Fiat monta defesa para denúncias contra o Stilo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 17/07/2008 12:00 Portal Vrum
(Agência Estado)

A montadora de automóveis Fiat vai apresentar ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), até a sexta-feira da semana que vem, sua defesa em relação às denúncias de problemas com veículo modelo Stilo. Relatos de consumidores dão conta de acidentes provocados pelo desprendimento da roda traseira dos veículos, provocado por quebra do eixo. Por causa da greve nos Correios, a notificação do DPDC, emitida no dia 27 de junho, só chegou à Fiat na última terça-feira - por meio de fax. Após ser notificada, a empresa tem 10 dias para responder.

Veja como foi o videochat com a Fiat e comente sobre o assunto!

O DPDC se baseia em relatos de oito acidentes, um deles com vítima fatal. Os casos foram levados ao Procon de Brasília por uma das vítimas, Carla Barbosa, que move processo de indenização contra a montadora. Ela diz ter identificado mais três casos, que também serão encaminhados ao órgão. O acidente com o Stilo 2007 de Carla ocorreu em fevereiro, em Brasília.

Veja fotos de Stilos que supostamente tiveram problemas com o eixo traseiro!

Embora haja relatos de 14 supostos acidentes, até o momento apenas Carla e Eden Mark Ribeiro de Sousa, cujo acidente ocorreu em dezembro, moveram ações no Procon de Brasília. Um terceiro denunciante, José Santini, de São Paulo, tem encontro agendado com técnicos da Fiat na próxima quarta-feira (dia 23) para receber o laudo da perícia técnica que a montadora fez em peças de seu veículo.

Nesses três casos em que teve acesso aos carros ou a componentes a Fiat fez diversos testes e concluiu que as rodas se soltaram em decorrência dos acidentes - portanto, não os provocou. "Estamos seguros de que não há erro de projeto e que as rodas se soltaram após forte impacto", disse o assessor-técnico da montadora, Carlos Henrique Ferreira. Se o DPDC concluir que a montadora introduziu no mercado veículos que trazem risco à saúde e à segurança do consumidor, sem que tenha realizado convocações para reparos (recall) após o conhecimento do defeito a empresa poderá ser multada em até R$ 3 milhões.

ENTENDA O CASO (texto de Paula Carolina - Estado de Minas)

. Em 28 de maio, o caderno de Veículos do Estado de Minas publica reportagem, relatando os acidentes ocorridos com Eden Mark e Elion Moreira, em que houve soltura da roda traseira;

. Em 7 de junho, nova reportagem relata outros três casos, indicando que os fatos podem passar de simples coincidência. Uma das motoristas envolvidas, Carla Barbosa, havia movido processo no Procon-DF, mas a Fiat dizia que a ação tinha sido arquivada;

. Em seguida (Veja Também: Fiat na mira do Procon), o Procon-DF desmente, dizendo que o processo continuava em tramitação;

. Na última segunda-feira (Veja Também: Fiat não aceita acordo), nova audiência no Procon-DF, entre a Fiat e Carla Barbosa, deixa mistério no ar: segundo o Procon, teria havido negociação de sigilo entre as partes e nada poderia ser passado à imprensa. A Fiat nega qualquer acordo ou indenização financeira pois tem provas - inclusive com testes metalográficos - de que não houve falha no automóvel envolvido. Carla não foi encontrada para falar sobre o assunto.

Leia mais sobre o assunto no Veja Também, no canto superior direito desta página.
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação