GPS - Na dúvida, pergunte!

Equipamentos de navegação por satélite são boa opção para encontrar endereços, mas apresentam falhas, principalmente de sinalização. Cada marca tem sua peculiaridade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 27/12/2006 00:24 Paula Carolina /Estado de Minas
Unidade testada da Citroën/Quatro Rodas teve dificuldade em recalcular percursos. Para captar sinal de maneira precisa, aparelho da Marelli precisa de antena externa - Jair Amaral/EM - 20/11/06 - Marlos Ney Vidal/EM - 18/12/06 Unidade testada da Citroën/Quatro Rodas teve dificuldade em recalcular percursos. Para captar sinal de maneira precisa, aparelho da Marelli precisa de antena externa
A idéia é perfeita: um equipamento portátil, dotado de mapa (e voz), que ensina o caminho. Pouco a pouco, a tecnologia de navegação por satélite (Global Positioning System/GPS) chega ao Brasil e diversas empresas já comercializam o produto. O problema é que nem todos estão devidamente preparados para conduzir o motorista, sem estresse. Testamos três equipamentos portáteis, recentemente lançados no mercado brasileiro: Airis, cedido pela locadora Hertz, que já tem o produto para aluguel com veículos; Mio Digi Walker, desenvolvido em parceria por Citroën e Guia Quatro Rodas; Easyroad, da Magneti Marelli.

Apesar da precisão nos caminhos mais curtos, todos os equipamentos apresentaram falhas de sinalização em trajetos longos. Apenas o Airis não deixou motorista e passageiro confusos, recalculando com maior precisão novo percurso, quando não era possível fazer a conversão indicada. Os demais chegaram a causar aflição, já que em alguns trajetos houve dificuldade de encontrar a saída. O Airis também foi o que apresentou melhor performance nos percursos, já que a voz é mais detalhada, indicando sempre a conversão a ser feita, seguida da próxima, independentemente de estarem muito próximas, o que facilita, e muito, a orientação do motorista.
Modelo Airis ensina caminho de forma detalhista: errou pouco e passou no teste - Jair Amaral/EM - 20/11/06 Modelo Airis ensina caminho de forma detalhista: errou pouco e passou no teste

Funcionamento

Os equipamentos são portáteis e vêm com uma haste de apoio que pode ser fixada no pára-brisa. Se preferir, o passageiro da frente pode segurar o equipamento na mão, com o cuidado de não encostar na tela, muito sensível a mudanças, e de não virar o aparelho, de modo a perder o sinal dos satélites. Aliás, é o mais aconselhável, para não criar problemas com a fiscalização, já que a Resolução 190, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), proíbe a navegação por mapas com o veículo em movimento e, dos equipamentos testados, somente a tela do Easyroad é transformada em pictogramas (setas), no momento em que o carro entra em movimento. O Easyroad não captou sinal com o equipamento fora do pára-brisa (isso só é possível com o auxílio de uma antena externa).

A memória é de cartão inserido na parte superior e a alimentação da bateria pode ser por cabo conectado ao dispositivo do acendedor de cigarros ou por energia elétrica, com carregador semelhante ao de celular. A inserção do endereço é simples, por digitação do nome e número da rua. E é possível escolher entre o caminho mais rápido (pelas vias principais) ou mais curto (por dentro dos bairros). Outra opção é navegar pelos pontos de interesse, graças à memorização prévia de pontos, como postos de gasolina, restaurantes, hotéis, cinemas, estacionamentos, hospitais etc. Se quiser, o usuário pode incluir seus principais trajetos na opção favoritos ou, ainda, voltar a um percurso recente, recuperando endereços anteriores. Também são informadas distância e duração estimada do percurso.

Serviço
Airis
A voz é precisa, indicando primeira e segunda manobras;
O itinerário é repetido várias vezes (não há limite de distância);
Esquecendo-se o que foi dito, é possível pressionar a tela e ouvir a repetição;
Não há como inserir um cruzamento como endereço (a opção seria procurar o ponto no mapa e marcar com antecedência, mas é mais complicado);
Permite a programação de vários trajetos seguidos e também uma específica para pedestre;
Pode ser encontrado nas lojas Fast Shop e no supermercados Extra. Pela internet, as opções são www.americanas.com, www.submarino.com.br, www.magazineluiza.com.br e www.fastshop.com.br. Custa R$ 1.999 (em caso de aluguel de veículo na locadora Hertz,
Estão mapeados São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte e regiões metropolitanas.
Citroën/Quatro Rodas
A voz indica uma manobra de cada vez (exceto quando há duas conversões próximas);
Os cálculos só ocorrem nos 500 m e 200 m anteriores;
Permite a inserção de cruzamentos, quando não se tem o endereço com precisão;
Função demo simula o caminho antes de se iniciar o trajeto;
Ícone mostra todas as manobras com antecedência;
Pode ser adquirido pelo site do Guia Quatro Rodas (www.navegadorguiaquatrorodas.com.br) por R$ 2.299. Também vem de série no Citroën Xsara Picasso, que tem preço sugerido a partir de R$ 54,9 mil;
Estão mapeadas capitais e cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco, com maior abrangência, alguns municípios de Minas Gerais (Belo Horizonte, Betim e Contagem) e Paraíba, Curitiba (PR) e Florianópolis (SC), rodovias BR-040, BR-3
Permite a reprodução de músicas em MP3 e visualização de fotos.
Easyroad
A inserção de endereços é a mais precisa, possibilitando numeração ou cruzamento;
Nem sempre há indicação da segunda manobra e, muitas vezes, o aviso da primeira é muito próximo ao local para fazer conversão;
O caminho pode ser simulado antes do início do percurso;
Esquecendo-se o que foi dito, é possível pressionar a tela e ouvir a repetição;
Está à venda nas Casas Bahia, Extra, Ponto Frio, concessionárias Fiat e VW por R$ 1.999,99;
Estão mapeadas Belo Horizonte, Betim e Contagem; São Paulo e região metropolitana, São Vicente, Santos, Guarujá, Campinas, Campos do Jordão e Jundiaí; Rio de Janeiro e região;
Tem outras funções: um jogo, calculadora, inserção de imagens, vídeos e música (MP3).

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação