Nacionalizado, Audi A3 Sedan teve mudanças na parte mecânica e preço continua alto

Modelo da marca alemã, agora produzido no Brasil, mantém as principais características, como bom desempenho e ampla lista de equipamentos, mas perdeu componentes importantes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 09/01/2016 20:59


Sedã compacto premium tem desenho discreto, mas preserva a identidade da marca - Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press Sedã compacto premium tem desenho discreto, mas preserva a identidade da marca

Ele é discreto, mas mesmo assim chama a atenção. Suas linhas não são ousadas, porém sugerem esportividade velada. É um sedã compacto premium de traseira curta, que parece querer se afastar da ideia de carro de família. O modelo em questão é o Audi A3 Sedan, que chegou inicialmente importado no Brasil, mas desde setembro está sendo produzido no Paraná. Manteve boa parte do padrão Audi, com bom conjunto mecânico, materiais de qualidade no acabamento e completo conjunto de equipamentos. Mas perdeu o câmbio automatizado de dupla embreagem e a suspensão traseira passou a ser de eixo rígido, em vez de multilink. Na prática, resultou em mudanças de comportamento, e o preço continua salgado.


ESTILO O Audi A3 Sedan nacional preserva o mesmo visual do modelo até então importado. A frente mantém a grade tipo bocão, identidade da marca, e os faróis bixênon mais afilados, com luzes diurnas com LEDs. Vincos no capô e para-lamas ressaltados enfatizam a robustez, que tem a traseira mais curta, com lanternas verticais. O toque de esportividade está nas belas rodas de liga leve aro 17 polegadas, na saída dupla do escapamento e no defletor de ar na extremidade da tampa do porta-malas. Vale lembrar que a frente é baixa e exige cuidado para não raspar em saídas de rampas e lombadas. Em relação à qualidade da montagem do A3 brasileiro, chamou a atenção o fato de a maçaneta externa da porta dianteira, do lado do passageiro, ter saído na mão ao ser aberta. Pode ser problema da unidade, mas, de qualquer forma, é, no mínimo, estranho.

 

ESPAÇO Para quem procura um sedã como opção de carro de família, o A3 exige reflexão. Ele tem um amplo porta-malas, com bom volume, com direito a rede para prender objetos. Mas é um carro mais baixo, o que faz com que pessoas com mais de 1,70m de altura toquem a cabeça no teto. O espaço interno não é um de seus pontos fortes, principalmente no banco traseiro, onde as pernas ficam mais apertadas. Mas tem apoio de cabeça e cintos de segurança retráteis para três pessoas, além de fixação para cadeirinhas infantis. Na frente, os bancos são confortáveis e contam com ajuste de altura. E para encontrar a melhor posição para dirigir, o volante tem ajuste de altura e distância. Se mesmo assim ainda não der certo, o modelo conta com sensores de estacionamento na frente e na traseira, para evitar os esbarrões.

 

ACABAMENTO O zelo no acabamento interno do A3 Sedan brasileiro foi mantido. Testamos a versão intermediária 1.4 TFSI Ambiente, que usa materiais de boa qualidade no painel e revestimentos internos. O couro sintético está presente nos bancos, painéis de portas e volante. O painel tem desenho simples, limpo, sem muitas firulas, com instrumentos de fácil visualização que usam luzes nas cores azul, branco e vermelho. No centro dele, uma tela escamoteável permite acesso ao navegador, sistema de som e outras informações sobre o carro. O volante multifuncional permite acesso a todos os comandos, que também estão disponíveis em botão giratório no console.

 

DESEMPENHO Mas as principais diferenças feitas no A3 Sedan brasileiro não são visíveis aos olhos do cidadão comum. O motor agora é o 1.4 flex TFSI, que tem mais potência e torque em relação ao anterior, a gasolina. A injeção é direta e dispensa sistema de partida a frio. E o ganho foi significativo. Porém, a Audi retirou o câmbio automatizado de dupla embreagem e recorreu ao antigo Tiptronic automático de seis marchas. Na prática, o conjunto funciona bem, já que o motor proporciona arrancadas e retomadas rápidas, com o turbo atuando a partir das 2.000rpm. Mas as trocas de marchas são um pouco mais lentas do que no câmbio de dupla embreagem. Para resolver o problema, o motorista pode optar por mudanças manuais na aletas atrás do volante ou no próprio câmbio. Dessa forma, o carro fica ainda mais esperto. O A3 Sedan é um carro que dá prazer de dirigir, seja pelo comportamento dinâmico, seja pelo discreto ruído do motor turbo. É um sedã equilibrado, apesar de a Audi ter substituído a suspensão traseira multibraços pelo eixo rígido. O carro ficou mais mais duro e transfere um pouco as imperfeições do solo. Por outro lado, tem boa estabilidade em curvas e conta com direção eletromecânica bem calibrada. Os freios atuam de maneira eficiente e ainda contam com o auxílio do Pre Sense, que alerta para qualquer vacilo do motorista diante da possibilidade de uma batida. É um carro recheado de tecnologia, mas se o freguês optar por levar o pacote completo, certamente vai ficar horrorizado com o preço. Tomando por esse aspecto, nem parece que o carro está sendo produzido aqui.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Emerson
Emerson - 10 de Janeiro às 16:54
Atenção a todos, sou proprietário de um Audi A3 Sedan comprado na AudiCenter BH e estou arrependido com a compra deste veículo e da marca. Meu carro tem aproximadamente 9.000 km (Nove mil) e tem um barulho na suspensão dianteira lado esquerdo ridículo que já levei 03 vezes na AudiCenter BH e ninguém resolve. A última vez foi ha 03 semanas e o consultor técnico me disse que o ruído é característico do modelo, pode? Quando passo meu carro em calçamentos, parece que tem um chocalho metálico no carro de tão alto. É ridículo um carro de mais de R$100 mil com um problema destes e uma resposta assim.
 
Wilson
Wilson - 10 de Janeiro às 15:04
E o preço? Tanto a manchete como o artigo dizem que o preço é salgado, mas em nenhum lugar o artigo dá o preço do automóvel...
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
27 de julho de 2016
26 de julho de 2016
23 de julho de 2016
21 de julho de 2016