Dever de casa - Livro de cabeceira

Manual do proprietário raramente é lido pelo dono do carro, que muitas vezes fica no meio do caminho e paga reboque por não saber apertar um simples botão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/12/2008 19:10 Daniel Camargos /Estado de Minas
Na concepção e fabricação de um carro são empregados inúmeros funcionários, de diferentes áreas de conhecimento e que trabalham em equipe. É praticamente impossível que uma pessoa apenas domine todo o conteúdo movido por quatro rodas. Ter conhecimentos de mecânica, eletricidade, física, química, segurança e conservação dos diversos materiais empregados, entre outros assuntos, não é para qualquer um. Por isso, quem não é um privilegiado precisa ler o manual do automóvel. Caso contrário, as chances de sentir o descuido no bolso são muito grandes.

Dicas de segurança, como o uso correto dos cintos de segurança, encostos de cabeça e instalação de cadeiras para criança, são encontradas no livrete. Quem lê o manual também pode aprender sobre a melhor maneira de economizar combustível, de lavar o automóvel, quais produtos utilizar. "Hoje os veículos estão mais sofisticados e com muitos equipamentos eletrônicos", explica o supervisor de serviços técnicos da Ford, Reinaldo Nascimbeni.

Bobeira
Além dos prejuízos, o que pode acontecer é o usuário deixar de utilizar todos os equipamentos. Reinaldo conta que é muito comum escutar reclamações de que o vidro elétrico não fecha automaticamente quando o alarme é acionado. Isso acontece porque as pessoas não lêem o manual e, por isso, não sabem que, se pressionarem o botão do alarme por dois segundos, os vidros se fecham. Outros descuidos semelhantes acontecem em abertura e fechamento do teto solar e do porta-malas.

Botão
Os veículos contam com dispositivo que corta o fornecimento de combustível quando ocorre uma batida. Reinaldo explica que isso acontece para evitar que o combustível continue a ser bombeado e ocorra um incêndio. Entretanto, pode ser que o dispositivo seja acionado quando o carro passa em buraco e, mesmo podendo seguir com o veículo, o motorista que relega o manual chama o serviço de reboque. Ao chegar ao local é comum o funcionário do reboque encontrar o botão que reativa o fornecimento de combustível e o veículo volte a trafegar normalmente.

Prejuízo
Cada veículo tem especificações próprias para o óleo do motor e a pressão dos pneus. Usar um óleo não recomendado ou deixar de fazer a troca do óleo no período recomendado provoca danos seríssimos ao propulsor, como a formação da borra, que para ser remediada necessita de retífica. Ou até mesmo fundir o motor. Já o uso incorreto da pressão dos pneus proporciona desgaste prematuro e o motorista é obrigado a antecipar a substituição, o que significa mais prejuízo. Para isso, basta consultar o manual e ver as especificações corretas e detalhadas para o motor e os pneus.

Chamariz
Com o lançamento do novo Ka, a Ford mudou o visual do manual, tornado-o mais didático e em ordem alfabética. Reinaldo explica que as mudanças não surgiram por demanda dos consumidores. "Como ninguém lê, ninguém reclama", brinca. Mas ele ressalta que a modificação gerou elogios e, para evitar o esquecimento, o Ka tem um indicador de manutenção que se manifesta por uma luz, em forma de uma chave inglesa, que se acende no painel quando chega o momento ou a quilometragem. "Quando a pessoa vê a luz, procura a revenda ou manual e aí descobre que precisa checar o veículo", explica Reinaldo.

Segunda Via
Quem faz questão do manual, mas comprou um carro usado sem o livrete ou o perdeu, pode ter dificuldades para conseguir outro. Na Volkswagen, o consumidor deve pedir o manual em uma concessionária. Porém, na Carbel, o funcionário informa que está com "dificuldade incrível" de conseguir o manual e que o tempo de espera pode chegar a até dois meses. O preço: cerca de R$ 45 para qualquer modelo. Já a concessionária VW Recreio só aceita pedidos a partir da primeira semana de janeiro. Na Fiat, o manual custa R$ 90 e demora um mês para chegar, segundo informações da concessionária Roma. Na Ford, também custa R$ 90 e a espera é de 15 dias. Na concessionária Renault Valence o preço é R$ 29 e há alguns em estoque. Já a General Motors e a Peugeot adotam formas mais inteligentes. A Peugeot fornece uma cópia para download no site do programa de relacionamento Viva Peugeot (carros.peugeot.com.br/vivapeugeot), para os clientes cadastrados. A General Motors, em seu site (www.chevrolet.com.br), disponibiliza os manuais para download para qualquer pessoa que acessar o portal.
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação