Chuva - Carro não é arca de Noé

Com as pancadas de verão, são comuns os trechos alagados. Ao atravessá-los, é preciso cuidado para evitar entrada de água no motor e o calço hidráulico, cujo conserto é muito caro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 16/02/2009 13:49 Eduardo Aquino /Estado de Minas
Engate a segunda marcha e mantenha aceleração média e constante - Marcos Vieira/EM/D.A Press - 02/02/2009 Engate a segunda marcha e mantenha aceleração média e constante
A cena é bastante comum nas grandes cidades, principalmente em Belo Horizonte e São Paulo: de repente, vem aquela pancada de verão, e algumas ruas e avenidas ficam completamente inundadas. Na pressa de chegar ao destino, ou querendo fugir do temporal, o motorista tenta atravessar o trecho alagado e o carro para no meio da água. O problema é que, ao tentar a travessia, a água entrou pelo sistema de captação de ar do motor ou pelo escapamento, provocando o chamado calço hidráulico, cujo conserto é caro e não é coberto pela garantia, no caso de veículos mais novos. Saiba como evitar esse fenômeno, que é muito comum nesta época do ano.

Entenda como o problema afeta o motor do carro

O que é?
Pelo sistema de captação de ar do motor, a água entra na câmara de combustão e no interior dos cilindros. Quando o pistão tenta subir, encontra a enorme resistência da água, que, diferentemente do ar, é pouco compressível. O enorme esforço do pistão provoca o empenamento das bielas, ocasionando o chamado calço hidráulico e, consequentemente, o travamento do motor.

Quando?
Geralmente, o problema ocorre quando o motorista atravessa trechos alagados. Ao passar por esses locais, o movimento de aspiração de ar, realizado pelos pistãos (que funcionam, neste caso, como o êmbolo de uma seringa), acaba puxando água para dentro do motor. Mas a água também pode entrar pelo escapamento, causando o mesmo problema.

Como evitar
1 - Evite passar por locais muito alagados. É melhor perder algum tempo do que ter um prejuízo enorme e ficar no meio do caminho.

2 - Se realmente tiver que atravessá-lo, engate a segunda marcha e mantenha aceleração média e constante, pois isso vai evitar que a força de aspiração do motor seja muito alta, a ponto de puxar água para dentro do motor e fazer com que o volume de gás expelido pelo propulsor seja suficiente para impedir a entrada de água pelo escapamento.

3 - Se o motorista deixar o motor apagar durante a travessia, a primeira recomendação é não tentar fazer com que ele funcione (nemno tranco e nem na chave), pois o motor poderá estar cheio de água e essa atitude provocará o calço hidráulico. O melhor é colocar a alavanca de marchas em ponto morto, empurrar o veículo até um local seguro e chamar reboque, para que seja feita análise mais detalhada em oficina.

Quanto custa consertar?
Quando o motor de seu carro sofre um calço hidráulico, ele precisa ser aberto para a troca, revisão e reforma de alguns componentes. Mas, antes de abri-lo, deve-se ter a certeza de que realmente ocorreu empenamento da biela. Como fazer? Segundo Fábio Monteiro, da Retífica Monteiro, primeiro deve-se fazer a medição da face superior do pistão com a face superior do bloco, colocando um aparelho chamado relógio comparador, que vai indicar se algum dos pistãos está mais baixo, o que significa que a biela está empenada.

De acordo com Fábio, a abertura do motor de um Palio 1.0 8V, ano 2000, o brunimento dos cilindros, a revisão do cabeçote, a conferência dos pistãos, o polimento no virabrequim e a troca da (s) biela (s), casquilhos, anéis e jogo de junta ficam em torno de R$ 1,5 mil. Mas vale lembrar que, se precisar trocar o bloco pois em alguns casos a biela perfura o bloco do motor , o prejuízo sobe para cerca de R$ 3,5 mil.
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação