Consumo - No embalo da crise

Em tempos de turbulência financeira, o melhor é reduzir os gastos com combustível, que pesam bastante no orçamento. Alguns procedimentos simples ajudam a economizar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 20/05/2009 18:43 Eduardo Aquino /Estado de Minas
Manter a direção e suspensão alinhadas também contribui para diminuir o consumo - Juarez Rodrgiues/EM/D.A Press - 14/6/07 Manter a direção e suspensão alinhadas também contribui para diminuir o consumo
Carregar tralhas que não servem para nada, prolongar a troca do filtro de ar, deixar o motor ligado em congestionamentos prolongados, ficar acelerando no semáforo, esquecer de calibrar os pneus são algumas atitudes que podem aumentar, e muito, os gastos com combustível, o que pode fazer a diferença no orçamento em tempos de crise financeira.

Cana ou petróleo?
Muitos proprietários de carros flex ficam na dúvida quando chegam ao posto de abastecimento. Álcool ou gasolina? A conta é relativamente simples: se o preço do álcool for de até 70% em relação ao da gasolina, compensa abastecer com o combustível derivado da cana. Basta multiplicar o valor do preço da gasolina por 0,7 e checar se o resultado é maior ou menor que o valor do álcool. Caso contrário, é melhor optar pelo derivado de petróleo. Tomando como exemplo os preços médios praticados nesta semana pelos postos de Belo Horizonte: R$ 2,29 o litro de gasolina, e R$ 1,45 o de álcool. Ao multiplicar 2,29 por 0,7 encontra-se 1,60, que é um valor maior que o do litro de álcool. Neste caso, compensa optar pelo combustível derivado da cana.

Murchos
De acordo com o engenheiro da Michelin Renato Silva, rodar com pneus com pressão 30% inferior àquela recomendada pelo fabricante do veículo pode aumentar o consumo em até 2,5%, em decorrência da maior resistência à rodagem. "Pode parecer pouco, mas se o motorista fizer as contas, depois de rodar 50 mil quilômetros ele terá gasto a mais com combustível o equivalente a um pneu novo", exemplifica.

Alinhamento
O aumento da resistência à rodagem dos pneus, em decorrência de uma suspensão desalinhada, também pode aumentar o consumo. Por isso, faça o alinhamento do conjunto suspensão/direção a cada 10 mil quilômetros ou quando passar por alguma cratera ou trafegar em estrada muito esburacada.

Sem respirar
Muitos motoristas se esquecem de trocar o filtro de ar, por exemplo. Mas o que eles provavelmente não sabem é que um filtro de ar obstruído pode aumentar o consumo em até 10%.

Peso morto
Rodar com aquele monte de tralha no porta-malas (pneus velhos, ferramentas não utilizadas, peças que foram trocadas, cadeiras de praia etc.) também contribui, e muito, para aumentar o consumo.

Modo econômico
Trocar de marchas no momento mais adequado também ajuda a economizar. O motorista deve trocar entre as rotações de torque máximo e potência máxima; não esticar demasiadamente as marchas; não usar marchas 'fortes', em trechos em que as mais 'leves' seriam mais indicadas; não colocar em ponto morto na descida (com a injeção, isso não economiza combustível e ainda sobrecarrega o sistema de freios); e não acelerar nos intervalos de mudança das marchas.

Só no acelerador
Evite acelerações bruscas. A aceleração uniforme reduz consideravelmente o consumo de combustível, e diminui a contaminação (de combustível no óleo), a poluição e o desgaste do motor. Não acelere ao desligar o motor, isso também contamina o óleo. Deixar o motor ligado na garagem, pela manhã, para esperar que ele aqueça, é jogar dinheiro fora, pois isso somente aumenta o consumo. O correto é ligar e colocar o veículo em movimento.

Mandamentos
Basta seguir esses procedimentos para poupar dinheiro no posto de combustível. Caso contrário, seu carro será um eterno beberrão.
Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
10 de janeiro de 2011
18 de dezembro de 2009

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação