Publicidade

Estado de Minas

Motor Day - Evento reúne apaixonados por velocidade

Entre os carrões envenenados, estava um mini Fusquinha, de um garoto de dois anos que já mostra sua paixão pelos carros


postado em 17/06/2010 15:01

(foto: Fotos: Mega Space/Divulgação)
(foto: Fotos: Mega Space/Divulgação)
Fanáticos por velocidade prestigiaram o Motor Day, que aconteceu no último domingo (13/06) na pista de arrancada do Mega Space, em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte

O evento contou com carros de todo o Brasil, feira de peças e acessórios e pilotos de diversos Estados nas categorias Aspirado Dianteira, Câmbio Livre, Aspirado Traseira Original, Aspirado Traseira, Street Turbo, Pro Turbo, Outla W Turbo, Turbo Traseira, Força Livre e Extreme.

O Motor Day é um evento direcionado à competição automobilística que não exige preparação profissonal dos pilotos e dos veículos participantes. No Torneio de Arrancada Motor Day, o público pode colocar em prática o desejo de acelerar de forma organizada e segura. Os oito melhores colocados das categorias vão para a super final Motor Day.

Confira as imagens do Motor Day no Mega Space em 13/06!

Neste ano, com a nova regulamentação, surgiu a categoria Street Turbo (ST), que tem se despontado com importância no torneio. Esta categoria tem despertado a atenção de pilotos e curiosos, atraindo participantes de várias partes do Brasil. A cada torneio, a categoria cresce pela facilidade e pelo baixo custo na preparação dos carros.

Mas a categoria que levantou a arquibancada numa final eletrizante foi a TOP ( Aspirado Traseira), onde dois Opalas pilotados por Gustavo Furtado e Eder da Cunha. O Opala branco de Eder perdeu o freio no final da pista e parou na pista em reforma

O Motor Day contou ainda com a participação do piloto "Gleicinho", campeão Brasileiro de Arrancada com o filho José Maria, que com apenas dois anos de idade já pilota um réplica idêntica do carro do pai. O Fusca conversível tem motor de Honda Bis com 100 cm³, movido a gasolina, três marchas, conta-giros, injeção eletrônica, DVD, farol de led e um grandioso sistema de som. “O carrinho anda bem”, diz Gleicinho. Segundo ele, chega a fazer 70 km/h.

O pequeno Fusca é equipado com motor 100 cm³ de Honda Biz
O pequeno Fusca é equipado com motor 100 cm³ de Honda Biz


Confira a entrevista feita com o piloto Gleissinho feita por Suzana Horta, especialmente para o Vrum.

-Gleicinho, você montou o carro para seu filho no intuito de direcioná-lo ao esporte de velocidade?

Olha, se ele quiser eu vou dar o maior apoio e pelo o que ele tem mostrado até agora, este vai ser o caminho.

-O José Maria pilota o carro sozinho?

Ele adora acelerar, é apaixonado por carros mas sozinho ainda não, eu tenho que acompanhar. Ele fica um pouco distraído ainda, preocupado mais com os carros que estão do lado.

-Onde você costuma levá-lo para acelerar?

Sempre que vou para as corridas, eu o levo comigo, onde nos divertimos mais.

-Gleicinho, fale um pouco da sua trajetória como campeão Brasileiro, do seu momento como piloto,
o que você tem feito pelo Brasil atualmente?


No momento não tenho participado de nenhum campeonato especificamente. Estou com alguns problemas
no carro, questão de mecânica, mais especificamente, no câmbio e não estou conseguindo andar bem, por isso
não consegui dar continuidade em nenhum dos campeonatos. Estou correndo "avulso", mas este problema já vai estar resolvido na próxima etapa. Eu comprei um câmbio importado e estou montando no carro e no próximo espetáculo, no Velopark, vamos acelerar e vamos ver se conseguimos voltar aos velhos tempos de virar na casa dos 8 segundos.

-Nós ouvimos dizer que para você a pista do Mega Space se tornou pequena devido a tanta velocidade.

É mais ou menos isso. O que acontece é que quando o carro vai ficando muito competitivo, muito forte, é difícil a gente se adequar a uma determinada pista, ficando muito arriscado. O investimento é muito alto, e temos que pensar em nossa vida. Ficar arriscando em certas situações é bobagem. Procuro andar em locais que me dão mais condições de sempre diminuir o tempo. Não que o Mega Space não dê, mas no nível que nós já estamos andando, estamos um pouco acima da competitividade que o Mega Space pode nos oferecer.


-Se me permite acrescentar, tem um porém Gleicinho, a pista do Mega está sendo ampliada, as obras
estão a todo vapor, no intuito inclusive de trazermos eventos da Stokcar para cá. Existe possibilidade de você
voltar a correr aqui, quando esta pista estiver pronta?


Volto com certeza, é o que eu quero! Pode apostar.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade