Não compre no escuro - Fiesta na berlinda

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 30/11/2008 19:44 Pedro Cerqueira /Estado de Minas
Reestilização de 2006 deu mais ênfase à dianteira do hatchback - Marlos Ney Vidal/EM/D. A Press - 24/4/07 Reestilização de 2006 deu mais ênfase à dianteira do hatchback
O quarto modelo a participar da série "Não compre no escuro" é o Ford Fiesta, que passou pela avaliação de especialistas em diversas áreas (mecânica, elétrica, lanternagem, pintura, acabamento, emissão de ruídos). O objetivo desta série é auxiliar, por meio de informações, a compra de um veículo usado e ajudar a montar plano de manutenção para os proprietários que já têm o carro. Além de informar os problemas mais comuns de cada modelo, as matérias trazem o custo desses reparos.

. Não compre no escuro - Chevrolet Celta!
. Não compre no escuro - Volkswagen Gol!
. Não compre no escuro - Fiat Palio!

O Ford Fiesta foi lançado no Brasil em 1995. Devido a alíquotas de exportação favoráveis, o modelo, que na Europa já estava na terceira geração, era importado da Espanha com o motor Endura 1.3. Poucos meses depois essa alíquota é aumentada e força a produção nacional do Fiesta. Em 1996, o Brasil começa a produzir o novo modelo, que ganhou a mesma reestilização feita na Europa, com motorização Endura 1.0 (para receber incentivos fiscais) e 1.3, além do Zetec SE 1.4 16V. O famoso motor Zetec Rocam entra em cena em 1999 nas versões 1.0 e 1.6, projetados e construídos no Brasil. No mesmo ano, o Fiesta ganha outra reestilização, novamente de acordo com o modelo europeu.

. Ford Fiesta Trend 1.0 flex - Álcool não faz efeito
. Ford Fiesta 1.6 Flex - Retoque no visual
. Palio 1.0 ELX flex x Fiesta 1.0 First flex - Duelo de prematuros

O Fiesta brasileiro só ganha personalidade própria (com reformulações independentes do modelo europeu), mais robusto e com carinha de minivan, com o lançamento da segunda geração brasileira em 2002, que manteve as antigas motorizações Zetec Rocam, além do novo 1.0 Supercharger (com compressor mecânico que desenvolvia 95 cv). Em 2004, o motor 1.6 ganha versão flex. Foi apenas em 2006 que a motorização 1.0 se tornou flexível. E em 2006, o motor Supercharger sai de cena. No início do ano passado, o Fiesta teve a frente reestilizado, ganhando novos faróis, grade, pára-choque, capô, pára-lamas e interior.

. Melhor custo/benefício entre R$ 30 mil e R$ 45 mil - Caro em conta
. Melhor custo/benefício entre R$ 23 mil e R$ 29 mil - Peladinho com conteúdo

Problemas e orçamento

MECÂNICOS

MOTOR ENDURA
Vazamento de água no coletor de admissão
Troca do coletor (R$ 1.712) ou adaptação da base de metal no coletor (R$ 185)

Mangueira do suspiro do motor veda a passagem de ar
Troca da mangueira: R$ 115

Baixa durabilidade da válvula de marcha lenta
Troca: de R$ 220 a R$ 454

Falha no debímetro (medidor do volume de ar que entra no motor)
Troca: R$ 827

Motor demanda regulagens constantes
Regulagem: R$ 80

Vazamento na junta da válvula termostática
Troca da junta: R$ 30
Motor Supercharger, da segunda geração, tinha compressor mecânico - Reginaldo Manente/Ford/Divulgação Motor Supercharger, da segunda geração, tinha compressor mecânico

Vazamento na junta da tampa da válvula termostática
Troca da junta: R$ 68

Folga na junta da coluna de direção e setor
Substituição do conjunto: de R$ 180 a R$ 1.811

Falha no sensor de marcha a ré
Troca: R$ 140

MOTOR ZETEC E ZETEC ROCAM
Vazamento de óleo no atuador do pedal da embreagem
Troca do atuador: de R$ 329 a R$ 438

Defeito na válvula do ar quente causa vazamento de água no interior do veículo
Troca da válvula: R$ 328

Falha na válvula termostática
Troca: R$130

Vazamento de água na carcaça da válvula termostática
Troca da carcaça: R$ 185

GERAL
Buchas da suspensão são frágeis
Revisão: R$ 400

Baixa durabilidade da bomba de combustível
Troca: R$ 200

Suporte do motor é frágil
Troca: R$ 80

ELÉTRICOS
Falha no atuador de marcha lenta faz o carro morrer em desacelerações e em paradas
Troca do atuador: R$ 157 (Motor Endura) e R$ 177 (Motor Zetec Rocam)

Sujeira no medidor de massa de ar faz o carro perder potência
Limpeza: R$ 60

Mau contato nos relés do eletroventilador
Reparo: R$ 120

Nos flex até 2006, falha no nível do reservatório de partida a frio
Troca do reservatório: R$ 300

Nos motores Endura, isolamento dos cabos principais de energia (que liga a bateria ao alternador e motor de arranque) ressecam e trincam, fazendo os fios ficarem expostos, causando risco de curto-circuito e incêndio
Reparo do chicote: R$ 150

LATARIA/CARROCERIA
Má qualidade das soldas da carroceria fazem com que as chapas de aço se soltem e causem barulho
Refixação dos pontos de solda: de R$ 100 a R$ 500
Circulação interna de ar não veda totalmente

PROJETO
Nos motores Endura, filtro Blow By mal localizado (vapores de óleo sujam o filtro de ar)

ACABAMENTO
Acabamento apresenta baixa durabilidade

RUÍDOS (causados por)
Direção hidráulica
Tuchos mecânicos com varetas
Má regulagem do capô e tampa traseira
Péssimo isolamento de porta-malas, chave de roda e triângulo
Folgas nos bancos e nos componentes internos das portas
Excesso de materiais plásticos

A mão-de-obra de um tira-grilos, que elimina os ruídos do carro, custa a partir de: R$ 200

Modelos já analisados: VW Gol; Palio; Celta.

Colaboraram para a reportagem: AutoWay (31-3442-7342); Alinha Rodas (31-3295-3913); o tira-grilos Luiz Fernando Machado (31-3226-2677); Autowatt (31-2526-4516); Marcha Livre (31-3481-3200); Engecar (31-3334-2912).
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação