Estado de Minas

MANUTENÇÃO »

Carros parados por muito tempo necessitam de cuidados especiais

Vai deixar o carango parado por algum tempo? Confira os cuidados que devem ser tomados para, na volta, não encontrá-lo em mal estado e com avarias permanentes


Pedro Cerqueira - Estado de Minas

Publicação: 28/05/2014 20:06 Atualização: 29/05/2014 08:48

Alguns componentes da embreagem e até do freio podem ficar colados caso o veículo fique muito tempo parado (Fotos:Divulgação)
Alguns componentes da embreagem e até do freio podem ficar colados caso o veículo fique muito tempo parado
Carro foi feito para rodar. Mas, em certas ocasiões, como em longas férias ou temporadas no exterior, é impossível levá-lo na mala. Se não dá para deixá-lo aos cuidados de alguém de confiança para rodar ao menos alguns quilômetros a cada quinze dias, vale cercar-se de alguns cuidados para que o “abandono” não resulte num belo de um prejuízo. Se você não acredita, saiba que deixar o carro parado por um mês já pode resultar em pequenos inconvenientes. Com muito tempo sem rodar, os pneus podem acabar ficando “quadrados”, os sistemas de embreagem e freio colados, o ar-condicionado perde a eficiência, a gasolina vence e a bateria vai ficar sem carga, o que pode desprogramar algumas funções importantes do veículo.

Quem já deixou o carro sem usar por algumas semanas, esquecido na garagem, sabe que o carango é genioso e não gosta e ficar parado. Vale destacar que os automóveis são projetados para circularem com frequência e, por isso, se ficam estacionados por muito tempo, começam a gerar vários problemas. Preste atenção a algumas dicas para que ele esteja inteirão e à sua espera na garagem. Que cuidados são esses? Bom, depende do tempo que você vai deixá-lo parado, veja só:

UMA SEMANA Se você é daqueles que só usam o carro no fim de semana, não precisa adotar qualquer cuidado especial.

UM MÊS Geralmente, não ocorrem maiores problemas, mas vale acrescentar algumas libras a mais nos pneus antes de deixar o carro guardado para que ele não fique “achatado” na parte em contato com o chão. Ao voltar a rodar com o carro, não deixe de calibrar os pneus com a pressão recomendada pelo fabricante. Dependendo da lista de equipamentos do veículo, a demanda por energia pode chegar a descarregar a bateria. Portanto, fique atento para a possibilidade de desligar a bateria, desconectando o cabo negativo. Atenção, pois, ao ligar novamente a bateria, algumas funções do veículo terão que ser reprogramadas. Se o veículo ficar exposto ao tempo, é recomendável usar uma capa para proteger a pintura e os vidros. Antes de colocá-la, o carro deve ficar bem limpo e seco. Se a capa for muito áspera, vale colocar entre ela e a carroceria uma cobertura em tecido.

MAIS DE UM MÊS Se possível, peça para alguém dar uma rodada com o carro a cada 15 ou 30 dias. Isso vai recarregar a bateria, colocar os pneus para se “exercitar” e movimentar os fluídos, como óleo e combustível. Nada de dar aquela ligadinha por alguns minutos, já que assim a bateria não vai recuperar a carga e o óleo do motor dificilmente atingirá a temperatura ideal de funcionamento. Mas se não é possível rodar com o carro, será preciso adotar uma série de cuidados: desligue a bateria para não deixá-la descarregar; evite usar o freio de estacionamento para não grudar a pastilha ao disco ou a lona ao tambor (claro que, para fazer isso, o local deve ser plano e o dono não deve esquecer de calçar o veículo e engrená-lo); abasteça o tanque e o tanquinho com gasolina Podium, que tem maior prazo de validade; e calibre os pneus com 20% a mais de pressão do que a recomendada no manual, para evitar que eles fiquem deformados.
Com o passar dos meses, os pneus vão ficando 'quadrados', problema solucionado com a colocação de cavaletes
Com o passar dos meses, os pneus vão ficando 'quadrados', problema solucionado com a colocação de cavaletes


SEIS MESES OU MAIS Se for por um período tão longo, é preciso ficar atento para evitar problemas permanentes e tomar alguns cuidados fundamentais. Para preservar os pneus, coloque o carro sobre cavaletes. Nesse caso, é melhor manter o mínimo de combustível, ou seja, apenas o necessário para dar a partida e levar o carro para reabastecer. Se a embreagem ficar sem ser acionada, existe a possibilidade de o sistema (disco e volante) grudar. Por outro lado, deixar a embreagem acionada (com um peso em cima do pedal, por exemplo) causaria a fadiga da mola. Troque o filtro e o óleo do motor. Para evitar o ressecamento dos anéis de vedação do circuito do ar-condicionado, que levaria ao vazamento do gás, é recomendado ligar o sistema pelo menos uma vez por mês. Se isso não for feito, é possível que o problema ocorra e gere uma despesa inesperada de manutenção.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Francisco de Figueiredo Milo Milo
Pessoal, se não vai usar o carro por muito tempo como por exemplo por um período superior a três meses, é melhor vender o carro, evita um monte de dor de cabeça ainda mais se for em condiçoes como o veículo exposto ao tempo.Carro tem que rodar, não tem outra matemática, ou roda ou vende. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas de particular
    ofertas em destaque