Kawasaki Versys 650 - Um pouco de tudo

Com proposta ousada de mesclar conceitos e estilos, a nova Kawasaki Versys 650 é equipada com motor de dois cilindros, tem linhas e nome nada convencionais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 01/08/2006 08:30 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Com um farol bastante diferente, o modelo tem estilo é fora-de-estrada, mas encara também viagens em pisos de boa qualidade. - Fotos: Kawasaki/Divulgação - 31/7/06 Com um farol bastante diferente, o modelo tem estilo é fora-de-estrada, mas encara também viagens em pisos de boa qualidade.
A tarefa de batizar os novos modelos de motocicletas vai ficando cada vez mais complicada. O nome escolhido tem que ser curto, simpático, sonoro, agradável, simples e ainda sugerir força, virilidade, velocidade, tecnologia, etc. Uma empreitada que a Kawasaki resolveu encarar, criando uma palavra que não existe no dicionário, para lançar a nova Versys 650 que será apresentada oficialmente em outubro. De quebra, pretende reunir as qualidades de fora-de-estrada, estradeira, roadster e até supermoto, com visual diferente de tudo.

É um modelo que tem a missão bastante difícil de agradar a todos os estilos de pilotagem, em todos os tipos de piso. O nome, até para justificar esta salada, também é uma fusão. Vem do latim vertex (vértice, ápice), e da palavra system (sistema), resultando em Versys. A nova motocicleta da Kawasaki, porém, usa o compacto motor de dois cilindros paralelos, desenvolvido com tecnologia do mundial de Moto GP e que também equipa o modelo ER-6n, lançado em 2005.

Banana

Com refrigeração líquida, quatro válvulas por cilindro, 649 cm³ e injeção eletrônica, o propulsor vai gerar 70 cv e um torque de 6,8kgfm. Números quase iguais ao da prima ER-6n. Da prima, também veio o câmbio de seis marchas, do tipo cassete, compacto e de fácil remoção, além do conceito do escapamento baixo e curto, que fica sob a moto como um limpa-trilhos. A providência, além de rebaixar o centro de gravidade, deixa a parte traseira da moto mais limpa e leve.

Inédita, entretanto, é a balança da suspensão traseira. Fabricada em alumínio, é do tipo banana. O quadro, em tubos perimetrais, também é bastante compacto. Por isso e pelo pouco espaço, o amortecedor único da suspensão traseira não fica centralizado, mas deslocado para a lateral (direita), criando um curioso efeito estético. Os novos freios a disco, tipo margarida, duplos de 300mm na dianteira e único de 220mm na traseira, também contribuem para o visual mais agressivo.

Versátil

O sistema ABS de freios é opcional. Para melhor adaptação do piloto, o pequeno pára-brisa é regulável em altura. Para o passageiro existem duas alças laterais de apoio e um banco do tipo dois andares. As rodas são em liga leve, com aro 17, mais próprias aos modelos esportivos. A posição de pilotagem e o visual, porém, são do tipo fora-de-estrada, com guidão mais alto e corpo mais reto, comprovando a disposição para enfrentar as estradas ou as ruas.

A suspensão dianteira é invertida, enquanto o farol tem um formato que lembra um T, com lâmpadas empilhadas. Já o farolete traseiro tem um conjunto de luzinhas leds (diodos emissores de luz). O painel mistura informações analógicas e digitais e o peso a seco é de 178kg. A nova Kawasaki Versys 650 vai concorrer com alguns modelos que já descobriram este segmento de motos plurais, como a Ducati Multistrada, Triumph Tiger, Aprilia Pegaso, BMW F 650 e Suzuki V-Strom, por exemplo. O preço estimado é de 7 mil euros no mercado europeu. O modelo vai ser importado para o Brasil, mas não se sabe preço e data.

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe