Após queda das vendas, Fiat reduz produção do Linea, Idea e Bravo

Queda nas vendas teria motivado corte de 50% na linha 4 e sindicato denuncia demissões. Mercedes-Benz também pisa no freio em Juiz de Fora

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/05/2014 08:06 / atualizado em 29/05/2014 08:28 Marta Vieira /Estado de Minas
Fiat Linea tem preços a partir de R$ 55.850 - Fiat/Divulgação Fiat Linea tem preços a partir de R$ 55.850

O freio imposto às vendas da indústria automobilística leva a cortes de produção nas fábricas da Fiat Automóveis, de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e da marca Mercedes Benz, em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. A montadora italiana confirmou nessa quarta-feira ter reduzido à metade o ritmo fabril da linha 4, responsável pelos modelos Linea, Idea e Bravo, para se ajustar ao mercado. Com a alteração, a companha pôs fim ao regime de horas extraordinárias que estão sendo cumpridas e realocou parte dos trabalhadores em outras atividades da unidade industrial. De acordo com a assessoria de imprensa da Fiat, a estratégia significou uma redução inferior a 10% da produção total diária de 3 mil carros.

VEJA FOTOS DO LINEA 2015!

VEJA IMAGENS DO BRAVO WOLVERINE

Em Juiz de Fora, a fábrica da Mercedes Benz diminuiu em 20%, neste mês, a jornada, passando a trabalhar quatro dias por semana, depois de já ter concedido férias coletivas de 20 dias em abril e maio a 450 empregados, dos atuais 900. A montadora não divulga informações relativas a volume de produção, limitando-se a informar que está adequando a fábrica ao momento de desaquecimento do mercado brasileiro, assim como adotou medidas restritivas com este fim à produção em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

CONFIRA IMAGENS DO IDEA!

Dados divulgados em abril pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) indicaram queda de 21,4%, em média, da produção de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus, frente ao resultado de idêntico mês do ano passado. Os licenciamentos de veículos diminuíram 12,1% na mesma base de comparação. Ainda por meio de sua assessoria de imprensa, a Fiat informou que a demanda está concentrada nos veículos Uno, Palio, Strada, Fiorino e Doblò.

Fiat/Divulgação


Com a redução da produção da montadora italiana, o Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas está apurando denúncias de que a empresa teria feito demissões a conta-gotas daqueles trabalhadores que não foram remanejados. Os cortes teriam recaído, segundo informações levadas ao presidente do sindicato, João Alves de Almeida, sobre empregados que estavam há menos de um ano em serviço. A entidade só tem controle sobre as rescisões de contratos com duração superior a um ano, as quais, por lei, homologa. “As informações que chegaram ao sindicato dão conta de que a empresa demitiu 400 pessoas com menos de um ano de casa no último mês”, afirma Almeida.

Quer comprar um Fiat Bravo? Veja as ofertas no Portal Vrum!



Audiência


Na tentativa de contornar os efeitos da redução do ritmo da fábrica da Mercedes Benz, o Sindicato dos Metalúrgicos de Juiz de Fora pediu audiência na Câmara Municipal e a intermediação da delegacia regional do Ministério do Trabalho e Emprego, mas representantes da empresa não compareceram. A instituição registra 130 demissões homologadas desde setembro do ano passado. A assessoria do presidente do sindicato, João César da Silva, informou que ele foi comunicado em reunião, na segunda-feira, de que a montadora alemã vai paralisar a produção por 52 dias intercalados no período de julho a dezembro para se adequar à demanda menor no mercado brasileiro e à retração das exportações para a Argentina, deixando de produzir 200 caminhões Actros. A empresa não confirma as informações.

Unidade mineira produz o caminhão extra-pesado Actrus - Mercedes-Benz/Divulgação Unidade mineira produz o caminhão extra-pesado Actrus

Tags: queda

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Guilherme
Guilherme - 29 de Maio às 08:58
Mandam ate o presidente da empresa embora se for necessário, agora reduzir os preços dos carros.. NUNCA..porque senão as pessoas verão o quão caro pagam... BOICOTE!!! Não compre carro novo por agora !!!!
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
03 de setembro de 2015
02 de setembro de 2015