Publicidade

Estado de Minas

Na estrada - Chegou a hora

Viajar de férias de motocicleta é um enorme prazer. Mas, para ir e voltar sem sustos, é preciso fazer um planejamento e seguir um roteiro de providências necessárias


postado em 16/12/2006 00:47

Carona deve inclinar junto com o piloto nas curvas para não comprometer a estabilidade(foto: BMW/Divulgação)
Carona deve inclinar junto com o piloto nas curvas para não comprometer a estabilidade (foto: BMW/Divulgação)
Na estrada, a moto funciona como uma espécie de antídoto contra o estresse, preparando o espírito e o corpo para a temporada de férias. Afinal, depois de um ano de muita labuta, nada melhor do que um período de descanso para recarregar as baterias. Porém, para que a receita não desande e o estresse aumente, é necessário seguir uma cartilha simples, com revisão na moto, no piloto e garupa, na documentação, além de verificar mapas e as condições das estradas.

Seja qual for o destino, consulte as distâncias entre as cidades, a rede de concessionárias do roteiro, praças de pedágio, postos da Polícia Rodoviária e eventuais atrações turísticas do percurso. Respeite a sinalização e pilote de forma defensiva e atenta.

Cartilha do viajante

Documentação

A viagem começa longe das estradas, checando com antecedência a situação legal da moto e do piloto. Impostos, taxas, licenciamento e a validade da carteira de habilitação têm que estar em dia.

Atitude

Encarar as estradas exige uma postura atenta e apropriada. Pilote defensivamente, não consuma álcool e alimentação pesada. Pare a cada duas horas para descansar e alongar. Mantenha distância dos outros veículos e estabeleça uma política de boa vizinhança com os caminhoneiros.

Segurança

O capacete (inclusive do garupa) deve estar com viseira limpa, dentro do prazo de validade e com selo do Inmetro. O vestuário, composto por luvas, calças e casaco, deve ser resistente e de preferência claro. Para os pés, dê preferência aos calçados de cano alto, como as botas.

Porta-malas

Já que as motos não têm porta-malas, arrume a bagagem de forma que não comprometa o conforto nem prejudique a estabilidade, levando só o essencial. Se houver excessos, tente arrumar a tralha o mais baixo possível, para não elevar o centro de gravidade. Alforjes impermeáveis podem ajudar. Dinheiro trocado e documentação devem estar à mão.

Garupa

O passageiro deve inclinar junto com o piloto nas curvas para não comprometer a estabilidade. O farol da moto deve ser regulado mais para baixo (se for trafegar de noite), para focar a estrada.

Chuva

Nesta época do ano, as chances de pegar chuva aumentam. Com piso molhado, reduza a velocidade e aumente a distância em relação ao veículo da frente. Siga o rastro dos pneus da esquerda do veículo que está na frente, atento para a situação na dianteira.

Motor

Uma boa revisão mecânica é essencial, garantindo segurança e tranqüilidade para curtir o percurso e extrair todo o potencial da moto. Por prevenção, substitua a vela e o óleo do cárter. Se a moto for carburada e refrigerada a água, faça uma limpeza. Limpe ou troque também o filtro de ar.

Breques

Cheque o desgaste das pastilhas e do disco de freio. Verifique também o nível do fluido. Se a moto for equipada com freios a tambor, não vacile. Substitua as lonas se necessário.

Relação

Corrente, coroa e pinhão formam o kit de relação. Coroa e pinhão com dentes pontudos devem ser trocados. A corrente deve ser ajustada e lubrificada, assim como todos os cabos.

Socorro

Além das ferramentas da própria moto, por precaução inclua na bagagem velas, lâmpadas (farol e farolete), fusíveis, remendo químico de pneu, cabos, parafusos, porcas, um pedaço de arame, tiras de borracha e o celular para emergências.

Noite

Evite viajar à noite. Se for preciso, redobre os cuidados. A parte elétrica merece uma revisão detalhada, até para evitar multas. A fiação deve ser conferida e se tiver emendas, essas devem ser isoladas. As lâmpadas checadas e o foco do farol ajustado conforme o peso. Mesmo de dia, acenda o farol.

Pneus

Item fundamental para segurança e tranqüilidade. Os sapatos da moto devem estar com no mínimo meia-vida, com todos os sulcos bem destacados. Com desgaste maior que isso, devem ser substituídos. Carecas, nem pensar. Para checar com exatidão, os pneus têm verificadores de desgaste. As calibragens corretas, indicadas no manual, devem ser obedecidas para as diferentes situações. Inclusive na chuva ou com mais peso e garupa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade