Publicidade

Estado de Minas

Sinal dos tempos


postado em 22/08/2006 09:13

Visual é peculiar das tendências da Índia, mas o motor é universal.(foto: Honda/Divulgação - 21/8/06)
Visual é peculiar das tendências da Índia, mas o motor é universal. (foto: Honda/Divulgação - 21/8/06)
A Honda acaba de lançar, na Índia, o modelo 125 Glamour FI, dotado de injeção eletrônica de combustível Programmed Eletronic Fuel Injection (PGM-FI). É o primeiro modelo da marca naquele país, com sistema que deve atingir outros mercados e toda sua linha, em substituição progressiva do carburador, reduzindo os níveis de emissão de poluentes exigidos pelas cada vez mais rigorosas normas ambientais em todo o mundo.

O que é bom para a Índia também pode ser bom para o Brasil? Por que não? No mercado nacional, somente os modelos maiores e importados da marca são equipados com injeção. As campeãs de vendas (CG 150 e a Fan 125) são alimentadas por carburador, enquanto do lado de lá sua ‘irmã’ indiana já entrou na era digital. A Glamour é produzida pela subsidiaria, em associação com a Hero. O desenho obedece ao padrão de estilo bem peculiar do mercado local, que, em um país com mais de 1 bilhão de habitantes, produz motos em escala geométrica.

A expectativa é de que sejam vendidas 8,5 milhões de unidades este ano. Só a Hero-Honda é capaz de produzir 3,45 milhões de unidades. A Glamour FI tem motor inclinado para a frente (como na biz, que poderia receber seu motor) de 124,8cm³ de cilindrada, refrigeração a ar, que fornece 9cv a 7.000 rpm. O câmbio tem quatro marchas. Entre os equipamentos de série, o protetor conhecido como mata-cachorro, freio a disco na roda dianteira e cobre-corrente integral. A pintura tem detalhes e o farol uma pequena carenagem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade