Publicidade

Estado de Minas

Mega Quinta - Toda força para a frente

O destaque desta semana vai para a categoria Turbo Tração Dianteira, ou TTD, que permite variados tipos de preparação com um custo sob controle


postado em 20/04/2010 13:30

O Astra preparado de Edimar Pessoa representa a marca da gravatinha nas arrancadas
O Astra preparado de Edimar Pessoa representa a marca da gravatinha nas arrancadas
A categoria TTD, ou Turbo Tração Dianteira, é daquelas que permite a participação da imensa maioria dos carros de passeio que rodam no Brasil. É claro que envolve alguma preparação. No caso, a maior é a adição de um turbo, compressor ou blower, tudo para extrair o melhor de um motor naturalmente aspirado. Falando em propulsor, este deve ser necessariamente o utilizado no modelo, mas o câmbio e o diferencial pode ser substituído. O dimensionamento do escapamento é livre, mas o mesmo deve se estender até a traseira do veículo, além de possuir pelo menos 1 abafador. E o uso de nitro é proibido.

As diferenças em relação a mais "preparada" TTD+ são notáveis. Os pneus devem ser nacionais, sendo proibido o uso de pneus especiais para a competição. O alívio de peso na carroceria obtido através da retirada de equipamentos originais é proibido, com exceção ao estepe. Os veículos devem ter a documentação em situação legal para circular nas ruas. Tudo para deixar o custo da categoria um pouco abaixo das demais, permitindo assim a participação de um maior número de pilotos, que arrepiam em todas as noites de quinta-feira nas Megas Quintas do Mega Space.

Essa semana trazemos a entrevista com o ganhador da última edição da Mega Quinta do dia 15/04/10. Edimar Pessoa Júnior nos surpreendeu com o seu relato e também com o seu belo Chevrolet Astra prata de número 55.

Confira os carros e motos que arrepiaram na noite da última Mega Quinta!


Entrevista com Edimar Pessoa Júnior

A família BX da Volkswagen é a mais popular entre os competidores da TTD e TTD+(foto: Fotos: Mega Space/Divulgação)
A família BX da Volkswagen é a mais popular entre os competidores da TTD e TTD+ (foto: Fotos: Mega Space/Divulgação)


- Edimar, gostaríamos de saber sobre o posicionamento de sua família com relação à sua participação nas arrancadas, sua esposa e filhos aprovam? Se preocupam? Como é isso?


R: Minha esposa gosta muito. Não tenho nenhum problema com isso, pelo contrário, ela também acelera e já virou aqui no Mega Space, um tempo bacana no meu carro! Ela faz bonito representando a galera feminina.

- Para você é um esporte que custa caro?

R: Que é caro é, mas a satisfação de estar aqui toda semana com a galera e à medida que você acelera, você se esquece de tudo. È uma satisfação que não tem preço. È muito emocionante sentir o incentivo da galera aqui presente. Só vivenciando prá saber.

- Você percebeu alguma mudança neste ano de 2010, com relação ao regulamento e na expansão das categorias? Você acha que ficou melhor?

R: Sim. Achei muito justo, ficou muito melhor, principalmente para as arrancadas de quinta-feira. Antes se colocava todo mundo junto, a gente corria com o carro aliviado quase Força Livre, então tirava um pouco a motivação principalmente para quem tem carro de rua, que é o caso do meu carro. Meu carro é um carro de rua mesmo, inclusive o único carro que tenho, carro do dia a dia, que eu uso para tudo.

Hoje, com a separação das categorias, eles limitam pneu nacional, carro com escape até o final, carro caracterizado, etc. Inclusive, eu fui recordista hoje, da categoria com mais de ½ segundo a frente do segundo colocado. Isso quer dizer que é um bom carro dentro da categoria dele.

Antes, eu acelerava e fiquei até frustrado numa situação aqui na arrancada, porque fiz um tempo de 8,9s, e o primeiro tempo foi de 8,8s, de um carro aliviado, que não tinha documento com pneus irregulares, totalmente fora , por isso achei a mudança muito justa.

-Nós temos acompanhado um pouco da sua participação nas arrancadas, assistimos a sua vitória no Motor Day, gostaríamos que você falasse um pouco sobre esta sua trajetória e o que você pretende para este ano!

R: Eu estou satisfeito com meu trabalho, estou tentando um patrocínio, já tenho duas pessoas interessadas nesta parceria. O patrocínio é muito importante, nos ajuda a manter pelo menos um pouco do "posto".

A gente percebe que Belo horizonte ainda não está muito adaptada para este tipo de parceria. Vemos muito isso em São Paulo, pessoas que investem de verdade em corridas e que dá até pra fazer "dinheiro", investir como profissão mesmo.

Estou montando uma propaganda sobre o meu carro, divulgando bastante o meu trabalho para que os investidores conheçam e acreditem na vantagem da contra partida de anúncios. Tenho tido a experiência de parar nos sinais em Belo Horizonte e as pessoas me conhecerem:

"Oi! Já te vi na Bandeirante, recebendo troféu, parabéns pela vitória"... Então você começa a ficar conhecido e percebe que tem muita gente acompanhando, curtindo o seu trabalho.

O patrocínio coopera diretamente para o desenvolvimento de carros melhores, melhorando também as apresentações de velocidade e atraindo mais público pra este tipo de evento automobilístico. E se você consegue ser mantido integralmente, melhor ainda. Você pode se dedicar mais, investir mais o seu tempo na qualidade de seu carro.

Quem sabe através do PORTAL VRUM, em não consiga um patrocinador bacana que acredita no meu trabalho? (risos...)

-Edimar, de onde você tirou esse gosto pela velocidade, essa paixão pela adrenalina de "rachas"? É herança de pai, um hobby de família, alguma influência de amigo, conta pra gente!


R: Eu na verdade sou de uma família pobre, meu pai e minha mãe nunca tiveram carro, não sabem dirigir, eu sou do interior, criado em fazenda, mas sempre fui apaixonado por carro, alucinado desde criança por velocidade.

Um dia destes um amigo me perguntou: "Desde quando você mexe com carros e participa de pegas, cara?" (rindo por saber que fui criado na fazenda). Eu respondi que o meu primeiro pega foi levando leite na linha, a cavalo, brincando com meu primo, fazendo pega os dois, a cavalo... pode?(risos)!

Por aí se vê que eu sempre fui um apaixonado por velocidade. Até que um dia resolvi montar um carro e descobri que era isso que me fazia feliz, era um sonho meu. Foi sacrificante porque eu não entendia nada de carros, nem tinha nenhum amigo que tivesse um do tipo.

Fui então pesquisando, fazendo amigos por todo o Brasil, (principalmente São Paulo e Rio Grande do Sul), que praticavam e eles foram me passando dicas, e eu fui desenvolvendo a preparação do carro. Muita coisa eu mesmo desenvolvi e agora fiz um acerto bacana com o pessoal da HP Motor Sport, e o resultado tem sido muito bom; ganhei o último Motor Day, o carro virou os dois melhores tempos do Motor Day e tá ficando cada dia melhor.

-Obrigado pela entrevista e sorte para você Edimar!


Eu agradeço ao Mega Space e ao VRum, pela oportunidade.

Visite o site do Mega Space e saiba mais sobre o mundo das arrancadas

www.megaspace.com.br.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade