Viva o silêncio!

Suspensão, carroceria, portas e direção são fontes de ruídos quando apresentam falhas. Saiba como evitar o barulho infernal e o que fazer para exterminar os grilos do carro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/02/2009 17:37 Daniel Camargos /Estado de Minas
Estacionar o carro com as rodas em cima da calçada causa problemas na estrutura da carroceria - Eduardo Rocha/RR - 21/7/04 Estacionar o carro com as rodas em cima da calçada causa problemas na estrutura da carroceria
Existem motoristas que se incomodam com qualquer barulho que o carro faça. Sons que não sejam do motor ou do sistema do rádio os deixam com os nervos à flor da pele. Há também outros que ao escutar os grilos, como são chamados os ruídos incômodos, aumentam o volume e seguem em frente. Porém é preciso cuidado, pois os grilos são sinais de alerta para problemas que, se não forem corrigidos, podem se expandir e ficar cada vez mais caros.

Interior
Os ruídos que se manifestam no interior dos automóveis podem ser provenientes de diversos locais. Podem vir do contato entre a forração e a estrutura da porta, do painel com a parte estrutural da carroceira, do atrito entre o mecanismo dos bancos com o assoalho ou da fixação da forração do teto e das colunas. “Esses ruídos são geralmente caracterizados por rangidos. São pequenos e acontecem mesmo em pisos regulares, pois não precisam de uma pavimentação deficiente para serem escutados”, explica o analista técnico do Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi), Felício Félicio.

Quando partes do interior são retiradas para a colocação de chicotes, acessórios ou até mesmo para a limpeza, é essencial que tudo seja encaixado corretamente, pois, caso contrário, os grilos aparecem. Outra fonte de ruídos nos modelos hatches e sedãs pode ser o bagagito, que fica atrás da última fileira de bancos e, que se não estiver bem encaixado, faz muito barulho.

Portas
São fontes constantes de incômodos para aqueles que têm ouvidos apurados. Félix explica que a guarnição das portas é de borracha e pode apresentar fadigas ou alguma deformação. “Como a borracha é um componente orgânico, ela envelhece, resseca e perde a função”, afirma. O tempo de troca da guarnição pode variar de acordo com o clima, com o uso e os cuidados que o motorista tem para lavar o veículo. “Produtos derivados de petróleo agridem a borracha. O ideal é usar produtos que sejam à base de água e não de silicone, como é muito comum”, explica.

Fixação malfeita do painel pode gerar barulho - Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press - 27/7/07 Fixação malfeita do painel pode gerar barulho
Além das borrachas, as portas têm uma série de itens que também podem fazer barulho: máquina de vidro (manual ou elétrica), chicotes, fechadura entre outros. “Todos esses componentes, à medida que são submetidos a esforços repetitivos, podem sair fora do lugar e apresentar folgas em relação a seus respectivos alojamentos, como a canaleta do vidro, por exemplo”, explica Félix.

Carroceria
Félix explica que todo automóvel tem limites de inclinação, com ângulos de entrada e saída que devem ser respeitados. Há também um limite de torção da carroceria, que, quando o motorista passa na diagonal em uma lombada ou estaciona o carro com duas rodas em cima da calçada, pode ser desrespeitado. “São estalos surdos que acontecem quando há uma aceleração ou freada brusca ou quando o carro inclina a carroceria de forma irregular”, afirma. Segundo Félix, resolver esse tipo de problema é complicado, pois é preciso encontrar os pontos em que a solda soltou. O ideal é tomar os devidos cuidado, como respeitar os limites de carga do veículo e nunca parar com uma das rodas em cima do meio-fio.

Suspensão
Outra fonte de barulhos é a o sistema de suspensão. Félix explica que a suspensão é conectada ao monobloco, com vários elementos de borracha, que são flexíveis, como as buchas, e que com o tempo e a utilização do carro elas se desgastam e fazem barulho. Além disso, pode haver problemas nos articuladores (terminais de direção e pivô) que ficam em alojamentos que podem perder a lubrificação, principalmente, se o motorista dirige em pisos sem pavimentação com frequência.

Caixa de direção
É possível perceber o barulho quando o volante é virado completamente e ao chegar no fim do curso ocorre um estalo. Isso acontece devido a folgas no pinhão ou na cremalheira (mecanismos da direção). Segundo Félix, em muitas situações é possível fazer o ajuste do pinhão e da cremalheira e, somente em casos extremos é necessário fazer a troca. Mas sempre que o barulho for escutado é preciso procurar ajuda especializada para saná-lo.

Pegadinhas
Além disso, há situações que são simples, mas que muitas vezes enganam o motorista e podem levá-lo a acreditar em um orçamento mais alto. Félix diz que é comum grilos provenientes de problemas na fixação do tanque de combustível, na disposição do cabo de acionamento do freio de estacionamento (freio de mão), nos coxins do motor e no escapamento.

O tira-grilo Luiz Fernando Machado ressalta a importância de procurar locais que façam um bom serviço na instalação de acessórios, como banco em couro e equipamento de som. Segundo ele, é comum os carros ficarem com vários grilos após a instalação desses equipamentos, devido à remontagem malfeita. O sistema de som também pode gerar barulhos na fixação dos alto-falantes, que devido à vibração pode deixar os parafusos soltos.
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação