Aprilia Tuono 1000R Factory - Barulho exclusivo

Equipada com motor de dois cilindros em V, de 139 cv, com sistema de suspensão e freios esportivos, essa moto enorme é uma naked produzida em edição limitada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 26/03/2007 15:00 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
Fotos: Aprilia/Divulgação
A engenharia da marca italiana Aprilia, recentemente encampada pela Piaggio, queimou fosfato para projetar e produzir a superesportiva RSV 1000R, toda carenada, com requintes de aerodinâmica, visando otimizar a performance e velocidade, para algum tempo depois, simplesmente retirar tudo, transformando completamente o modelo. A Tuono 1000R Factory tem mecânica derivada da RSV 1000R, mas, sem roupa, transformou-se em uma naked (pelada), que, para um fiel segmento, é ainda mais bonita, já que expõe sua mecânica.

A Tuono 1000R Factory também é exclusiva, uma vez que usa sem economia elementos nobres, como fibra de carbono, alumínio e magnésio em sua construção, o que resultou em uma redução de quatro quilos em seu peso, de 181 kg a seco, em relação ao modelo normal. Além disso, a Tuono Factory, que usa motor de dois cilindros em V, inclinados a 60 graus, batizado de Magnesium Evolution, recebeu melhoramentos para aumentar a potência e o desempenho.
Suspensões são esportivas reguláveis da Ohlins - Suspensões são esportivas reguláveis da Ohlins

O resultado dessa economia de peso e aumento na potência foi traduzido na série Factory, com produção de apenas 300 exemplares. O motor, com 997,6cm³, equipado com refrigeração líquida e duplo sistema de contrapesos, ganhou válvulas 2 mm maiores, novo sistema de escape e mapeamento da injeção eletrônica, que elevou a potência para 139 cv a 9.500 rpm. O torque é de 10,9 kgfm a 8.500 rpm. Esses números credenciam o motor como um dos mais potentes V2 do mundo. Para acompanhar a evolução do propulsor, os outros sistemas também foram melhorados.

As suspensões, em vez de Showa na dianteira e Sachs na traseira do modelo de série normal, agora são Ohlins racing. Na dianteira, um garfo invertido, com tubos dourados de 43 mm de diâmetro e 120 mm de curso. Na traseira, há um único amortecedor com 133 mm de curso. Ambas plenamente reguláveis. O freio dianteiro, com duplo disco de 320 mm de diâmetro, tem pinças Brembo Série Ouro, com fixação radial (como nas motos de competição), e quatro pistãos. O freio traseiro tem 220 mm de diâmetro.

Para justificar o nome Tuono, algo como trovão, o modelo Factory também tem características esportivas explícitas. A mangueira do sistema hidráulico de freio dianteiro tem revestimento metálico para aumentar a precisão das freadas. As rodas em liga de alumínio de 17 polegadas são da marca OZ de competição, com pneus de 120/70 na dianteira e 180/55 na traseira. O quadro, em dupla trave de alumínio, fica aparente e é dourado, como a suspensão dianteira.

O painel, com elementos digitais e analógicos, tem a luzinha (shift light), que acende na hora ideal de trocar cada uma das seis marchas, e memória que acumula até 40 tempos de volta. A embreagem tem sistema antitravamento para facilitar nas reduções, patenteado pela Aprilia, batizado de PPC, e o escape pode ser o esportivo Akrapovic. Para completar o visual, uma minicarenagem, com duplo farol na dianteira e guidão, levemente mais alto para conforto também nas cidades. A Tuono Factory é vendida na Europa, desde o fim de 2006, por 13.990 euros.

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe