Não compre no escuro - Preferido dos taxistas

Se você gostou da relação custo/benefício do Volkswagen Santana e está pensando em comprar um, tire a prova sabendo os principais problemas apresentados pelo modelo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 18/01/2009 12:52 Pedro Cerqueira /Estado de Minas
Fotos: Volkswagen/Divulgação
Depois de analisar os principais hatches compactos do mercado, a série "Não compre no escuro" parte para os sedãs mais velhinhos. A série busca auxiliar a compra de um usado e também ajudar quem já tem o modelo a montar um plano de revisão, listando os defeitos mais frequentes de cada modelo. Para isso são consultados especialistas em diversas áreas (mecânica, elétrica, lanternagem, pintura, acabamento e emissão de ruídos) que ainda calculam o preço médio para reparar os problemas. Outra informação prestada é a lista de recalls do modelo analisado.

O Santana foi lançado em 1984 e se destacou pelo espaço interno e boa oferta de itens de conforto e segurança, como cinto de três pontos e encosto de cabeça até para dois ocupantes do banco traseiro, apoio de braço central, ajuste de altura no assento do motorista, controle elétrico dos vidros, porta-malas, antena e bocal do tanque, lavadores de faróis e luz traseira de neblina. Os compradores ainda podiam escolher como opcionais a direção assistida, rádio toca-fitas e transmissão automática. O propulsor escolhido pela Volkswagen foi um 1.8, nas versões álcool ou gasolina, com câmbio de quatro ou cinco marchas.

O modelo passou por um face-lift em 1987, ganhando novos para-choques. Dois anos depois chega ao mercado a opção do motor 2.0, que desenvolvia 112 cv com álcool e 99 cv com gasolina. No ano seguinte foi lançada a série especial EX, com ignição eletrônica e injeção multiponto equipando o motor 2.0 a gasolina que desenvolvia 114 cv. Em 1991, o Santana passa por uma reestilização completa, ficando mais arredondado. Esse ano marcou a chegada dos modelos de quatro portas e do freio ABS, pioneiro no Brasil. Em 1996, ganhou nova grade. Em 1997 ambas as motorizações, 1.8 e 2.0, recebem injeção multiponto (Mi). No ano seguinte o modelo chega com novos para-choques e lanternas. Sem muitas novidades nos anos seguintes, o Santana saiu de linha em 2006.

. Não compre no escuro - Ford Ka!
. Não compre no escuro - Chevrolet Corsa!
. Não compre no escuro - Fiat Uno Mille!
. Não compre no escuro - Volkswagen Fox!
. Não compre no escuro - Peugeot 206!
. Não compre no escuro - Renault Clio!
. Não compre no escuro - Ford Fiesta!
. Não compre no escuro - Chevrolet Celta!
. Não compre no escuro - Volkswagen Gol!
. Não compre no escuro - Fiat Palio!

Problemas e orçamento
Versão de lançamento impressionava pelos itens de conforto. Em 87, modelo passou por uma reestilização e ganhou novo para-choque. Alteração de estilo de 91 também atingiu o interior. Somente em 97, com o motor Mi, toda a linha recebeu injeção multiponto - Beto Magalhães/EM/D.A. Press - 23/7/84 Versão de lançamento impressionava pelos itens de conforto. Em 87, modelo passou por uma reestilização e ganhou novo para-choque. Alteração de estilo de 91 também atingiu o interior. Somente em 97, com o motor Mi, toda a linha recebeu injeção multiponto

MECÂNICOS

Folgas prematuras nos coxins com rolamentos, buchas dos leques, buchas das barras de direção e rolamentos das rodas traseiras
Troca: R$ 500

Vazamento de água na tampa lateral do cabeçote
Troca da mangueira e anel da tampa: R$ 80

Desgaste prematuro nos rolamentos da caixa de marcha
Revisão da caixa e troca de componentes: R$ 900

Tampa do distribuidor trinca com facilidade
Troca: R$ 50

Vazamento de óleo na tampa de válvula
Troca da junta da tampa: R$ 40

ELÉTRICOS

Santana 1.8 monoponto
Conectores do motor de passo e sensor de posição de borboleta quebram
Troca dos conectores: R$ 92

Falha no relé de potência da injeção eletrônica
Troca: R$ 110

Motor do atuador de marcha lenta trava ou queima
Troca do motor: R$ 154

Santana 2.0 multiponto
Falha do sensor de posição da borboleta
Troca do sensor: R$ 120

Oxidação do conector dos bicos injetores
Troca do conector: R$ 105

Santana 1.8 e 2.0 MI
Falha no atuador de marcha lenta
Troca do atuador: R$ 154

Oxidação do conector dos bicos injetores e sensor MAP
Troca do conector: R$ 125

Sensor de temperatura da água queima
Troca do sensor: R$ 90

. Melhor custo/benefício - Sedãs com motor 1.4 e 1.6 - Franceses em destaque
. Melhor custo/benefício - Sedãs com motor 1.0 - Mais por menos
. Melhor custo/benefício entre R$ 30 mil e R$ 45 mil - Caro em conta
. Melhor custo/benefício entre R$ 23 mil e R$ 29 mil - Peladinho com conteúdo

LATARIA/CARROCERIA

Com o passar dos anos as soldas da carroceria se soltam, causando barulho devido ao atrito entre as chapas de aço
Refixação dos pontos de solda: de R$ 100 a R$ 500

Sistema de vedação é ruim, principalmente no porta-malas

RUÍDOS (causados por)

. Vibração entre o trinco e o batente do capô

. Faróis bambos

. Folga na estrutura dos bancos, nas portas e nos componentes do vão do motor

. Dilatação das peças plásticas do painel de instrumentos

. Isolamento inadequado de estepe, chave de rodas, macaco e triângulo

. A mão-de-obra de um tira-grilos, que elimina os ruídos do carro, custa a partir de R$ 200

RECALL
Para consultar se seu Santana está em dia com os recalls, consulte a Central de Relacionamento com Clientes da Volkswagen pelo telefone 0800 019 5775

Substituição das pinças de freio

Colaboraram para a reportagem:

AutoWay (31-3442-7342); Alinha Rodas (31-3295-3913); o "tira-grilos" Luiz Fernando Machado (31-3226-2677); Autowatt (31-2526-4516); Marcha Livre (31-3481-3200); Magnus Alinhamento (31-3463-9720).

Modelos já analisados: Gol, Palio, Celta, Fiesta, Clio, Peugeot 206, Fox, Uno, Corsa e Ka.
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação