Estado de Minas

Made in Brazil »

Chery inaugura a primeira fábrica chinesa de automóveis no Brasil

Localizada em Jacareí, no interior de São Paulo, unidade produzirá até 150 mil carros por ano. Nova geração do compacto Celer será o primeiro modelo fabricado no Brasil


Marcello Oliveira - Portal Vrum

Publicação: 28/08/2014 14:42 Atualização:

Empresa investiu US$ 530 milhões para duas unidades fabris: automóveis e motores (Chery/Divulgação)
Empresa investiu US$ 530 milhões para duas unidades fabris: automóveis e motores

De Jacareí, SP
- A primeira fábrica de veículos de uma montadora chinesa fora da China foi inaugurada na manhã desta quinta-feira (28) no município de Jacareí, no Vale do Paraíba, em São Paulo. A empresa investiu US$ 530 milhões, cerca de R$ 1,2 bilhões para duas unidades fabris: a de automóveis e a de motores, no mesmo complexo industrial.

A cerimonia contou com a presença de autoridades e executivos da marca. . “A decisão de ter uma unidade industrial nacional foi tomada em 2009, antes mesmo do anúncio do aumento dos 30 pontos percentuais do IPI para carros importados. Desde lá, passamos por uma série de situações, como o anúncio do Inovar-Auto, e o cenário atual do setor continua não influenciando em nossa decisão. A Chery Brasil será o headquarter da Chery na América Latina”, declara Roger Peng, presidente da Chery Brasil.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin ressaltou a importância da região para a empresa. “É um dia de alegria e nós nos orgulhamos de termos em São Paulo a maior comunidade chinesa e a Chery escolheu o melhor lugar para se instalar ao lado da (Via) Dutra, próximo ao Rio de Janeiro e ao Porto de São Sebastião. É a melhor esquina do Brasil”, declarou.

Já o vice-presidente da República, Michel Temer elogiou a coragem da Chery em investir no Brasil. “Enquanto muitos temem em investir no Brasil, vem a Chery e mostra toda a confiança no Governo Federal e no Governo de São Paulo ao fazer este importante investimento”, disse o vice-presidente, que destacou os 50 protocolos de intenções de investimentos assinados pelo presidente chinês Xi Jinping em encontro com a presidente Dilma em julho em Brasília.

A fábrica

No primeiro ano de funcionamento, a Chery espera fabricar 50 mil veículos em Jacareí e aumentar de 67 para 100 o número de revendas da marca no Brasil até o fim de 2014. A partir de 2016, a fábrica irá produzir 150 mil veículos por ano.

A área de 400 mil metros quadrados concentra os setores de montagem (totalmente robotizada), soldagem e pintura, além do prédio administrativo e um restaurante. O complexo conta ainda com pista de teste com variação diversas de terreno para simular as condições adversas do solo. Segundo a Chery, todo o capital investido é próprio e a empresa se preocupou em equipar a unidade com máquinas de última geração vindas da China, Alemanha, Estados Unidos e Espanha.

O primeiro modelo a ser produzido no Brasil é o novo Celer – hatch e sedan - e o segundo modelo a entrar na nova linha de produção, no segundo trimestre de 2015, será a nova geração do pequeno QQ, que além de um grande facelift, receberá o novo motor 1.0 flex de três cilindros. Em 2016, a Chery iniciará a produção de um terceiro modelo, que será um SUV, fruto de um novo projeto. Os três modelos também abastecerão os mercados da Argentina, Uruguai, Colômbia, Equador, Venezuela e Peru. Em 2018, a Chery terá um modelo pensado, projetado e desenvolvido especialmente para mercado brasileiro.

Primeiro modelo a ser produzido no Brasil é o novo Celer  (Chery/Divulgação)
Primeiro modelo a ser produzido no Brasil é o novo Celer


De acordo com a empresa, incialmente, o índice de nacionalização do Celer, é de pouco mais de 50%, graças a parceria com vários fornecedores como Plascar, Metagal, Pirelli, Moura, Bosch, HVCC, Tyco, Johnson Controls, Goodyear, Basf, Petronas, entre outros. “Todas estas empresas estão situadas em um raio de até 100 km de distância, porém, já contamos com um espaço ao redor da fábrica de automóveis para receber um futuro polo de fornecedores”, comenta o vice-presidente da Chery Brasil, Luís Curi.

O índice de nacionalização dos modelos Chery fabricados no Brasil será aumentando gradualmente, podendo chegar a 70% em aproximadamente dois anos, momento no qual a Acteco (fábrica de motores) também passará a fornecer transmissões, que serão produzidas pela empresa.

Na fábrica de motores, no mesmo complexo, serão produzidos incialmente os propulsores 1.0 e 1.5. “No futuro, também serão produzidos outros tipos de motores, para abastecer não só a demanda da Chery em Jacareí, mas como também outras localidades. Por enquanto, a Acteco fornecerá seus itens para o Brasil, mas planejamos exportar em um segundo momento”, revela o presidente da marca no Brasil, Roger Peng.

Processo seletivo aberto

As obras duraram 23 meses e gerou 300 empregos diretos. Hoje, com o funcionamento parcial da fábrica, são 300 empregados, sendo que destes, 30% são ex-profissionais da unidade da General Motors de São José dos Campos. Segundo a Chery, neste momento há 70 vagas abertas, sendo 40 para manufatura e as demais para a área administrativa. Até o fim do ano, serão 500 colaboradores. O processo seletivo é feito através de análise de currículos cadastrados no Senais, Catho, Linkedin e órgãos públicos da região.

Esta matéria tem: (13) comentários

Autor: Cris tiano
tetse | Denuncie |

Autor: Cris tiano
teste | Denuncie |

Autor: Rodrigo
teste teste | Denuncie |

Autor: Cris tiano
teste | Denuncie |

Autor: Douglas Caixeta de Aquino
Tem muita gente aqui falando que os veículos chineses são ruins. Você que tá falando isso, tem um? Eu não tenho, mas amigos que possuem falam de alguns problemas de peças de reposição, mas que no geral são bons. Acho que tem muito comentarista pago infiltrado aqui, com outros interesses. | Denuncie |

Autor: Douglas Caixeta de Aquino
Tem gente negativa que só entra pra fazer comentários depreciativos. A 15 anos atrás os carros coreanos eram tidos como porcarias. Hoje são melhores que os nossos. Assim acontecerá com os chineses, que já são bonitos, pois são desenhados por designers italianos. A qualidade deles já está melhorando. | Denuncie |

Autor: vitor ri
É bom pra aumentar a concorrência apesar desses veículos chineses estarem muito aquém de serem bons. São corajosos esses chineses pq não tem outra alternativa já q no mundo desenvolvido nem expõem seus veículos ruins. Mesmo estando em recessão promovida pelo pt e pmdb são poucas opções dos chineses. | Denuncie |

Autor: Glauber Maximiano
Nao se instaou uma de carros, mas de máquinas pesadas, em Pouso Alegre (http://www.xcmgbrasil.com.br/) | Denuncie |

Autor: José Otávio Falzoni
Nos últimos anos umas doze montadoras se instalaram aqui no Brasil. Pergunta: Quantas instalaram aqui em Minas nos "competentes" governos de Aécio e Anastasia? Há sim, uma falida montadora Mercedes em Juiz de Fora. E Anastasia ainda está em primeiro lugar para o senado... o povo mineiro pateta sô! | Denuncie |

Autor: Leandro Guimarães
Mauro Almeida, vc foi extremamente infeliz em seu comentário. TODAS as grandes marcas de automóveis possuem fábrica no Brasil. A chery é uma grande marca asiática e está expandindo seu leque... e será bem vinda, pois assim aumentará a concorrencia. | Denuncie |

Autor: Fernando
G de Gurgel devemos fazer um carro nacional . | Denuncie |

Autor: mauro almeida
so vem prcaria caca nique~pra este pais | Denuncie |

Autor: Paulo Barbosa
Nada contra carros chineses. É impressionante como os coreanos, chineses, indianos já possuem montadoras genuinamente nativas, enquanto o Brasil não possui nenhuma fábrica de carros. Prefere pagar royalties aos estrangeiros que cobram um absurdo pelo preço do veículo e afere lucros fabulosos. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas de particular
    ofertas em destaque