Vespa S 50 E 125 - Bons tempos

Modelo chega com duas versões de motorização, com referências visuais baseadas em sucessos do passado. A modernidade está nas rodas de liga leve e pneus sem câmara

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 23/12/2007 11:12 Téo Mascarenhas /Estado de Minas
A nova Vespa conservou o farol retangular encaixado no guidão e tem detalhes cromados na lataria - Fotos: Vespa/Divulgação A nova Vespa conservou o farol retangular encaixado no guidão e tem detalhes cromados na lataria
A Vespa é um dos veículos mais carismáticos do mundo, vendido em 114 países, inclusive no Brasil. Nasceu em 1946, no período pós-guerra, como uma solução de transporte barato e econômico. Em vez do quadro tubular tradicional das motocicletas, chapas de aço estampadas e o motor deslocado para a traseira, junto à roda, permitindo um espaço livre na dianteira, protegido por um escudo frontal, facilitando o embarque e desembarque e a pilotagem pelas mulheres, que podiam guiar inclusive de saia.

Essa solução, desenhada pelo engenheiro aeronáutico Agostino D'Ascanio, que curiosamente não gostava de motos, ironicamente entraria para a história como uma das mais criativas invenções, além de inaugurar um segmento, que ficaria conhecido modernamente como scooter. Veículos práticos e urbanos. Nesse espírito, a italiana Piaggio, dona da marca Vespa, lançou neste fim de ano o modelo S, com duas versões de motores: dois tempos de 50 cm³ e quatro tempos de 125 cm³.

Retrô
Os novos modelos são baseados nos badalados Special e Primavera, lançados no início da década de 70, com muito sucesso, especialmente entre o público mais jovem. Para melhor caracterização, o visual retrô foi adotado, mas, na parte técnica, a tecnologia atual é a empregada. A nova Vespa conservou o farol retangular encaixado no guidão e um painel com instrumentos arredondados de fundo branco. O modelo também tem alguns detalhes cromados na lataria para compor o estilo.

A modernidade das novas Vespas pode ser vista nas rodas de liga leve, com aros de 11 polegadas na dianteira e 10 polegadas na traseira, calçadas com pneus sem câmara. O sistema de freios da roda dianteira é a disco de 200 mm e o traseiro a tambor. Nas partes ocultas (escondidas pela carenagem), o motor do modelo 50 é do tipo dois tempos, refrigerado a ar, enquanto o motor do modelo 125 é quatro tempos, que fornece 10,3 cv a 8.000 rpm.
Os modelos S fizeram sucesso em todo o mundo nos anos 70, especialmente junto ao público jovem - Os modelos S fizeram sucesso em todo o mundo nos anos 70, especialmente junto ao público jovem

Comodidades
Comum aos dois modelos, as mordomias urbanas. A partida é elétrica e o câmbio automático, do tipo CVT. Basta acelerar e brecar. Sob o banco, um espaço para pequenas compras, mas cabe também um capacete. Como curiosidade, o sistema de suspensão dianteira é mono, com amortecedor lateral, hidráulico de duplo efeito. O sistema de amortecimento traseiro também é mono, com mesmo tipo de amortecedor, mas com possibilidade de regulagens.

Para quem quiser equipar ainda mais a Vespa retrô, a marca oferece uma vasta gama de acessórios, que inclui pára-brisas, bauleto com 32 litros de capacidade (porta-malas traseiro), capacete com desenho exclusivo e diversas opções de grafismo. O peso a seco da versão 50 é de 96 kg, e da 125, 114 kg. O tanque de gasolina, deslocado para baixo do banco, mais perto do motor, tem capacidade para 8,5 litros. A Vespa é importada pela Piva Import: (11) 5506-5080.

Veículos

Encontre seu veículo

Ultimas Notícias

ver todas
20 de novembro de 2017
04 de novembro de 2017

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação