Exclusivo - Yamaha XTZ 250 Lander - Botando banca

Caderno Veículos testou no Japão moto criada e desenvolvida para o Brasil. Com muita sofisticação, injeção eletrônica e painel digital, é para vencer a concorrência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 26/09/2006 21:24 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Na terra, Lander mostrou intimidade e boa ergonomia, ajudada pelo bom desempenho do motor de um cilindro, que tem injeção eletrônica e desenvolve 21 cv - Fotos: Estúdio Cova/Divulgação Na terra, Lander mostrou intimidade e boa ergonomia, ajudada pelo bom desempenho do motor de um cilindro, que tem injeção eletrônica e desenvolve 21 cv
A mais nova arma da Yamaha chega para pôr lenha na fogueira do mercado nacional. A novíssima Yamaha XTZ 250 Lander foi desenvolvida especialmente para o Brasil. De uso misto, on-off road, equipada, entre outros itens, com injeção eletrônica de combustível, freio a disco na roda traseira e painel digital com conta-giros. O motivo para viajar para o outro lado do mundo, foi poder "esmerilhar" sem dó nem piedade a moto em pista de asfalto e de terra, sem a preocupação de vazamento do segredo tão bem guardado, que a montadora fez de tudo para preservar, mas, agora, revelado com exclusividade.

Foram dois dias de testes no complexo de Sugo, próximo à cidade de Sendai, ao norte de Tóquio, mantido pela Yamaha. Nesta enorme área, encravada nas montanhas, fica um autódromo, cercado de estradinhas, uma pista de motocross, onde é disputada uma das etapas do mundial, e muitas trilhas. Uma espécie de Disneylândia para quem gosta de motos. No primeiro dia, a avaliação da nova XTZ 250 Lander foi no asfalto, incluindo a pista do autódromo. No segundo dia, a tarefa foi testar a moto na pista de motocross (em um traçado mais manso), e "chafurdar" pelas trilhas do complexo.

Asfalto

O visual da XTZ 250 Lander lembra, de propósito, o design das motos de cross da marca para transmitir idéia e sensação de agressividade e esportividade, com aletas do tanque destacadas e banco avançando pelo tanque. No asfalto, porém, o modelo oferece conforto para o dia-a-dia nas cidades, superando as crateras da vida com suspensões de curso longo, e bom ângulo de viragem do guidão, capaz de passar por cima dos espelhos no engarrafamento. A velocidade final fica próxima dos 130 km/h (no velocímetro), suficiente para também encarar as estradas. Só não dá para abusar demais, em função dos pneus mistos Metzeler/Enduro 80/90-21 na dianteira e 120/80-18 na traseira.
Na traseira, suspensão do tipo mono amortecida e freio a disco. Já o painel digital tem conta-giros e hodômetro automático que entra junto com a reserva - Foto inferior: Téo Mascarenhas/Especial para o EM Na traseira, suspensão do tipo mono amortecida e freio a disco. Já o painel digital tem conta-giros e hodômetro automático que entra junto com a reserva

O motor, herdado da irmã YS 250 Fazer, tem um cilindro, refrigeração a ar, com auxílio de radiador de óleo, 249 cm³, pistões forjados (como na R-1 e YZ 450F), além de cilindro com revestimento cerâmico e injeção eletrônica, que fornece 21cv a 7.500rpm. No asfalto, o motor não reclama e está sempre alerta em função da injeção. Com mordomias da partida elétrica (bateria selada), painel eletrônico, com tela de cristal líquido, que inclui hodômetro total e parcial, hodômetro auxiliar que entra automaticamente junto com a reserva de 3,5 litros, para alertar o piloto, nível de gasolina (11 litros), relógio, velocímetro, conta-giros com barras progressivas e luzes de advertência.

Terra

O próprio nome Lander, derivado de "land" (terra), sugere sua vocação. Além do visual, do escape de saída alta, dos pára-lamas altos, do farol com lente em policarbonato que lembra o da XT 660R, e quadro em aço do tipo semi berço duplo, com vão livre de 245mm, a Lander tem suspensão telescópica de 240mm na dianteira e mono com link na traseira de 220mm, com ajuste na pré-carga. A altura do banco, com 875mm, só impressiona na hora de montar. Andando na terra, com pneus originais, a Lander mostrou intimidade. O guidão largo, banco que avança sobre o tanque, pedaleiras serrilhadas e pouca largura facilitam a pilotagem, que fica bastante prazerosa e esportiva.

Os freios, disco simples de 240mm na dianteira e de 203mm na traseira, garantem desaceleração firme e precisa, que transmite segurança até na terra fofa. Assim, o pesado escape (exigências ambientais), pode ser trocado, os pneus substituídos, e a relação de marchas de cinco velocidades alterada, aliviando o peso de 130kg a seco, melhorando também o torque de 2,10kgfm a 6.500rpm. Só não dá para entender a mangueira da freio traseiro vulnerável por baixo da balança. A XTZ 250 Lander chega a partir de outubro, com preço sugerido em Manaus de R$ 10.990.

O jornalista viajou a convite da Yamaha do Brasil

Veja mais fotos da Lander na nossa GALERIA DE FOTOS!

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
11 de dezembro de 2017
04 de dezembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação