Volta às aulas - De olho nos pimpolhos

Cinto de segurança e outros dispositivos de retenção, como cadeirinhas, são cuidados que precisam ser tomados pelos pais, que também devem ficar atentos à travessia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 06/08/2008 17:05 Paula Carolina /Estado de Minas
Crianças de 4 a 7,5 anos devem usar assento de elevação - Eduardo Rocha/RR - 20/1/04 Crianças de 4 a 7,5 anos devem usar assento de elevação
Com o fim do período de férias, o trânsito das principais cidades do país, como Belo Horizonte, já começa a sentir efeitos de retenções, principalmente próximo às escolas. Mas, ao contrário do que muita gente pensa, as abomináveis e já tão conhecidas filas duplas não são o maior transtorno e muito menos o maior perigo a que estão sujeitos crianças e adolescentes que, soltos dentro dos carros, podem sofrer danos irreparáveis. Neste semestre, pela proximidade das eleições municipais, a BHTrans não fará campanha específica para evitar risco de incorrer em crime de propaganda eleitoral. Mas nem por isso reduzirá a fiscalização. Maior do que o medo da multa, porém, deve ser a preocupação em proteger o filho.

Com tempo
Sair de casa mais cedo para evitar estresse em caso de um possível engarramento é a primeira dica do analista de relações comunitárias da BHTrans, Ronaro Ferreira. "Isso vale para quem vai de carro, de ônibus ou até a pé. Você não deve se arriscar porque se atrasou", diz. Segundo ele, ver e ser visto é outra regra básica, que vale para quem está de carro ou a pé. "Ao atravessar a rua, mostre-se, apareça", continua. Ferreira lembra que atualmente outro problema comum tem sido a 'trombada' do pedestre que atravessa no meio dos carros com motocicletas, que fazem o mesmo: quando os dois se encontram, quem leva a pior é o pedestre".

Desembarque
Outro cuidado importante é no momento de entrar e sair do veículo. Pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), artigo 49, "o condutor e os passageiros não deverão abrir a porta do veículo, deixá-la aberta ou descer, sem antes se certificarem de que isso não constitui perigo". Além disso, o embarque e o desembarque devem ocorrer sempre do lado da calçada, exceto para o condutor.

Cinto
"O cinto de segurança existe para ser usado. E as leis da física se aplicam a qualquer pessoa que está dentro do veículo, inclusive nos bancos de trás", enfatiza Ferreira. Uma criança que cai do quarto andar de um prédio atinge o solo a 40 km/h. Você acha que uma batida a essa velocidade não machuca?, compara o analista, buscando mostrar que, mesmo quando a velocidade é baixa, o uso do cinto é essencial: "Às vezes o motorista acha que porque a escola está dentro do bairro e ele vai andar pouco não precisa do cinto. Então vem um outro carro, que avança o sinal, e aí?". A falta do cinto de segurança, segundo ele, é a infração mais cometida nas proximidades das escolas, ganhando até mesmo das paradas em filas duplas, já que estes motoristas também, muitas vezes, estão sem o cinto.

Retenção
Em junho, entrou em vigor a Resolução 277, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que estabelece requisitos para o transporte de crianças nos veículos. Até 1 ano, a criança deve ser transportada no bebê conforto, colocado no banco de trás e no sentido contrário ao do movimento do veículo; de 1 a 4 anos, o correto é a cadeirinha; e de 4 a 7,5 anos, o assento de elevação, também conhecido como booster. Crianças até 10 anos devem ser transportadas somente no banco de trás, exceto nos casos em que só há assentos dianteiros (caso de picapes). Uma falha da resolução é que as autuações só começarão em 2010, mas, apesar desse longo prazo, os pais devem ter em mente a segurança dos filhos. "É comum você ver pais protegidos, sentados na frente e com cinto de segurança, enquanto as crianças ficam soltas nos bancos de trás à mercê da sorte. Assim como você não deixa seu filho brincar com uma faca ou um escorpião, não deve deixá-lo solto dentro do carro", enfatiza Ferreira.

Dupla
Com relação ao velho problema da fila dupla, o conselho é um só: estacionar um quarteirão antes ou depois, quando não houver vaga na porta da escola, e levar a criança a pé até a entrada. O analista da BHTrans chama a atenção ainda para que os pais se programem de modo a dar carona aos coleguinhas dos filhos, o que contribui para a redução de veículos nas proximidades das escolas. "Não é dar carona ou deixar seu filho com um desconhecido, mas se organizar de modo a dar carona, quando possível. Quanto menos automóveis, menos engarrafamentos", diz. Outro ponto é ponderar a possibilidade de usar o transporte escolar: "Todos os veículos são vistoriados pela BHTrans duas vezes por ano e nós garantimos a qualidade. Além disso, os pais devem fazer as contas, pois às vezes vale mais a pena pagar o escolar, em comparação com o combustível e o tempo gasto para deixar e buscar a criança na escola todos os dias".

INFRAÇÕES

. Falta de cinto de segurança: infração grave (multa de R$ 127,69, cinco pontos e retenção do veículo até a colocação do cinto);

. Transportar criança sem dispositivo de retenção: infração gravíssima (multa de R$ 191,54, sete pontos e retenção do veículo). Até 2010, só será conferido se a criança está presa em algum dispositivo de retenção; a partir de 2010, valem as regras da Resolução 277 (ver item 'retenção');

. Estacionar em fila dupla: infração grave (multa de R$ 127,69, cinco pontos e remoção do veículo);

. Para parar em fila dupla não há infração específica, no entanto, o motorista pode ser autuado por parar na pista de rolamento das estradas, rodovias, vias de trânsito rápido e demais vias dotadas de acostamento: infração grave (multa de R$ 127,69, cinco pontos).
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação