Kawasaki Z 1000 - Megafone ambulante

Versão 2007 da tradicional moto japonesa está equipada com novo motor, tem formas ainda mais angulosas e sistema de escapamento que vai dar o que falar.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 26/08/2006 09:18 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Freios têm discos tipo margarida, com bordas onduladas - Fotos: Kawasaki/Divulgação - 24/8/06 Freios têm discos tipo margarida, com bordas onduladas
A partir do segundo semestre, as novidades começam a pipocar, em uma espécie de corrida ao consumidor. A Kawasaki, para não ficar para trás, mostrou a nova Z 1000, modelo 2007, classificado como maxi naked ou street fighter, com temperos tuning. Essas características, que já eram marcantes no modelo anterior, foram fortemente realçadas, criando grande impacto visual. Entre as novidades da Z 1000 estão motor, freios e estranho conjunto de escapamento.

O motor, que era herdado da Ninja ZX-9R, com cilindrada aumentada para 953cm³, agora é derivado da superesportiva Ninja ZX-10R, ainda maior, com 998cm³, mas com a mesma configuração de quatro cilindros em linha, refrigeração líquida, 16 válvulas e injeção eletrônica. Os números de potência e torque, ainda não foram revelados, mas o motor foi retrabalhado para gerar um pouco mais de torque. Assim, a potência, que atinge 175cv a 11.700rpm na ZX-10R, deve ficar na faixa dos 170cv no modelo Z 1000.

O sistema de escapamento das motocicletas sempre foi muito importante no desempenho do modelo. De uns tempos para cá, também ganhou importância ambiental, com mecanismos de redução de poluentes, além de interesse técnico e estético. As montadoras ora escondem suas saídas ora exibem explicitamente. Esse é o caso da nova Z 1000, que adotou enormes megafones duplos em cada lateral. Uma solução polêmica, que certamente vai dividir opiniões.

Parece ser essa mesmo a intenção dos projetistas do novo modelo: causar impacto. O modelo já chama a atenção por suas linhas angulosas, que misturam o estilo clássico, típico das nakeds, com formas futuristas e até mesmo tendências tuning, com uma minicarenagem fumê sobre o farol e lanterna traseira com leds. A nova Z 1000 ficou ainda mais ‘musculosa’. O tanque está mais alto, com aletas laterais que abrigam as setas. A rabeta ficou mais fina e o farol assimétrico, mais largo.
Novos escapes laterais não passam despercebidos. - Novos escapes laterais não passam despercebidos.

Margarida

Outra mudança técnica foi a adoção de discos de freio tipo margarida, com as bordas onduladas, em sistema também adotado pela superesportiva ZX-10R. As pinças de freio ganharam ataque radial, que otimiza a freada e são usadas nas motos de competição. Opcionalmente, a nova Z 1000 pode ser equipada com sistema ABS. O painel mistura elementos digitais e analógicos e fica abrigado dentro da minicarenagem dianteira.

O quadro também foi alterado com a adoção do novo propulsor. Construído em aço, tem mono trave e usa o próprio motor como parte integrante. A posição de pilotagem respeita uma ergonomia mais confortável e mais ereta. A suspensão dianteira, invertida e regulável, também é semelhante à adotada pela superesportiva ZX-10R. A suspensão traseira é mono. A nova moto vai ser apresentada oficialmente em outubro (Salão de Colônia, na Alemanha), com preço de aproximados 10.500 euros (R$ 28.900) para a Europa.

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe