307 e C4 - Pepino na transmissão

Alguns modelos Peugeot e Citroën têm problemas no câmbio automático, segundo denuncia proprietário de oficina especializada. Fabricante nega defeito, mas repara em garantia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/09/2008 15:00 Eduardo Aquino /Estado de Minas
Fotos: Marlos Ney Vidal/Em/D. A Press - 9/8/07
Modelos da Peugeot e Citroën, como os da linha 307 e C4, estão apresentando problemas no câmbio automático. A denúncia é do empresário Heitor Batista Maia, proprietário da oficina Semavi Auto Imports, que trabalha com transmissões automáticas há 28 anos em São Paulo. "Trata-se de um problema crônico nos solenóides dos reguladores de pressão. E, se esse defeito eletrônico não for corrigido a tempo, acaba provocando problema mecânico, que pode levar ao travamento do câmbio. Por isso, o que fazemos em nossa oficina é um trabalho mecânico, para evitar futuros problemas. Atendo uma média de 5 a 10 carros por mês", explica Heitor.

Os fabricantes negam qualquer tipo de problema na transmissão desses modelos. A Peugeot, por exemplo, "desconhece qualquer problema generalizado nos câmbios automáticos seqüenciais (do tipo Tiptronic) que equipam seus modelos". De acordo com o fabricante francês, esse tipo de câmbio tem gerenciamento eletrônico que leva em conta padrões de segurança, conforto, economia e esportividade. A Citroën também afirma não "ter registro de problemas de funcionamento, nem queixas por parte dos clientes" e ressalta também suas qualidades (tecnologia, confiabilidade e robustez) e a caixa automática AL-4, usada no C4, que é a mesma do 407.
Caixa apresenta ruído estranho que, se não for consertado imediatamente, evolui para pane mais grave - Caixa apresenta ruído estranho que, se não for consertado imediatamente, evolui para pane mais grave

Conserto
Embora negue problemas crônicos na transmissão, a Peugeot acabou arcando com as despesas do conserto do Peugeot 307 hatch do empresário Paulo Adolfo dos Santos. Ele conta que o carro começou a apresentar problemas no câmbio aos 15 mil quilômetros. Primeiro, era uma oscilação, principalmente na marcha lenta. Paulo levou o veículo a uma concessionária e corrigiu-se o defeito. Mas, depois de um mês, a transmissão apresentou um problema mais grave. "O computador de bordo acusava 'uma anomalia' no câmbio, que não engatava nenhuma marcha, nem no modo manual nem no automático, entrando no modo de segurança", disse o empresário.

Paulo levou o carro, que não estava mais na garantia de fábrica (somente a estendida, que é adquirida na concessionária), à revenda Vernon, em Belo Horizonte, que entrou em contato com a Peugeot do Brasil. Depois de uma análise, o fabricante acabou autorizando o conserto (substituição do bloco hidráulico) em garantia. O empresário reclama apenas que ficou 27 dias sem o carro, o que lhe causou muitos transtornos, já que usa o veículo para ir ao trabalho.

Mas a Peugeot acabou adotando outro procedimento com o gerente de vendas Antônio Cristino, que mora em São Paulo e é proprietário de um 307 hatch 2.0, modelo 2005. Ao voltar de uma viagem a Ubatuba, no litoral paulista, o câmbio automático do carro começou a emitir um "barulho estranho". Ao levar o veículo a uma concessionária da Zona Sul de São Paulo, ele ouviu dos consultores que se tratava de mau uso e que deveria arcar com as despesas do conserto. Antônio então levou o carro à Semavi, na qual foi realizado o reparo. Segundo Heitor Maia, "o problema também foi nos solenóides, e, se o proprietário demorasse mais um pouco, o conserto ficaria muito mais caro, pois afetaria a parte mecânica do câmbio".
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação