10º Salão Duas Rodas - Um para trás, dois para a frente

O cenário de retração vai sendo superado com o vigor do mercado. Esta é a expectativa da mostra que reúne os principais fabricantes de motos aberta hoje em São Paulo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/10/2009 17:04 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Honda/Divulgação
Realizado a cada dois anos, o Salão Duas Rodas completa duas décadas de olho no futuro. Este ano, o mercado nacional vai dar um passo para trás e deve ter um desempenho semelhante ao de 2007, com cerca de 1,7 milhão de unidades produzidas, por conta da crise importada. Entretanto, prepara-se para avançar dois passos. A frota brasileira de motos em circulação já atinge 13,7 milhões de unidades e o volume de produção interno é o quarto do mundo, com uma moto para cada grupo de 14 habitantes. Se comparado com o mercado nacional de carros, com um automóvel para cada sete habitantes, ou de motos em países asiáticos, com uma unidade para cada quatro cidadãos, percebe-se o enorme potencial de crescimento.

Principal vitrine do segmento na América do Sul, o 10º Salão Duas Rodas ocupa todo o pavilhão do Anhembi, em São Paulo, com 100 mil metros quadrados e mais a área externa, próximo ao sambódromo, ligada por um sistema de trenzinhos, onde vão ser realizados testes, exibições de acrobacias e shows. A mostra será aberta ao público hoje e se estenderá até segunda-feira, com horário de visitação das 14h às 22h, exceto no dia 12, das 11h às 19h. Os ingressos vão de R$ 12 a R$ 25 e o estacionamento para motos custa R$ 15. Os 443 expositores, que vão dos fabricantes e distribuidores de acessórios, motopeças e serviços aos produtores e importadores de motos, mostrarão lançamentos e conceitos, para um público estimado em 240 mil visitantes.

Honda

A montadora introduziu o primeiro modelo flex do mundo, a CG Titan 150 Mix, sistema agora estendido à Bros 150 e Titan 150 EX. Também vai mostrar as novas Fan 150 com injeção eletrônica e as CB 300R e XRE 300 com freios ABS. Vai medir o mercado com as minifora de estrada importadas: CRF 50F, 70F (com embreagem automática e câmbio de três marchas) e CRF 100F com embreagem e câmbios normais. Apresenta também o conceito EVO 6, mostrado pela primeira vez no Salão de Tóquio em 2007, com motor boxer da Gold Wing de seis cilindros e 1.832cm³. A grande ausente é a Transalp 700. Por enquanto.

Yamaha

A montadora mostra um dos primeiros exemplares da RD 50, modelo que inaugurou a sua linha de montagem, que completa 35 anos em outubro. Exibe também a Fazer 250 Limited Edition, a M1 do campeão Valentino Rossi, a YBR 125 Factor 2010 roxa, a R-1 2010, um simulador de empinadas, motos pintadas com cores de times e as novas Midnight Star 950 e V-MAX 1800.

Suzuki

A marca, que completa este ano um século e é representada no Brasil pela J. Toledo, afirma não ter modelos flex em desenvolvimento e mostra sua linha 09/10, com destaque para as novas V-Strom 650, Bandit 650 e 650S, a esportiva GSX-R 1000 e o big scooter Burgman 400.

Dafra

Estreante no salão, a marca Dafra amplia sua linha por meio de parcerias. Selou acordos com a indiana TVS e a chinesa Haojue, do grupo Dachangjiang, para desenvolvimentos de novos modelos, como o scooter Smart 125, equipado com injeção eletrônica.

Kasinski

Comprada recentemente pela chinesa Zongshen, a marca vai apresentar os modelos CRZ 150, on-off road, com motor quatro tempos refrigerado a água e 13,5cv, com preço sugerido de R$ 6.890, e a correspondente CRZ 150 SM (Motard), com preço sugerido de R$ 7.890. Outra atração é o scooter elétrico Prima Electra de 2.000 watts de potência e preço sugerido de R$ 5.980.

BMW/Divulgação


BMW

A marca alemã ignorou a crise ampliando as vendas no Brasil, graças, em grande parte, ao desempenho dos modelos F, de 800cm³. Depois da GS, lançou recentemente e mostra no salão o modelo F 800R, em duas versões: Standard (R$ 45.900) e top, com ABS, computador, aquecedor de punhos, por R$ 51.900.

Kawasaki

A montadora japonesa entrou oficialmente no mercado nacional e está construindo sua fábrica em Manaus, Amazonas. Os primeiros modelos nacionalizados serão a esportiva urbana Ninja 250 (o nome Ninja completa 25 anos), a R$ 15.550 (sem frete e seguro) e a naked Z-750, com motor de quatro cilindros em linha.

Modelos de todos os cantos

O Grupo Izzo comercializa as motos americanas Harley-Davidson junto com as inglesas Triumph, as italianas Ducati, MV Agusta, Benelli e Malaguti, a também americana Buell, a canadense Polaris e a Husqvarna. Todas motos premium, com destaque para a Triumph Daytona 675.

MVK

Com origem na Argentina e tecnologia chinesa, a MVK vai mostrar a custom/chopper radical Spyder, com motor de dois cilindros em linha, 320cm³ e 23cv, equipado com injeção eletrônica e refrigeração líquida.

Traxx

Com fábrica em Manaus, a Traxx usa tecnologia chinesa. O destaque de sua linha é a encorpada custom Shark 250, com motor de dois cilindros em linha, refrigerado ar, com 19,7cv.

Sundown

As novidades da marca são os modelos STX, tipo cidade e campo, e a Motard, com nova motorização, que passou de 200cm³ para 125cm³.

Outras

Além das marcas, estarão presentes a Gas Gas, especialista em fora de estrada, a Motor-Z, em scooter elétricos, e as “chinesas” Iros, Dayun, Shineray, HaoBao e Garinni.

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
25 de outubro de 2012

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação