas pequenas rachaduras e o desgaste prematuro.

GRANIZO Além do sol, a natureza pode castigar o carro que fica muito tempo na rua de outras formas. Uma chuva normal, mais branda, pode ser inofensiva, mas se for uma tempestade de granizo a carroceria certamente vai ficar toda marcada. E se isso acontecer, pode preparar o bolso, pois o serviço de martelinho de ouro não custa barato. Vale lembrar também da chuva ácida, carregada de poluição, que traz ingredientes que ajudam a danificar a pintura, comprometendo seu brilho e proporcionando condições para que surjam vários pontos de ferrugem.

LAVE-ME A poeira excessiva também é um vilão que deteriora a pintura e as borrachas do seu automóvel. Aquele que fica constantemente empoeirado está mais sujeito a arranhões, com aparência ruim. Portanto, nesses casos o ideal é lavar o carro periodicamente, evitando que a poeira se acumule.

MADEIRA! Muitas pessoas se enganam, acreditando que estacionar carro debaixo de árvores vai proteger do sol e da chuva. Ledo engano! No caso de uma tempestade, o vento ou os raios podem derrubar galhos e até mesmo a árvore sobre o carro, causando um prejuízo bem grande. Sem falar na substância que algumas árvores liberam, que fica impregnada na pintura e dá um certo trabalho para ser removida. Às vezes, só é removida com cera ou polimento.

DO CÉU Diz o ditado que o que vem de baixo não nos atinge, mas não se pode dizer o mesmo do que vem de cima. Carros parados na rua são alvos preferidos dos pássaros, que parecem ter predileção por bombardeá-los com fezes. Saiba que o aparentemente inofensivo cocô do passarinho traz uma substância corrosiva que detona o verniz e a pintura do carro, por isso deve ser removido o mais rápido possível. Se você esqueceu de limpar e deixou secar, jogue água em abundância para amolecer as fezes e depois remova com cuidado. Se a mancha não sair, aplique uma camada de cera.

PURA INVEJA Carro estacionado na rua, sem proteção, está sujeito também à ação dos invejosos de plantão, aqueles que não se contentam em ver o patrimônio do próximo em bom estado. Com isso, se apropriam de algum tipo de ferramenta e arranham a pintura de fora a fora, causando um prejuízo considerável.

BARBEIRAGEM Por fim, se seu automóvel fica sempre exposto ao tempo, estacionado em locais desprotegidos, aumenta-se o risco de ele ser alvo de um motorista barbeiro, que pode esbarrar nele ao fazer uma manobra e ir embora sem dar satisfação. Portanto, vale a pena fazer as contas e incluir no orçamento mensal o preço de um estacionamento coberto e seguro, pois, se considerarmos todas essas possibilidades de danos, o prejuízo para fazer os reparos pode ser muito maior.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: helvecio sa
ALÔ ENIO GRECO, QUE REPORTAGEM EM? NÃO ENTENDI BULUFAS NENHUMA, PELO QUE PARECE, VOCÊ É UM PÉSSIMO REPORTER. ESSA SUAM MATÉRIA É UMA VERDADEIRA MERCA: ENTÃO MEU CARO QUAL A SOLUÇÃO DO PROBLEMA? QUIAS OS CUIDADSOS? VOCÊ NÃO MENCIONOU NENHUM. ESSA BALELA QUE VOCE DISSE, TODOS JÁ SABEM QUAL A OUTRA? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas de particular
    ofertas em destaque