Publicidade

Estado de Minas

Yamaha XTZ 125X - Irmã do asfalto

Modelo será lançado no Salão das Duas Rodas, que começa terça-feira, em São Paulo. Versão tem estilo e visual supermotard, com motor e quadro da XTZ 125


postado em 14/10/2007 18:07

Preto predomina na moto, com detalhes em vermelho(foto: Fotos: Yamaha/Divulgação)
Preto predomina na moto, com detalhes em vermelho (foto: Fotos: Yamaha/Divulgação)
A família XTZ 125 tem nova integrante: a XTZ 125X, desenvolvida no badalado estilo supermotard. Trata-se de uma moto do tipo on-off, vestida e calçada somente para o asfalto, ou, no máximo, para uma terra muito leve. Essa é a proposta da nova XTZ 125X, que vai ser apresentada oficialmente no Salão das Duas Rodas, que começa terça-feira em São Paulo e dura até domingo. A nova moto chega em duas versões: a XE, equipada com partida elétrica; e a XK, com partida a pedal e somente uma opção de cor (preta com detalhes em vermelho).

A 'mãe' da XTZ 125 foi a YBR 125 (street), lançada em 2000. Em 2002, desenvolvida pela equipe de Shigeru Osemachi (também responsável pelos projetos dos modelos YZ, WR e TTR, por exemplo), chegava ao mercado a fora-de-estrada XTZ 125, com mesmo motor e quadro da YBR. Agora, com a nova XTZ 125X supermotard, é a vez de mais um filhote. A alma e o coração são os mesmos, mas o visual, as rodas, os pneus e o fundo do painel (vermelho), além de outros detalhes, foram alterados para atender às novas exigências do segmento.
Propulsor de um cilindro fornece 12,5 cv
Propulsor de um cilindro fornece 12,5 cv

Alterações
O pára-lama dianteiro tem um desenho mais curto (mas continua alto, como na XTZ), para harmonizar com as novas rodas, menores, agora com aros de 17 polegadas. Os pneus (Pirelli MT-75 100/80, na dianteira, e 110/80, na traseira) são para asfalto. A proteção das bengalas, passou de sanfonada para material plástico fixo, em preto fosco. Os piscas também foram trocados. Agora são ovais, com lentes brancas. Em relação à XTZ, as novas X ganharam maior distância entre-eixos (1.345 mm). Em compensação, o ângulo de cáster diminuiu para 27 graus. Tudo para conferir maior agilidade e conforto urbanos.

No visual, os cubos de rodas (em aço, raiadas) agora são pintados em preto, assim como a balança da suspensão traseira (mono, com 180 mm de curso) e as canelas da suspensão dianteira (telescópica, com também 180 mm de curso). A nova moto também ganhou novos espelhos retrovisores. Com as rodas menores, a altura do banco diminuiu em 25 mm, passando para 815 mm do chão. O freio dianteiro é a disco, e o traseiro, a tambor. O peso a seco é de 104 kg, para a versão K, e de 105kg, para a E. O motor de um cilindro, refrigerado a ar, fornece 12,5 cv a 7.500 rpm. O modelo K (posto em Manaus) tem preço de R$ 7.167, e o modelo E, de R$ 7.961. Informações na rede.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade