Estado de Minas

Chevrolet Tracker 2.0 16V - Jipe de verdade Chevrolet Tracker 2.0 4x4 agrada pelo conjunto, seja no asfalto ou em caminhos difíceis

Paulo Eduardo - Estado de Minas

Publicação: 13/03/2007 22:51 Atualização:

Trações integral e reduzida são acionadas por alavanca no console central: operação é simples e rápida
Trações integral e reduzida são acionadas por alavanca no console central: operação é simples e rápida
O Tracker nada mais é do que o Suzuki Vitara com o logotipo Chevrolet. Nada além da gravatinha é diferente e até mesmo em peças do motor está estampado o nome Suzuki. As linhas da carroceria ainda agradam e são modernas para um jipe, mas o painel central denuncia a idade do projeto, com predominância de linhas retilíneas e traços antigos. O Tracker é vendido em um único pacote, com todos os equipamentos de série, incluindo ABS, airbag duplo frontal, ar e direção hidráulica, entre outros. A anatomia dos bancos deveria ser melhor, embora o do motorista tenha diversos tipos de regulagem, compensando, em parte, as deficiências. No banco traseiro, faltam cinto de três pontos e apoio de cabeça para o passageiro do meio. A legislação brasileira é omissa e os fabricantes se limitam a cumprir o que manda a lei.

Teste do programa Auto Papo/Vrum, que foi ao ar no dia 12/03/07


ESPAÇO
O habitáculo não é acanhado, mas, no banco traseiro, apenas dois desfrutam de conforto. O ocupante do meio é castigado pelo túnel central. O porta-malas é do tamanho dos carros compactos e levar bagagem de quatro ou cinco exige malas flexíveis e boa arrumação. Pecado é a cobertura das bagagens, também chamada de bagagito. Pouco condizente com um veículo mais rude, é flexível demais e exige cuidados para a bagagem não ser facilmente danificada. O aspecto também é ruim.

CONFORTO
Vidros, travas e espelhos retrovisores externos têm controle elétrico. O volante pode ser regulado em altura. O aro do volante é fino (ver análise ergonômica) e a buzina, de fácil acionamento, emite o suave bibi. Os engates do câmbio são precisos, exceto a quinta marcha, um tanto quanto muxibenta. Mas o conjunto é pesado, não tem a leveza dos carros de passeio. Condizente com um jipe, apesar das aparências, o Tracker é um autêntico fora-de-estrada.
Jipe encara todos os desafios do fora-de-estrada sem cerimônia, inclusive travessia de riachos (Fotos: Marlos Ney Vidal/EM - 9/3/07)
Jipe encara todos os desafios do fora-de-estrada sem cerimônia, inclusive travessia de riachos

SUSPENSÃO
O conjunto está bem calibrado e é duro, transferindo para o interior as imperfeições do piso. A estabilidade é boa para o tipo de carro e contorna bem as curvas, que podem ser feitas sem abuso. No banco traseiro, sente-se mais as imperfeições do piso.

DESEMPENHO
O Tracker se dá bem em todos os terrenos, sendo que na terra mostra toda a valentia. A boa altura do solo e os bons ângulos de ataque e saída são suficientes para encarar os obstáculos. As trações integral e reduzida são acionadas por alavancas localizadas no console central e a operação manual é simples e rápida. A vantagem dos engates manuais é justamente o menor risco de pane, o que não ocorre com sistemas elétrico e eletrônico.

MOTOR
É suficiente, mas deveria ter mais força (torque), para evitar marcha mais forte em subida e quando o ar-condicionado está ligado. Há rumorosidade no funcionamento (ver avaliação técnica), vinda do sistema de escapamento quando se retoma a velocidade. O funcionamento do motor deveria ser mais suave, mas não chega a incomodar. O consumo depende muito da maneira de dirigir, embora os fabricantes divulguem sempre números otimistas.

DIRIGINDO
O Tracker é jipe fácil de ser dirigido, com boa visibilidade e retrovisores externos de bom tamanho. A direção está bem calibrada e é suave. Os comandos ficam um pouco afastados do motorista. A entrada de ar frontal precisa de tela protetora, para evitar perfuração do radiador, principalmente em estradas de terra e caminhos ruins. Os freios são eficientes e o sistema ABS ajuda muito nesse tipo de veículo. Os pneus mistos não decepcionam no asfalto e são suficientes em terreno acidentado.

O Tracker é um jipe autêntico e a relação custo/benefício é um dos principais atrativos. Uma pena que a oferta seja pequena e o modelo vendido com sobrepreço de R$ 3 mil. O Ford EcoSport 4x4 não está no quadro de concorrente, por não ter opção de marcha reduzida. Não é um jipe de verdade.

Leia mais sobre o Tracker e assista ao teste do modelo no Veja Também, no canto supeior direito desta página.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas em destaque