Publicidade

Estado de Minas

Motos-conceito - Mirando o além

Aparentemente exóticos, veículos experimentais sinalizam novas tendências e adiantam tecnologias que consumidor provavelmente vai usar em futuro breve


postado em 15/08/2006 09:01

Por ser dobrável, o Divide é fácil de guardar ou transportar.(foto: Arte de Christiano Gomes sobre imagem de Yamaha/Divulgação - 14/8/06)
Por ser dobrável, o Divide é fácil de guardar ou transportar. (foto: Arte de Christiano Gomes sobre imagem de Yamaha/Divulgação - 14/8/06)
Apesar das motocicletas representarem economia no transporte de pessoal, as montadoras promovem ininterruptamente programas de desenvolvimento de novas tecnologias e motorizações, que utilizam formas alternativas de energia, de olho em uma possível escassez de petróleo. Estes veículos experimentais ficam de prontidão, demonstrando a capacidade tecnológica de cada uma e, de quebra, também incorporam design, formas, técnicas e conceitos futuristas.

Uma boa parte deste esforço de antecipação acaba chegando ao consumidor. O mercado absorve com uma rapidez cada vez maior o que antes era apenas um conceito, materializado em forma de protótipo e mostrado nos salões. A Yamaha, por exemplo, transformou o modelo elétrico urbano Passol (um verdadeiro exercício de criatividade) em um tipo de scooter comercial, a partir do aperfeiçoamento de baterias cada vez mais leves e compactas, permitindo maior autonomia, por meio do acúmulo de maior carga.

Experiência


A partir desta e outras experiências, a Yamaha também desenvolveu o protótipo Deinonychus: um exótico veículo, equipado com tração integral e dois motores elétricos, sendo um em cada roda. Mas não é só. O Deinonychus pode ser inteiramente regulado conforme a conveniência do usuário. O quadro em alumínio pode ser alongado ou encurtado, variando a distância entre-eixos. As suspensões podem ser reguladas conforme o tipo de piso. Tudo com poluição zero.
FC-06 usa tecnologia de célula a combustível (amarela). Já a Deinonychus tem dois motores e ajuste na distância entre-eixos.(foto: Yamaha/Divulgação - 14/8/06)
FC-06 usa tecnologia de célula a combustível (amarela). Já a Deinonychus tem dois motores e ajuste na distância entre-eixos. (foto: Yamaha/Divulgação - 14/8/06)

Um pouco menos radical, o HV-01 tem a aparência de um scooter normal, mas carrega dois motores: um a combustão normal, abastecido com gasolina, e outro elétrico. Os dois motores podem trabalhar em conjunto, ou separadamente, conforme as solicitações de desempenho. Como funcionam em parceria, de forma híbrida, os motores são menores e mais compactos. Em situações de menor exigência, o ecológico motor elétrico entra em funcionamento, proporcionando também mais silêncio.

Praticidade

Mais complexo é o FC-06. O modelo tem tecnologia de célula de combustível. Um sistema batizado de DMFC (Direct Methanol Fuel Cell) é capaz de extrair hidrogênio de elementos como metanol e água (armazenada no próprio veículo) e usá-lo como combustível. Este tipo de sistema para obtenção de energia ainda está em franco desenvolvimento. No campo da praticidade urbana, a montadora apresentou o modelo Divide.

Na linha dos veículos EV (Eletric Vehicles) para transporte pessoal, equipados com motores elétricos, o modelo batizado de Divide tem a aparência de um patinete e está equipado com quadro em alumínio, para reduzir o peso, além de articulações que permitem que seja dobrável. Facilmente compactado manualmente, o modelo pode ser guardado em pequenos espaços, como armários, porta-malas, etc. Trata-se de um prático e ecológico veículo para transporte pessoal de curtas distâncias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade