Publicidade

Estado de Minas

BMW HP2 Megamoto - Inventando moda

Supermotards reúnem características das motos fora-de-estrada e de asfalto. Tendência alcança também modelos de maior porte, como a nova BMW


postado em 25/02/2007 23:27

Novo modelo conservou o motor boxer, com injeção eletrônica(foto: Fotos: BMW/Divulgação)
Novo modelo conservou o motor boxer, com injeção eletrônica (foto: Fotos: BMW/Divulgação)
Pela primeira vez em sua história, a alemã BMW fecha o ano com mais de 100 mil motos produzidas. A façanha foi registrada em 15 de dezembro, com o modelo R 1200 R. De quebra, a marca também alcançou mais de 2 milhões de unidades produzidas desde sua fundação, em 1923. Parte dessa performance tem início em 2003, quando a produção era de 35 mil unidades, com a completa reformulação do tradicional motor boxer de dois cilindros, que passou de 1.130 cm³ para 1.170 cm³, ficando muito mais leve e potente.

O novo motor, que conservou a clássica arquitetura dos dois cilindros opostos (batizados de boxer, já que parecem brigar), também permitiu à BMW ampliar sua linha, lançando nada menos do que oito modelos baseados nele, contribuindo decisivamente para a triplicar a produção até 2006. Nesse embalo, apresentou no fim do ano passado, a caçula da linha, a HP2 Megamoto 1200, que chegará ao mercado em março.

Moda
Suspensões e rodas foram dimensionadas para o asfalto
Suspensões e rodas foram dimensionadas para o asfalto

O modelo representa uma tendência em alta no mercado mundial. É uma moto eclética, que usa o quadro e o visual de uma fora-de-estrada, mas com equipamentos de rua. O resultado é um veículo agressivo e ágil, com desempenho esportivo. Uma mistura que criou o segmento motard, que as montadoras trataram de turbinar, agregando denominações superlativas, especialmente em modelos de maior porte, como, hyper (no caso da Ducati), super (para a maioria), e agora a mega, para a nova BMW. Só falta o ultra.

A HP2 Megamoto ainda tem na composição do nome, o H, de high, o P, de performance (alta performance), e o 2, do número de cilindros do motor (quatro válvulas por cilindro, refrigeração a ar, injeção eletrônica, de 105 cv a 7.000 rpm), para não deixar dúvida. A nova moto foi baseada no modelo HP2 Enduro, mas com características próprias de série, em vez do kit de transformação meia boca, vendido pela própria BMW, até então. A suspensão traseira, por exemplo, trocou o sistema pneumático Continental pelo amortecedor único Ohlins regulável, de 180 mm de curso, ancorado no monobraço, por onde também passa o eixo cardã da transmissão.

Características

A suspensão dianteira é uma Marzocchi invertida, com tubos de 45 mm de diâmetro e 160 mm de curso. O freio dianteiro tem dois discos de 320 mm de diâmetro, equipado com pinças de quatro pistãos, aumentando absurdamente o poder de frenagem. O freio traseiro tem disco simples de 265 mm. As rodas de 21 e 18 polegadas, na dianteira e traseira, respectivamente, foram substituídas por rodas de 17 polegadas, com pneus (120/70 e 180/55), de características esportivas.

O banco também ficou mais baixo e o guidão, mais estreito. O escapamento é um esportivo Akrapovic, com ponteira de duas saídas. Porém, se o motor boxer, por suas características, rebaixa o centro de gravidade, também impede o piloto de esticar a perna para frente nas curvas, em manobra típica da pilotagem motard. No visual, o quadro em tubos de aço tem partes aparentes, assim como parte do tanque e carenagem do farol assimétrico, e painel, com conta-giros, em fibra de carbono. O câmbio tem seis marchas e o peso em ordem de marcha (abastecida), é de 200 kg. A BMW vai importar o modelo, mas não marcou data e nem fixou preço. Informações: 0800 707 3678.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade