Combustíveis - Dedo-duro dos beberrões

Programa Brasileiro de Etiquetagem em veículos é parceria entre montadora e governo e vai exibir dados de consumo e eficiência energética a partir de 2007

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/08/2006 16:44 Rafael Bozzolla /Estado de Minas
Cada vez mais montadoras evitam divulgar dados de consumo. A justificativa é que, em condições normais, os motoristas não conseguirão reproduzir os números obtidos em testes. Mas a situação deve começar a mudar em breve.

Parceria entre o Programa Nacional de Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural (Conpet), o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) está trabalhando para levar o Programa Nacional de Etiquetagem para os automóveis. É o mesmo princípio já adotado em eletrodomésticos como geladeiras, chuveiros elétricos e condicionadores de ar.

O objetivo é criar um selo com informações sobre o consumo, mas também com dados da eficiência energética. A classificação vai de A, para os melhores, até E, para os menos eficientes. Os carros mais eficientes também vão ganhar um selo de qualidade emitido pelo Conpet. Alexandre Novgorodcev, responsável pela implantação do programa, explica a diferença: É claro que um carro 1.0 vai ser mais econômico do que um veículo maior, mas isso não quer dizer que seja mais eficiente. Um veículo mais pesado pode gastar menos por quilo, conclui.

O maior trabalho está exatamente em como classificar os carros de acordo com a eficiência. Os dados de consumo já existem. Estão normatizados pela NBR 7024, que é utilizada pelo Instituto Nacional do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para estabelecer as emissões de poluentes. Novgorodcev pondera que para criar uma tabela de eficiência é preciso saber como classificar os veículos. Se pelo segmento, cilindrada, potência ou peso. No entanto, cada fabricante terá acesso apenas à classificação para os seus produtos, para evitar uma corrida de marketing com os números.

Se tudo ocorrer como o planejado, uma apresentação do programa para o público deve ser feita já no Salão do Automóvel de São Paulo, que começa em 19 de outubro. De acordo com o cronograma, a etiquetagem começa já no próximo ano, de forma voluntária, e será obrigatória para veículos fabricados como ano/modelo 2009.
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação