Nova Nissan Frontier reúne boas características, mas traz detalhes que comprometem

Com design atual, conjunto mecânico eficaz, bom acabamento e nível de conteúdo, faltou pouco para esta picape média agradar em cheio. Mas sabe aquelas coisinhas que irritam?

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 14/08/2017 14:30 / atualizado em 14/08/2017 15:36 Pedro Cerqueira /Estado de Minas
Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

A Nissan Frontier foi a última das picapes médias a adotar linhas mais atuais, deixando o velho estilo sólido e quadradão para ganhar porte parrudo, vincos e “músculos”. O design desta 12ª geração adotou, sim, estas características, mas sem perder a identidade.

Câmera de ré e sensores de estacionamento compensam a traseira alta - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press Câmera de ré e sensores de estacionamento compensam a traseira alta

Do ponto de vista mecânico, a Frontier reúne ótimas características. O motor 2.3 biturbo oferece torque vigoroso, totalmente disponível já a 1.500rpm, resultando em desempenho empolgante. O casamento com o câmbio automático de sete marchas é harmonioso. Quando se ganha desempenho de forma progressiva, os giros ficam baixos, assim como o consumo de combustível. A gestão do câmbio é esperta, não demorando a se adequar a cada situação. Se o motorista pisar fundo, a picape reduz marchas e trabalha com giros altos para oferecer uma resposta rápida, situação em que o motor fica bastante ruidoso. Se quiser ficar totalmente no comando, o condutor pode fazer trocas manuais na alavanca de câmbio.

Laterais do capô e caixas de roda volumosos reforçam linhas musculosas - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press Laterais do capô e caixas de roda volumosos reforçam linhas musculosas

A suspensão traseira tem configuração original, combinando multilink e eixo de torção. Este conjunto oferece conforto (para os padrões de uma picape!) e confiança nas curvas, mas não é referência no segmento. A direção tem assistência hidráulica, que se mostrou pesada no momento das manobras e com relação muito longa. A capacidade para o fora de estrada vem da tração 4x4, com direito a reduzida, facilmente acionadas no painel central. Bloqueio mecânico do diferencial traseiro, que transfere a tração da roda sem aderência para as que estão em contato com o solo, e controle de descida, que reduz a velocidade sem deixar que o veículo pare por completo, facilitam a vida do motorista.

Falta do apoio de cabeça central compromete a segurança - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press Falta do apoio de cabeça central compromete a segurança

VIDA À BORDO
O interior tem bom espaço, além de acabamento caprichado. Os bancos são revestidos em couro, material que também está presente em apliques nos painéis das portas, quebrando o excesso de plástico. Os tapetes acarpetados também tornam o interior da picape mais sofisticado. O assento traseiro é baixo em relação ao assoalho, causando desconforto nos passageiros em trajetos mais longos. Como o veículo é alto, a visibilidade traseira fica comprometida, tornando vitais itens de série como câmera de ré e sensores de estacionamento. Retrovisores escamoteáveis também são importantes para fazer manobras em lugares apertados. Na unidade testada o console central estava mal fixado, gerando ruídos quando a picape rodava sobre piso irregular.

CONTEÚDO A Nissan Frontier oferece conteúdos interessantes – como acesso ao veículo e partida por chave presencial, ar-condicionado digital de dupla zona com saída também para os passageiros de trás, bancos dianteiros aquecidos e banco do motorista com ajustes elétricos –, mas a falta de alguns itens essenciais podem fazer com que o comprador não escolha a Frontier: não há opção de velocímetro digital na tela do painel de instrumentos; os vidros elétricos só são “um toque” na janela do motorista, assim mesmo apenas para abri-la; falta apoio de cabeça e cinto de três pontos para o passageiro traseiro central; assim como o modelo só traz airbags frontais (obrigatórios!), enquanto alguns concorrentes trazem até sete bolsas.

Caçamba traz protetor e ganchos que correm sobre trilhos - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press Caçamba traz protetor e ganchos que correm sobre trilhos

A caçamba vem equipada com protetor, tomada de 12V e ganchos que deslizam sobre um trilho. A porta da caçamba pode ser trancada. Para ficar completa, a Nissan fica devendo apenas capota marítima e santantônio, já que o rack de teto é de série, assim como os estribos, que facilitam o acesso ao veículo, que é bastante alto. Como em todas as picapes, o estepe fica sob o compartimento de carga, bastante vulnerável. As rodas de 16 polegadas ficam muito aquém das de 18 polegadas oferecidas nas versões de topo dos concorrentes.

Apesar das mancadas pontuais, a evolução do modelo é inegável. A maioria dos deslizes cometidos pela Nissan nesse modelo são facilmente contornáveis. O modelo foi lançado no fim de março em versão única, topo de linha, tendo como principal apelo o preço atraente (em relação à concorrência!). À época, ela era a picape média lanterninha em emplacamentos e, passados quatro meses, o modelo continua mal em vendas, na sexta e última colocação do segmento, com menos da metade dos emplacamentos do quinto colocado. A coisa pode melhorar quando a Frontier passar a vir da Argentina – hoje ela vem do México –, quando haverá mais versões disponíveis.


Multimídia tem tela de 6,2 polegadas, com navegador - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press Multimídia tem tela de 6,2 polegadas, com navegador

CONECTIVIDADE

A Frontier vem equipada com o Nissan Multi-App, que tem como principal característica a instalação de aplicativos no próprio sistema, não dependendo do espelhamento de smartphones. Usando a conexão do telefone (ou numa rede Wi-Fi) é possível ter acesso à Internet. O sistema multimídia funciona a partir de uma tela tátil de 6,2 polegadas. Também estão disponíveis telefonia e navegação por GPS. As mídias disponíveis são CD/DVD, rádio, entrada USB e auxiliar, cartão SD e Bluetooth (com streaming). O sistema de som traz quatro alto-falantes e dois tweeters.


Com bom torque em baixa rotação, motor é destaque - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press Com bom torque em baixa rotação, motor é destaque

FICHA TÉCNICA
MOTOR
Dianteiro, longitudinal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 2.298cm³ de cilindrada, biturbo, a diesel, que desenvolve potência máxima de 190cv a 3.750rpm e torque máximo de 45,9kgfm entre 1.500rpm e 2.500rpm

TRANSMISSÃO
Tração traseira, com opção de 4x4 e reduzida, e câmbio automático de sete marchas

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, com braços duplos e barra estabilizadora; e traseira conjugando multilink e eixo rígido / 16 polegadas (liga leve) / 255/70 R16

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica

FREIOS
A disco ventilados na frente e tambores na traseira, com ABS e EBD

CAPACIDADES
Tanque, 80 litros; capacidade de carga (passageiro e carga), 1.050kg


Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

NISSAN FRONTIER 2.3 LE x CONCORRENTES

NISSAN FRONTIER 2.3 LE VW AMAROK 2.0 HIGHLINE CHEVROLET S10 2.8 HIGH COUNTRY FORD RANGER 3.2 LIMITED TOYOTA HILUX 2.8 SRX

Potência (cv) 190 180 200 200 177
Torque (kgfm) 45,9 42,8 51 47,9 45,9
Dimensões (A x B x C) (m) (*) 5,25x1,85x1,85 5,25x1,95x1,83 5,41x1,87x1,84 5,35x1,86x1,85 5,33x1,85x1,82
(D x E) (m) (*) 3,15x0,29 3,09x0,22 3.09xND 3,22x0,23 3,08x0,28
Ângulo de entrada (graus) 31,6 30,6 30,7 28 31
Ângulo de saída (graus) 27,2 22 16,1 26 26
Peso (kg) 1.985 2.073 2.101 2.261 2.090
Capacidade de carga (kg) 1.050 1.017 1.049 1.009 1.000
Velocidade máxima (km/h) (**) 180 179 ND 180 ND
Aceleração de 0 a 100 km/h (s) (**) 8,9 10,9 ND 11,1 ND
Consumo cidade (km/l) (**) 8,9 ND ND 8,5 ND
Consumo estrada (km/l) (**) 10,5 ND ND 10,1 ND
Preço (R$) 166.700 169.990 181.590 185.190 191.900

(*) A: comprimento; B: largura; C: altura; D: entre-eixos; e E: distância mínima do solo
(**) Dados dos fabricantes
ND – Não disponível


Rodas de 16 polegadas, mas na concorrência o aro é 18 - Pedro Cerqueira/EM/D.A Press Rodas de 16 polegadas, mas na concorrência o aro é 18

EQUIPAMENTOS

DE SÉRIE
Airbags frontais; freios ABS com controle eletrônico de frenagem e assistência de frenagem; controle de tração e estabilidade; câmera de ré; controle inteligente de descida; sensor de estacionamento traseiro; sistema inteligente de partida em rampa; bancos revestidos em couro; aquecimento dos bancos dianteiros; banco do motorista com regulagem elétrica; para-sol com espelho de cortesia para motorista e passageiro; console central com apoio de braço e acabamento de couro; estribo lateral; faróis de neblina; faróis diurnos com assinatura LED; luz de freio de LED; rack de teto com acabamento na cor prata; ganchos internos na caçamba para fixação de carga; gancho para reboque; sensor crepuscular, ar-condicionado digital de dupla zona; chave presencial; controle de velocidade de cruzeiro; retrovisores externos com ajustes e rebatimento elétrico; painel multifuncional colorido de cinco polegadas; sistema eletrônico de ignição e abertura das portas sem o uso da chave; vidros elétricos; volante com regulagem de altura; alarme; bloqueio mecânico do diferencial traseiro; Nissan Multi-App; sistema de som com quatro alto-falantes e dois tweeters; antena de teto.

OPCIONAL
Não há.


Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

Quanto custa?
Por enquanto, a Nissan Frontier 2.3 é oferecida apenas na versão topo de linha LE AT 4x4, com preço sugerido de R$ 166.700.


Notas (0 a 10)
Desempenho 9
Espaço interno 8
Caçamba 8
Suspensão/direção 7
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais 8
Segurança 7
Estilo 8
Consumo 8
Tecnologia 8
Acabamento 8
Custo/benefício 8

Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

Tags: cerqueira pedro vrum teste 2.3 frontier nissan 2018 nova

Encontre seu veículo

Últimas notícias

ver todas
18 de dezembro de 2016
14 de dezembro de 2016

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação